Destaques

Paulo Câmara inaugura Forte Santo Inácio de Loyola e fortalece política habitacional no Litoral Sul do Estado

Além da entrega do equipamento Patrimônio Cultural do Estado, o governador também entregou 135 e ...

Andreá Lossio parabéns por hoje, felicidade para sempre

Andréa, a blogueira e Júlia Andréa, “Que o seu dia seja tão lindo quanto o seu sorriso e l ...

Ministros retomarão mandato na Câmara para votar contra denúncia

G1 Os ministros licenciados do mandato de deputado federal retornarão à Câmara para votar contra ...

Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress Hospedagem WordPress Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
RADIO WEB JUAZEIRO
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Lista de Links

Paulo Câmara inaugura Forte Santo Inácio de Loyola e fortalece política habitacional no Litoral Sul do Estado

Postado em 28 de julho de 2017 por Josélia Maria

Além da entrega do equipamento Patrimônio Cultural do Estado, o governador também entregou 135 escrituras de propriedade a moradores de comunidade local
 
Visando fortalecer o turismo do Litoral Sul do Estado, o governador Paulo Câmara esteve neste município, nesta quinta-feira (27.07), para inaugurar as obras de requalificação do Forte Santo Inácio de Loyola – Patrimônio Cultural do Estado de Pernambuco. Além de preservar a história do povo pernambucano, a restauração do equipamento irá gerar emprego e renda para a população da região. Ao todo, foram investidos R$ 9,7 milhões nas obras – realizadas pelo Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Na ocasião, o chefe do Executivo estadual também realizou a primeira ação de regularização fundiária do Litoral Sul, com a entrega de 135 escrituras de propriedades à comunidade Tamandaré Centro.
 
“Temos que preservar o que é importante para a história do nosso povo. Esse forte faz parte da história de Pernambuco. É uma obra antiga, do século 17, que nos remete à igualdade e respeito pelas pessoas. Esse instrumento de turismo vai gerar emprego, renda e desenvolvimento não apenas para Tamandaré, mas para todo o Litoral Sul do Estado”, destacou o governador Paulo Câmara, acrescentando que, mesmo diante da crise pela qual o Brasil passa atualmente, o Governo do Estado não vai parar de realizar ações. “Muito ainda tem que ser feito. Os momentos são difíceis, mas, com trabalho, vamos continuar a avançar e melhorar a vida do povo, indo aos municípios e levando ações em favor de Pernambuco”, completou.
 
O prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker, agradeceu o empenho do Governo de Pernambuco em investir no Turismo da região, pontuando que o esforço nesse sentido continuará. “Gostaria de agradecer toda a dedicação por Tamandaré. E quero afirmar ao povo que o investimento nesse setor não vai parar. Estamos com planejamentos na área para trazer novos investimentos e gerar mais emprego e renda para a população”, afirmou.
 
O secretário de Turismo, Esportes e Lazer, Felipe Carreras, destacou a importância da requalificação do equipamento, frisando que a obra simboliza a resistência dos pernambucanos. “Todos do Litoral Sul sabem da importância do Forte, que teve um papel fundamental na Revolução de 1817. Isso mostra, em um momento de crise por que passa o Brasil, que o governador Paulo Câmara valoriza o que temos de mais importante: a nossa história e cultura”, registrou. “Tenho orgulho de fazer parte de um governo que acredita no turismo como um vetor de crescimento econômico. Essa é uma obra que vai ajudar na criação de emprego e renda. Vamos ter, enfim, oportunidade”, acrescentou.
 
Patrimônio Cultural do Estado de Pernambuco, o Forte Santo Inácio de Loyola – único forte pernambucano fora da área metropolitana do Recife, com exceção do Forte de Fernando de Noronha – recebeu diversos reparos. Entre eles, revestimento do teto, passando por climatização e impermeabilizações, urbanismo e tratamento paisagístico. A área interna do equipamento foi transformada em um museu histórico e, agora, é possível visualizar arquivos arqueológicos e artefatos. Para a auxiliar de serviços gerais Marta Verônica, de 51 anos, que nasceu em Tamandaré, a restauração do forte é a realização de um sonho antigo. “Moro aqui desde que nasci, então, sei como ele era antes. Agora, vai ser ótimo porque vai aumentar o turismo da região. Estou orgulhosa e feliz por ver esse sonho sendo realizado”, comemorou.
REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA – Durante a primeira ação de regularização fundiária do Litoral Sul, o governador Paulo Câmara entregou 135 escrituras de propriedades a moradores da comunidade Tamandaré Centro. A ação integra o Programa Meu Imóvel Legal (PMIL), executado pela Pernambuco Participações e Investimentos S/A (Perpart), e tem o objetivo de transferir a propriedade definitiva do terreno, com o registro no Cartório de Imóveis. Ao todo, 700 cidadãos serão beneficiados com essa ação. Com a escritura em mãos, o morador se torna o dono do imóvel e passa a ter acesso a benefícios como financiamentos, linhas de crédito e permissão para vender a casa.
 
