Destaques

SOLANGE ALMEIDA ESTÁ EM PETROLINA PARA REALIZAR PRIMEIRO SHOW DA CARREIRA SOLO

A produção e equipe de Solange Almeida não estão poupando esforços para fazer do primeiro show ...

Clube de cinema de Petrolina abre temporada 2017 com um drama clássico da sétima arte mundial

A história de um condenado à prisão perpetua e o dia a dia de superação em uma penitenciária f ...

ANPT critica aprovação de projeto de lei que libera terceirização indiscriminada nas empresas e pede seu veto

A Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT) divulgou nesta quinta-feira, 23/03, nota ...

Hospedagem WordPress
joseliataespiando
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
RADIO WEB JUAZEIRO
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Lista de Links TESTE ADS

SOLANGE ALMEIDA ESTÁ EM PETROLINA PARA REALIZAR PRIMEIRO SHOW DA CARREIRA SOLO

Postado em 24 de março de 2017 por Josélia Maria

A produção e equipe de Solange Almeida não estão poupando esforços para fazer do primeiro show da cantora um marco histórico em sua carreira. Com um palco semelhante ao utilizado pela banda irlandesa U2, na turnê mundial U2 360º em 2009, a apresentação da carreira solo da cantora está marcada para amanhã 25 de março, no IATE CLUBE ,na cidade de Petrolina , Sertão de Pernambuco.





Clube de cinema de Petrolina abre temporada 2017 com um drama clássico da sétima arte mundial

Postado em 24 de março de 2017 por Josélia Maria

A história de um condenado à prisão perpetua e o dia a dia de superação em uma penitenciária foram os principais ingredientes que movimentaram a noite desta quinta-feira (23) em Petrolina – PE, durante a sessão de abertura da temporada 2017 do Clube de Cinema do Plenus Colégio e Curso. O filme escolhido para abrir os trabalhos do ano – Um sonho de Liberdade, produção americana dirigida por Frank Darabont, agradou em cheio os sócios/alunos da 1ª a 3ª série do Ensino Médio.

Segundo o aluno da 2ª série da escola, João Vitor, a junção de um “roteiro brilhante com as atuações impecáveis dos atores Tim Robbins e Morgan Fremman se encarregam de prender a atenção do espectador e manter o clima de expectativa que surpreende ao final”. Outro sócio que também gostou muito da película foi Aline Beatriz, que faz a 3ª série e, desde o ano passado, não perde uma sessão do Clube. “Gosto muito dos filmes clássicos, principalmente aqueles que não passam no circuito comercial. Aqui no Clube, temos a oportunidade de conhecer o melhor do universo da sétima arte e, durante as discussões, aprimorar uma visão crítica de vida e de sociedade”.

De acordo com a Diretora Pedagógica do Plenus, Sílvia Santos, o Clube de Cinema foi criado há 10 anos pela professora de Literatura Brasileira e Diretora, Simone Ramos (em memória) e, a cada mês, realiza uma sessão exibindo um longa-metragem sempre com filmes clássicos, de arte e educativos. “Contamos com um acervo de mais de 150 produções além da renovação de títulos que fazemos a cada início de ano. Durante as sessões, recebemos os sócios com uma exposição do acervo e a presença de professores que auxiliam na indicação do filme mais adequado para cada caso”, completou.

Ao final de cada exibição, são debatidos aspectos técnicos e de criação das obras cinematográficas e cobrados dos alunos comentários e textos críticos acerca do desempenho dos atores, direção, fotografia, música e roteiro. E, para completar a sessão inaugural da temporada 2017, os sócios/ alunos ainda comemoraram a ocasião com um lanche reforçado e o corte do bolo de aniversário dos 10 anos do Clube de Cinema do Plenus.





ANPT critica aprovação de projeto de lei que libera terceirização indiscriminada nas empresas e pede seu veto

Postado em 24 de março de 2017 por Josélia Maria

A Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT) divulgou nesta quinta-feira, 23/03, nota pública onde manifesta sua posição oficial sobre os efeitos que o  Projeto de Lei (PL) 4.302/1998, aprovado ontem pela Câmara dos Deputados e que libera a terceirização para todas as atividades das empresas, sem quaisquer garantias para os trabalhadores, trará ao país e às relações de trabalho no Brasil, caso venha a ser sancionado pelo presidente da República, Michel Temer.