“Só quem recebe a escritura sabe da sua importância. É a segurança de ter um imóvel que é seu e que ninguém toma. E, com isso em mãos, vai poder passar para os seus filhos, com a possibilidade de gerar a renda necessária para viver. Esse movimento de regular o título de posse, que fizemos questão de realizar em Tamandaré, vai continuar a acontecer em todo o Estado”, afirmou o governador Paulo Câmara.
 
Diretor-presidente da Perpart, Oscar Victor, registrou a dificuldade da questão da regularização fundiária no País e destacou o esforço do Governo do Estado em atenuar esse quadro. “O governador Paulo Câmara, junto às prefeituras, tem patrocinado esse projeto. Então, é com muita honra e satisfação que entregamos, hoje, essas escrituras. Parabenizo os 135 felizardos, que, agora, terão um patrimônio de fato e de direito, que agora poderão deixar para os seus descendentes”, pontuou.
 
10ª CIPM – Durante passagem pelo município de Tamandaré, no Litoral Sul do Estado, nesta quinta-feira (27.07), o governador Paulo Câmara, acompanhado do secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, também visitou o local onde será a sede provisória da 10ª Companhia Independente da Polícia Militar de Tamandaré (10ª CIPM). O equipamento contará com um efetivo de 250 policiais, fortalecendo a segurança pública nas cidades de Tamandaré, Sirinhaém, Rio Formoso, Barreiros e São José da Coroa Grande. Ao todo, esses municípios abrigam cerca de 154 mil pessoas – podendo triplicar no verão com a procura intensa pelas praias da região.
 
“Sabemos que o desafio da segurança é enorme e nos inquieta todo dia. Com a chegada dessa Companhia Independente, teremos mais gente nas ruas atuando decisivamente contra o tráfico de drogas, contra o crime organizado. Nosso trabalho será incansável para restabelecer a paz em Pernambuco e para dar condições de um futuro melhor para todos os pernambucanos”, afirmou o governador Paulo Câmara.
 
Acompanharam o governador o secretário Alexandre Valença (Micro e Pequena Empresa, Trabalho e Qualificação); os secretários-executivos André Campos (Articulação Parlamentar da Casa Civil) e Manuela Marinho (Prodetur); o deputado federal Danilo Cabral; e os deputados estaduais Aluísio Lessa e Clodoaldo Magalhães.



Governo bahia

Andreá Lossio parabéns por hoje, felicidade para sempre

Postado em 28 de julho de 2017 por Josélia Maria

Andréa, a blogueira e Júlia

Andréa,

“Que o seu dia seja tão lindo quanto o seu sorriso e lhe ofereça tanta felicidade quanto a sua amizade envia para a minha vida. Que esta nova etapa chegue recheada de muita saúde e novas oportunidades para concretizar os seus sonhos mais desejados.

Nunca se esqueça quanto é especial para a minha vida e de tantas outras pessoas. Feliz Aniversário!”

Josélia Maria e família




Governo bahia

Ministros retomarão mandato na Câmara para votar contra denúncia

Postado em 28 de julho de 2017 por Josélia Maria

G1

Os ministros licenciados do mandato de deputado federal retornarão à Câmara para votar contra a denúncia contra o presidente Michel Temer, informa o repórter Nilson Klava, da GloboNews. A votação está marcada para o próximo dia 2 de agosto.

Um dos principais conselheiros do presidente, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, já avisou aliados sobre a decisão do governo.

A estratégia é que os ministros licenciados do mandato fortaleçam o governo na Câmara durante as discussões sobre a denúncia no plenário.

São deputados licenciados os seguintes ministros:
– Antonio Imbassahy, do PSDB (Secretaria de Governo)
– Bruno Araújo, do PSDB (Cidades)
– Maurício Quintella, do PR (Transportes)
– Osmar Terra, do PMDB (Desenvolvimento Social)
– Leonardo Picciani, do PMDB (Esporte)
– Raul Jungmann, do PPS (Defesa)
– Mendonça Filho, do DEM (Educação)
– Ronaldo Nogueira, do PTB (Trabalho e Emprego)
– Ricardo Barros, do PP (Saúde)
– Fernando Coelho Filho, do PSB (Minas e Energia)
– Sarney Filho, do PV (Meio Ambiente)
– Marx Beltrão, do PMDB (Turismo)

A estratégia começou a ser construída na última reunião ministerial, antes do recesso, e voltou a ser tema das inúmeras reuniões no Planalto.

A presença dos ministros no plenário já foi adotada pelo governo em outra ocasião, na votação da reforma trabalhista.




Governo bahia

Publicitário preso seria elo de caixa 2 para FBC e Araújo

Postado em 28 de julho de 2017 por Josélia Maria

Folhapress

Preso  pela Operação Lava Jato junto com o ex-presidente do Banco do Brasil Aldemir Bendine, o publicitário André Gustavo Vieira da Silva aparece nas delações de executivos da JBS como um suposto elo para o pagamento de caixa dois a políticos do Pernambuco, incluindo um senador, um ministro e um governador de Estado.

Segundo o acordo de colaboração premiada fechada com a PGR (Procuradoria Geral da República) pelo diretor de relações institucionais da J&F, que controla a JBS, Ricardo Saud, durante a campanha eleitoral de 2014 a empresa fez pagamentos em esquema de caixa dois tanto para André Silva quanto para uma de suas empresas, a Arcos Propaganda.

O dinheiro, segundo Saud, teve como destino final os seguintes políticos: R$ 1 milhão para o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), pago após a apresentação de uma nota fiscal da Arcos; R$ 2 milhões em espécie “entregues por André Gustavo” no Recife “para Fernando Bezerra”; R$ 1 milhão em espécie entregues pelo publicitário na mesma cidade para o atual governador de Pernambuco Paulo Câmara (PSB-PE); por fim, R$ 200 mil entregues por Silva para “Bruno Araújo [PSDB-PE]”, então deputado federal e hoje ministro das Cidades.

O tucano Araújo ganhou projeção no ano passado por ter sido o autor do voto decisivo, em sessão da Câmara dos Deputados, que autorizou o afastamento da presidente Dilma Rousseff (PT) do seu cargo em processo de impeachment.

Em documento que entregou como parte do seu acordo de colaboração, Saud disse que seguia orientação do empresário da JBS Joesley Batista para “realizar doações a políticos e a partidos políticos”, mas que o “método de pagamento era sempre determinado pelo político, podendo consistir em doação oficial, pagamento de notas fiscais avulsas ou a entrega de dinheiro em espécie”.

Saud afirmou que foi procurado, nas eleições de 2014, por um suposto “interlocutor” do então governador do Pernambuco e candidato à Presidência da República Eduardo Campos (PSB-PE).

Identificado apenas como Henrique, esse homem teria tratado com Saud “os pagamentos que passariam a ser realizados, após autorizados” por Joesley.

Em agosto daquele ano, Campos morreu em acidente aéreo em Santos (SP).

Henrique teria então pedido a Saud que os pagamentos “não fossem interrompidos”. O pedido foi reforçado depois, segundo Saud, durante uma reunião com Joesley e o então prefeito do Recife, Geraldo Julio, e o então candidato a governador Paulo Câmara.

Ao todo, o grupo da JBS pagou R$ 14,6 milhões para os políticos do PSB em doações oficiais, disse o delator.

O restante foi pago “por meio de notas fiscais avulsas”, ou seja, empresas que emitiam notas em favor da JBS ou do grupo, como se tivessem prestado serviços ao grupo empresarial, mas que destinavam o dinheiro para campanhas eleitorais.

Em 2 de setembro de 2014, por exemplo, a Arcos Propaganda emitiu uma nota de R$ 1 milhão “apresentada por Fernando Bezerra”.

A justificativa foi “planejamento, acompanhamento e curadoria” de um “evento “Brasil-China” ocorrido em Brasília em julho de 2014.

Levantamento feito pela reportagem da Folhapress no sistema da Justiça Eleitoral, contudo, não indicou nenhuma prestação de serviços da Arcos nas eleições de 2014.

Da mesma forma, na prestação de contas do deputado Bruno Araújo não consta doação de R$ 200 mil do grupo JBS.