Confira a íntegra da nota:

NOTA PÚBLICA

A Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), entidade que congrega os membros do Ministério Público do Trabalho (MPT) de todo o país, vem a público, tendo em vista a aprovação, na data de ontem, pela Câmara dos Deputados do PL 4.302/1998, que libera a terceirização para todas as atividades, sem quaisquer garantias para os trabalhadores, expor sua posição oficial sobre os efeitos que referido projeto de lei trará ao país e às relações de trabalho no Brasil, caso venha a ser sancionado pelo Excelentíssimo Senhor Presidente da República.

É certo que, atualmente, o Estado Brasileiro já vive um estágio de hiperterceirização, com mais de 12 milhões de trabalhadores terceirizados, o que equivale a cerca de 27% do número total de trabalhadores com contrato de trabalho formalizado. Com a aprovação do PL nº 4.302/1998, a regra será o trabalhador ser terceirizado, invertendo toda a lógica bilateral-protetiva do Direito do Trabalho.

Ao contrário do alegado pelos seus defensores, o incremento da terceirização agravará a crise econômica vivenciada pelo nosso país e contribuirá sobremaneira para o aumento dos índices de desemprego no Brasil, hoje em torno de 13 milhões de pessoas, pois se sabe que os trabalhadores terceirizados enfrentam uma maior rotatividade no emprego, com tempo médio de permanência no trabalho de 2,6 anos, enquanto os trabalhadores diretos ficam, em média, 5,8 anos no mesmo posto.

É público e notório que a terceirização, de um modo geral, tem causado a degradação das relações de trabalho no Brasil, com redução significativa dos direitos dos trabalhadores e da qualidade do emprego. A estratégia de otimização dos lucros mediante a terceirização está fortemente baseada na precarização do trabalho. A presença de um terceiro, no caso a empresa terceirizada, entre a empresa tomadora-contratante e o trabalhador, certamente gerará uma significativa redução de salários e benefícios e de investimentos em qualificação profissional e em saúde e segurança do trabalho, tendo em vista que ambas as empresas terão que obter lucro nessa relação trilateral, que só acontecerá à custa dos direitos dos trabalhadores terceirizados, fato que causará certamente o empobrecimento geral da classe trabalhadora e uma ainda maior concentração de renda no nosso país.

Dentre seus principais efeitos danosos para os trabalhadores brasileiros encontram-se o descaso com as condições de saúde e segurança no trabalho, a redução de direitos, a exigência de jornadas excessivas ou superiores aos limites legais, a maior rotatividade no emprego e a dispersão e falta da representatividade sindical.

Os acidentes e as mortes no trabalho são a faceta mais terrível da terceirização no país. Dados estatísticos comprovam que os trabalhadores terceirizados estão muitos mais sujeitos a infortúnios no local de trabalho do que os trabalhadores contratados diretamente. De cada 10 acidentes de trabalho, 8 acontecem com terceirizados; de cada 5 mortes por acidente de trabalho, 4 são de terceirizados. A falta de investimento em segurança e de treinamento e a pouca capacidade técnica e econômica das empresas contratadas são os principais fatores. Setores como o da construção civil, o petrolífero e o elétrico estão dentre os campeões de acidentes de trabalho entre terceirizados. Apenas em 2011, das 79 mortes corridas no setor elétrico, 61 foram de trabalhadores de empresas terceirizadas (dados da Fundação Comitê de Gestão Empresaria – COGE). Esses números alarmantes impactam profundamente nos cofres do Sistema Único de Saúde e da Previdência Social, gerando gastos com atendimentos hospitalares e com pagamento de benefícios previdenciários, impactando negativamente todo o sistema de Seguridade Social.

Além de estarem muito mais sujeitos a acidentes e mortes no trabalho, o tratamento discriminatório conhecidamente dispensado aos trabalhadores terceirizados faz com que a remuneração destes seja, em geral, bastante inferior àquela paga aos trabalhadores diretos (em média, 25 a 30% a menos), mesmo quando estes possuem a mesma qualificação acadêmica dos não terceirizados.

Não bastasse a remuneração bem menor, os trabalhadores terceirizados realizam uma jornada de trabalho semanal de 3 horas a mais do que os trabalhadores diretos.

Além de todos esses prejuízos sociais, a terceirização indiscriminada, liberada com a aprovação do PL 4.302, trará como consequência, caso não vetada, a não inclusão social de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, vez que com a pulverização do desenvolvimento das atividades da empresa tomadora mediante contratação de empresas terceirizadas, haverá muito menos empresas com mais de 100 funcionários, aquelas que, por força do art. 93 da Lei nº 8.213/1193, tem a obrigação legal de contratar pessoas com deficiência, o que gerará ainda mais exclusão social a esses cidadãos.

Não bastassem esses efeitos maléficos para os trabalhadores, ao permitir a terceirização sem quaisquer limites e garantias, o PL 4.302 agravará ainda mais a crise econômica e de arrecadação do Estado, pois, ao permitir a redução material de direitos e benefícios, mediante a diminuição significativa da renda do trabalhador, acarretará a redução da arrecadação de impostos. Além do mais, o projeto trará como consequência o aumento da sonegação fiscal e do não recolhimento de impostos, tendo em vista ser comum que as empresas terceirizadas, por não possuírem, em geral, uma razoável capacidade econômica, acabam por não honrar todos os compromissos fiscais, trabalhistas e previdenciários.

A aprovação do PL 4302 também permitirá a terceirização irrestrita no serviço público, em clara burla à regra constitucional do concurso público, o que trará, sobremaneira, uma diminuição da eficiência do Estado, já tão deficiente na prestação de serviços, vez que se sabe que, em muitas das vezes, o trabalhador passa a prestar serviços para o Estado com o pagamento de alguma “dívida” de campanha, sendo seu compromisso como seu padrinho político, em detrimento do interesse público. Fora isso, há casos em que a terceirização no serviço público tem sido utilizada para irrigar campanhas de políticos como uma “troca” pelo fechamento de contratos com o Poder Público, situações que possivelmente aumentarão nesse novo cenário.

Assim, considerando a experiência e a forte atuação da ANPT, do MPT e dos seus procuradores no âmbito da terceirização, não há dúvidas de que a aprovação do PL nº 4.302/1998, ou seja, liberando a terceirização para quaisquer das atividades das empresas e do Estado, incrementará os índices de desemprego no Brasil, possibilitará a redução material de direitos dos trabalhadores brasileiros, dentre eles remuneração e benefícios, e, sobretudo, aumentará os índices de acidentes de trabalho, inclusive fatais, e de doenças ocupacionais no Brasil, o que representará imenso retrocesso social para nosso país, expandindo a desigualdade social presente na sociedade brasileira.

Ante todas essas razões, cabe à Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho, entidade representativa dos membros do Ministério Público do Trabalho, órgão constitucional incumbido da defesa da ordem jurídica trabalhista e dos direitos sociais e individuais indisponíveis dos trabalhadores alertar o Excelentíssimo Senhor Presidente da República das consequências nefastas que o texto do PL 4.302 acarretará ao Brasil e a seu povo, conclamando Sua Excelência a vetar integralmente o referido projeto de lei, preservando, com isso, a dignidade e a vida do trabalhador brasileiro e o valor social do trabalho, fundamentos basilares da República Federativa do Brasil.

 

Brasília-DF, 23 de março de 2017.

Ângelo Fabiano Farias da Costa

Presidente da ANPT

Ana Cláudia Rodrigues Bandeira Monteiro

Vice-Presidente da ANPT





Secretaria de Saúde de Juazeiro divulga segundo edital de convocação do Processo Seletivo

Postado em 24 de março de 2017 por Josélia Maria

Plinio Amorim – Secretário de Saúde de Juazeiro

A Secretaria de Saúde de Juazeiro divulgou, nesta quinta-feira (23), o segundo edital de convocação do Processo Seletivo Simplificado nº 001/2016. Os candidatos chamados devem apresentar a documentação entre os dias 30 e 31 de março, no auditório da Sesau, localizado no 1º andar da Rua 15 de Julho, nº 32, Centro. O horário de entrega varia de acordo com a função, e pode ser conferido no Edital n° 002/2017.

Nessa lista, 114 candidatos foram convocados para os cargos de: Recepcionista, Pintor, Gesseiro, Soldador, Enfermeiro, Enfermeiro de PSF, Auxiliar de Lavanderia, Técnico em Radiologia, Médico Veterinário, Médico Cirurgião Cabeça e Pescoço, Médico Otorrinolaringologista, Médico Reumatologista, Médico Urologista, Médico Auditor, Médico Endocrinologista, Médico Hematologista, Médico Psiquiatra. Os salários variam de R$ 888,00 e R$ 8.314,00.