Na prestação de contas de Fernando Bezerra, então candidato ao Senado, aparece uma doação oficial de R$ 1 milhão de uma empresa vinculada à JBS, a Eldorado Brasil Celulose, mas a delação de Saud diz que foram entregues R$ 3 milhões à mesma campanha.

OUTRO LADO

Ouvido pela Polícia Federal no ano passado, Antonio Silva Júnior declarou que não conhecia Casimiro e negou que R$ 3 milhões tenham sido entregues no apartamento em São Paulo. Disse que não tinha conhecimento de nenhum pagamento feito pela Odebrecht no endereço.

No seu depoimento, porém, o taxista Casimiro confirmou ter recebido os pacotes “para atender a pedidos do sr. Antonio”, mas disse que não sabia que se tratava de dinheiro pois os envelopes estavam lacrados. Também confirmou ter depositado R$ 440 mil na conta de Silva Júnior, ato que o publicitário disse à PF desconhecer.

Em recurso protocolado no STF (Supremo Tribunal Federal) antes de sua prisão, André Gustavo assumiu a responsabilidade pelo recebimento de R$ 3 milhões da Odebrecht e disse que seu irmão “desconhece os fatos completamente”. Ele afirmou que o valor se devia a parte de uma comissão por ele cobrada da empreiteira por serviço de “consultoria” para agilizar a liberação de R$ 1,7 bilhão em empréstimos do Banco do Brasil à Odebrecht.

Pelo serviço, o publicitário disse que cobrou 1% do valor total, ou R$ 17 milhões.

No recurso ao STF, ele confirmou que discutiu os interesses da Odebrecht com o então presidente do BB, Aldemir Bendini, ao qual “narrou ter sido sondado sobre o empréstimo da Odebrecht Agroindustrial e colocou a possibilidade de prestar consultoria àquela empresa para auxiliar no assunto”.

Não confirmou, no entanto, que Bendine tenha se beneficiado da “comissão”.

Quando a delação de Saud veio à tona, em maio passado, o governador Paulo Câmara afirmou à imprensa de Pernambuco que se reuniu com executivos da JBS para pedir doações oficiais de campanha, mas os recursos não chegaram. Ele negou quaisquer irregularidades.

“Como candidato ao governo de Pernambuco, em 2014, eu tive encontros empresariais com muitas empresas doadoras. Tive encontros que resultaram em doações oficiais e tive encontros que não resultaram em doações. É verdade que tive encontros com representantes da JBS. Foi quando solicitei contribuição de campanha que não veio, que não chegou na nossa campanha. Isso fazia parte da forma de fazer campanha em 2014, ou seja de arrecadar recursos. Era permitido por lei e foi feito por todos os candidatos”, disse Paulo Câmara, na ocasião.

Na mesma época, a defesa do senador Bezerra Coelho afirmou que todas as doações para a campanha eleitoral de 2014 foram declaradas e aprovadas pela Justiça Eleitoral. Bruno Araújo também divulgou em maio que “todas as doações foram declaradas e aprovadas pela Justiça Eleitoral”.




Governo bahia

Na mira do Supremo

Postado em 28 de julho de 2017 por Josélia Maria

Blog do Magno

O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) voltou a ser alvo de pedido de investigação por parte do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O procurador solicitou ao Supremo Tribunal Federal abertura de novo inquérito para investigar o parlamentar com base na delação da Odebrecht. No pedido, o procurador menciona suspeitas levantadas pelos delatores, que firmaram acordo de colaboração premiada com o Ministério Público Federal.  Segundo Janot, os dois delatores afirmaram que, durante a execução das obras do Cais V e do Píer Petroleiro no Porto de Suape, o senador e o então governador Eduardo Campos “foram beneficiados por propinas paga pelas empreiteiras Odebrecht, OAS e Andrade Gutierrez”.

 




Governo bahia

Casa Nova: Invasão Cultural vai agitar Santana do Sobrado nesta sexta (28/07)

Postado em 28 de julho de 2017 por Josélia Maria

O evento criado pela Coordenação de Cultura da Secretaria de Educação e Cultura do município de Casa Nova, “Invasão Cultural”, que agitou as ruas da cidade, vai acontecer nesta sexta-feira (28/07), em Santana do Sobrado.

Com apresentações de Caretas, palhaços, maracatu, São Gonçalo, samba de véio, coral, músicos, capoeira, artesanato, teatro, dança, vaqueiros e fanfarra, a “Invasão” interage com os espectadores, transmite alegria e promete agitar o distrito inteiro.