Conforme o edital de convocação n° 002/2017, os documentos que devem ser apresentados são: documento emitido por órgão competente, comprovando que o candidato é brasileiro nato ou naturalizado e que possui, no mínimo, 18 anos; comprovante de quitação com o Serviço Militar (para homens); comprovante de que está em dia com as obrigações eleitorais; atestado de aptidão física e mental, emitida por um médico do trabalho, declaração do INSS atestando que o candidato não é aposentado; certidão de antecedentes criminais; declaração de não acumulação de cargos públicos, conforme os modelos dos Anexos III e IV; e declaração de bens, conforme o Anexo V.

Ainda segundo o edital, o candidato que não apresentar a documentação no prazo estipulado para admissão, será automaticamente excluído do Processo Seletivo. Confira a lista de classificados acessando





Dor da crise gera desabafo

Postado em 24 de março de 2017 por Josélia Maria

Blog do Magno

Uma frase do governador Paulo Câmara (PSB), na entrevista que concedeu aos companheiros Nill Júnior e Anchieta Santos, da Rádio Pajeú, ontem, Afogados da Ingazeira, chamou a atenção de muita gente. “Pernambuco não caiu, está em pé”, disse quando se deteve a uma análise mais demorada sobre os efeitos das consequências da crise nos Estados.

Traduzindo para um bom português, o que Câmara quis dizer foi que, apesar do tsunami na economia nacional, que arrastou sete Estados para o fundo do poço, Pernambuco resiste sem maiores efeitos colaterais graças a uma série de medidas tomadas por ele, com a experiência que acumulou de secretário da Fazenda e da Administração na gestão Eduardo Campos, para o Estado não sucumbir também.

O governador, apesar de todos os percalços, não atrasa salários, como a maioria dos Estados, e teve até a ousadia de conceder reajuste para algumas categorias, como a Polícia Civil e o acordo recente com a Polícia Militar. Pode até não ser lá essas coisas, mas em meio à brutal recessão que provocou tempos bicudos é algo digno de ser comemorado.

Se alguém acha que não é nada, mas obrigação do Estado, o Rio de Janeiro, que já foi um Estado rico e próspero, está dividindo o salário mês a mês dos servidores e o 13º salário, obrigado a ser pago em duas parcelas, foi rateado em 12 parcelas. Pernambuco não é uma ilha, mas, segundo o governador, está fazendo o dever de casa para escapar das garras da crise.

“É a maior crise da história da República”, disse Câmara, adiantando que tem trabalhado muito nos últimos dias para tentar deixar o Estado de pé. “Já tem muita gente ai caindo e para não cairmos também é preciso recorrer ao remédio mais adequado que é economizar e usar o pouco que tem em prioridades”, afirmou.

Por onde passou ontem, na primeira edição do novo modelo de seminários, o governador acabou sendo muito questionado, como se previa, sobre o agravamento da violência no Estado. “A violência é o maior desafio de todos os gestores. Nós estamos enfrentando com todas as nossas armas disponíveis”, disse. Para ele, não foi surpresa as cobranças por medidas para eficazes, capazes de não comprometer por inteiro o Pacto pela Vida, porque há de fato um crescimento da violência que precisa ser enfrentado.





Delator revela repasses para “conta” de Lula

Postado em 24 de março de 2017 por Josélia Maria

O Estado de S.Paulo – Erich Decat Ricardo Galhardo

Marcelo Odebrecht, herdeiro e ex-presidente do grupo que leva seu sobrenome, apresentou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) documentos que apontam o detalhamento da suposta movimentação da conta-corrente do Setor de Operações Estruturadas – o departamento da propina – realizada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A informação consta de trechos das declarações divulgadas nesta quinta-feira, 23, pelo site O Antagonista. Entre os documentos está uma curta planilha em que aparece o codinome “Amigo”, que seria uma referência a Lula.

A lista revela que, em 22 de outubro de 2013, o saldo de “Amigo” era de R$ 15 milhões. Já em 31 de março de 2014, o valor passou para R$ 10 milhões – não foi explicado o que foi feito com R$ 5 milhões.

Ao falar sobre o gerenciamento da conta com recursos repassados para as campanhas de Lula e da presidente cassada Dilma Rousseff, Marcelo afirmou que foi o ex-presidente quem indicou o ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci para ser o administrador da conta-corrente irrigada por recursos de caixa 2. “Eu falei com ela (Dilma)… Olha, presidente, em 2010, 2009, em 2010, eu falei: presidente, tudo eu estou tratando com o Palocci, era o meu combinado com o Lula, tá ok? Ela falou: Tá ok”, disse o delator.