Santana do Sobrado vivencia desde domingo a Festa da Senhora Santana e a nossa contribuição para essa tradicional festa é a “Invasão Cultural” – explica o Secretário de Educação Marcos José – “Temos a certeza que as apresentações vão agradar a todos e mostrar a riqueza do folclore e da cultura casanovense. Não deixem de participar, levem os filhos, a família, venham para as ruas” – convida.

A “Invasão Cultural” começa com concentração na Escola Senhora Santana às 14 horas e segue em caminhada até o Patio da Feira.




Governo bahia

Paulo Câmara destaca papel da Sudene para a retomada de crescimento do País

Postado em 27 de julho de 2017 por Josélia Maria

Foto:Wagner Ramos
Governador participou, na manhã desta terça, da 21ª Reunião do Conselho Deliberativo da Sudene, no Recife, que aprovou a utilização do FNE e do FDNE para atração de empresas de defesa e uma nova delimitação do Semiárido 
O governador Paulo Câmara participou, nesta quinta-feira (27.07), da 21ª Reunião do Conselho Deliberativo da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), realizada no Instituto Ricardo Brennand, no Recife. Durante o encontro, o chefe do Executivo estadual destacou o papel da instituição para a superação da atual crise e para a retomada do crescimento econômico do Brasil. Na ocasião, foram aprovadas a utilização dos Fundos Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) e de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE) para a atração de empresas ligadas ao setor de defesa e uma nova delimitação da região do Semiárido brasileiro, com a inclusão de 54 novos municípios em decorrência da seca.
 
“Enfrentamos tempos difíceis há alguns anos, e a Sudene tem um papel que pode ajudar o Brasil a voltar a crescer, voltar a gerar emprego e renda a partir de seus fundos constitucionais, sua integração e a possibilidade do crédito para empresas, como muitas conseguiram e tiveram acesso no último semestre. Nós vemos claramente discussões importantes para o futuro do Brasil que envolvem ações com energia renováveis e na área da defesa”, pontuou o governador.  Além de Paulo Câmara, o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, o ministro Raul Jungmann (Defesa) e representantes dos outros oito Estados do Nordeste estiveram presentes na reunião, coordenada pelo ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho. 
 
Atualmente, O FNE conta com R$ 14,7 bilhões para o Nordeste. Do montante total, cerca de R$ 2,1 bilhões são destinados para empresas interessadas em atuar em Pernambuco. Projetos de infraestrutura na região ainda podem requerir mais R$ 11,4 bilhões. O FDNE dispõe de R$ 1 bilhão a ser utilizado e o limite a ser pedido pelas empresas depende da complexidade cada projeto.
 
Também foi deliberado na reunião do Conselho que produtores com empréstimos para atividades rurais contratados entre o dia 1º de janeiro de 2012 e 31 de dezembro de 2016 podem, agora, renegociar seus débitos. A medida inclui agricultores na área de atuação da Sudene e tem por objetivo minimizar os impactos na produção e renda de agricultores em regiões atingidas por seca ou estiagem.
 
O superintendente da Sudene, Marcelo José Almeida das Neves, destacou o investimento da instituição nas áreas do semiárido e na atração de novas tecnologias que possibilitem o desenvolvimento da região Nordeste. “A Sudene tem incentivado todos os projetos que dizem respeito à captação de investimento para a nossa região, e com uma preocupação muito grande em relação ao semiárido. São cerca de 25 milhões de pessoas que moram em uma região que tem passado por um problema muito sério de seca  e que tem se agravado nos últimos anos”, apontou. 
 
CONDEL – O Conselho tem como um dos principais objetivos acompanhar e avaliar a execução do plano e dos programas regionais do Nordeste, além de determinar as medidas de ajustes necessárias ao cumprimento dos objetivos, diretrizes e metas do Plano Regional de Desenvolvimento da região. Neste ano, a reunião foi pautada com o tema principal de estruturar projetos voltados para o e desenvolvimento da região do Semiárido, além de votar projetos que contribuam com a necessidade de atrair investimentos das mais variadas áreas para o Nordeste, incluindo também ações para estruturar programas de reaproveitamento de resíduos sólidos (inclusive para produção de energia). 



Governo bahia

VEJA O COMENTÁRIO POLÍTICO DA BLOGUEIRA/RADIALISTA

Postado em 27 de julho de 2017 por Josélia Maria




Governo bahia