Leia mais: Delator revela repasses para ‘conta’ de Lula





Sobe veto à carne, cai perspectiva de retomar economia

Postado em 24 de março de 2017 por Josélia Maria

Nelson de Sá – Folha de S.Paulo – (Toda Mídia)

Bloomberg deu que a Arábia Saudita suspendeu a carne brasileira. E jornais do Caribe noticiam que por lá o veto já abrange Jamaica, Trinidad e Tobago, Granada, Barbados, Bahamas, Santa Lúcia, Ilhas Virgens etc.

“New York Times” usou uma frase de ministro brasileiro em título, “Escândalo da carne é soco no estômago”, e citou a crise como “retrocesso no esforço por reviravolta” na economia.

No “Financial Times”, “Crise da carne traz fedor mais amplo no setor empresarial brasileiro”.

A revista “The Economist”, que vinha apostando nas reformas do país, vai pelo mesmo caminho, com o cabeçalho “Carne morta” e o título “Escândalo no Brasil prejudica duas de suas maiores empresas”. Diz que as “gigantes” JBS e BRF precisarão cortar preços para não perder mercado.

Bloomberg, em análises, diz “por que essa história é tão importante” (Brasil responde por 20% da carne bovina e 40% do frango exportados) e avalia que “deixa o mundo com fome de frango” (alternativa seria comprar dos EUA, mas lá aflorou gripe aviária).





Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina fortalece diálogo com a Secretaria de Saúde de Santa Maria da Boa Vista

Postado em 23 de março de 2017 por Josélia Maria

A diretora de Atenção à Saúde do Hospital Dom Malan/IMIP, Tatiana Cerqueira, recebeu na tarde desta quarta-feira (22), a secretária de saúde de Santa Maria da Boa Vista, Michelly Bezerra, e a coordenadora de enfermagem do Hospital e Maternidade Municipal Monsenhor Ângelo Sampaio, Franceny Diniz, para um diálogo sobre a assistência prestada em rede à gestante e à criança. No encontro foram discutidos pontos importantes, como a necessidade de uma regulação responsável e uma parceria para treinamentos que serão ofertados pelo Dom Malan.
 
Sobre a situação específica de Santa Maria, a secretária pontuou que, mesmo com todas as deficiências, o hospital/maternidade realiza um grande número de partos e tem como objetivo se tornar referência para a gestação de risco habitual na região. Para isso, o município precisará contar com algumas ajudas, entre elas a do HDM.
 
“Recentemente, nós recebemos a visita da Rede Cegonha e houve uma indicação para que nos tornássemos referência para o baixo risco. Então, estamos correndo atrás e acreditamos que dessa forma poderemos desafogar um pouco o Dom Malan, já que seremos mais resolutivos. Além disso, nessa visita, estamos fechando uma parceria para a capacitação e a formação dos nossos profissionais.”, adiantou durante a reunião.
 
A diretora de Atenção à Saúde assinalou positivamente e deixou claro que o hospital materno/infantil está de portas abertas para receber a demanda. “Nós podemos realizar capacitações na área de ginecologia/obstetrícia, pediatria e neonatologia. Inclusive, essa semana, nós também firmamos uma parceria com a secretaria de saúde de Juazeiro que nós enviará, em breve, profissionais para formação na área de enfermagem obstétrica. Esperamos também poder contribuir com Santa Maria”, ressaltou.
 
De acordo com Tatiana, esse estreitamento de laços com a Rede Interestadual de Saúde do Médio São Francisco (Rede PEBA) é de extrema importância. “Somos o único hospital materno/infantil de referência para 53 municípios, que abrange uma população de mais de 2 milhões de habitantes. Então, precisamos discutir alguns fluxos e melhorar a comunicação, para que dessa forma possamos avançar. Sabemos que o momento é de dificuldade para todos os serviços de saúde, mas se trabalharmos juntos podermos fazer a diferença”, acredita a diretora.
 
Inclusive, a fluidez desse diálogo pode melhorar o processo de regulação. “Esse foi o segundo ponto do nosso encontro, e acredito que até o mais importante, já que muitas vezes o paciente é enviado pelos municípios ao Dom Malan sem um encaminhamento correto. Para tentar minimizar esse problema, nós estamos sugerindo o preenchimento de um protocolo, além da guia de regulação que às vezes pode demorar a sair”, acrescentou.
 
Para Tatiana, o ideal que é esse tipo de encontro fosse feito com todos os municípios da Rede PEBA. “Sabemos que o número é grande, mas sempre que possível, e desde que tenhamos demanda, nós convidaremos os parceiros”, garante.