.
.

Renata Campos deve ser convidada para secretariado de Paulo Câmara

Foto: Luiz Pessoa/NE10

Viúva do ex-governador Eduardo Campos, falecido em um acidente aéreo em plena campanha presidencial, a ex-primeira-dama de Pernambuco Renata Campos deve ser convidada pelo governador eleito Paulo Câmara (PSB) para integrar o secretariado estadual em uma das pastas voltadas para a área social. A informação é da jornalista Sheila Borges, colunista de Política do Jornal do Commercio.

De acordo com a coluna, Paulo Câmara, que é afilhado político de Campos, teria confidenciado a aliados que espera contar com a participação de Renata no governo. Durante a gestão Eduardo Campos, a ex-primeira-dama chegou a coordenar o programa Mãe Coruja, do Governo do Estado, que busca reduzir a mortalidade materna e infantil.

A coluna diz ainda que Paulo Câmara deve conversar com Renata sobre o modelo de gestão que quer implantar para dar continuidade ao trabalho de Eduardo. Um dia após o enterro do ex-governador, Renata chegou a reunir o PSB para pedir empenho na campanha de Câmara.

A ex-primeira-dama também participou de alguns atos de campanha e até gravou imagens para o guia eleitoral socialista. Os filhos mais velhos dela e de Eduardo também chegaram a participar. Segundo a coluna, porém, eles não devem ocupar nenhum cargo no secretariado para poder terminar os estudos.

Paulo Câmara já prometeu concluir até o final do mês uma reestruturação do organograma do Estado e anunciar a equipe de secretários até a primeira quinzena de dezembro.

Governador eleito com a maior votação do País, Paulo Câmara teve o apoio de 68% do eleitorado pernambucano na eleição, marcada por um forte sentimento de comoção após a morte de Campos. O adversário dele na disputa, o senador Armando Monteiro Neto (PTB), conseguiu apenas 31%, mas foi convidado pela presidente Dilma Rousseff (PT) para ser o novo ministro do Desenvolvimento.

Primeira mulher a presidir nacionalmente o PCdoB

Do Diario de Pernambuco – Aline Moura

A deputada federal Luciana Santos, inicialmente cotada para o primeiro escalão de Dilma Rousseff (PT), será a primeira mulher a comandar nacioanalmente o PCdoB e a primeira de Pernambuco a ter esse status num partido histórico do país. 

Aos 48 anos, a deputada espera fazer parte das reformas do governo Dilma Rousseff (PT), mas na base aliada e com posições independentes, quando a sigla achar necessário. O PCdoB é uma legenda considerada histórica, segundo Estatuto registrado no TSE, com quase 100 anos. Embora exista uma disputa simbólica pelo centenário com o PCB, os comunistas do Brasil têm 92 anos e ressaltam ter origem em março de 1922, ficando muito tempo na clandestinidade.

Em entrevista ao Diario, Luciana Santos falou sobre os desafios e também considerou cedo especular sobre o futuro de Luciano Siqueira (PCdoB), vice-prefeito do Recife. Embora Luciano tenha ficado numa posição antagônica à de Geraldo Julio (PSB) na eleição presidencial deste ano – o primeiro defendia a reeleição de Dilma, o segundo, a vitória de Aécio Neves (PSDB) – ela ressaltou ser antecipado para falar de rompimento entre as duas siglas. Pelo contrário, aposta numa reaproximação do PSB com as forças ditas de esquerda.

A indicação de Luciana para o comando nacional do PCdoB, por consenso, é a quebra de um tabu numa linha do tempo dominada por homens. Atualmente, existem 32 partidos registrados no Tribunal Superior Eleitoral e apenas um, o PMN, é presidido por uma mulher, Telma Ribeiro dos Santos. A deputada reeleita assume a legenda a partir de março do próximo ano

Com 11 vitórias na temporada 2014, Hamilton conquista segundo título da F1 de forma incontestável

Incontestável. Não há outra palavra para definir o título mundial de um piloto que ganhou 11 de 19 corridas em uma temporada. Com todos os méritos, Lewis Hamilton lutou contra uma série de contratempos nos últimos oito meses para chegar à corrida decisiva, em Abu Dhabi, com uma confortável vantagem de 17 pontos para Nico Rosberg. E, com o triunfo deste domingo (23), o inglês coroou um ano quase perfeito com a conquista do bicampeonato da F1 no luxuoso circuito da Marina de Yas.

Estava claro desde os primeiros dias da pré-temporada que a disputa pelo Mundial de Pilotos se resumiria aos dois representantes da Mercedes. Com o imensamente superior F1 W05 Hybrid, Hamilton e Nico Rosberg tiveram o prazer de disputar o campeonato de 2014 com um carro vencedor de nada menos que 16 corridas. A dupla quebrou o recorde de dobradinhas, de pódios e de vitórias de uma mesma equipe na categoria.

Entretanto, apesar de ter chegado à Austrália com aquela excelente sensação de saber que tinha a melhor oportunidade da vida para buscar o bicampeonato, Hamilton de cara levou um susto. Depois de suar para assegurar a pole-position na chuva em Melbourne, Lewis abandonou ainda nas primeiras voltas com uma falha em um cilindro. De repente, a toda poderosa Mercedes da pré-temporada mostrava que não era infalível — e falhas de confiabilidade voltaram a se repetir ao longo do ano.

A recuperação do infortúnio do Albert Park não poderia ser melhor. Sempre com Rosberg em segundo, Hamilton emplacou quatro vitórias consecutivas. No Bahrein, deu uma verdadeira aula de direção defensiva para conter os ferozes ataques do alemão e cruzar a linha de chegada metros à frente. Na Espanha, recebeu a bandeirada enxergando o bico do carro #6 pelo retrovisor, mas outra vez soube controlar muito bem a situação.

A quarta vitória seguida, no GP da Espanha, fez Hamilton parecer imbatível (Foto: Getty Images))© Fornecido por Grande Prêmio A quarta vitória seguida, no GP da Espanha, fez Hamilton parecer imbatível (Foto: Getty Images))

Essa sequência implacável de vitórias virou o jogo e o colocou na liderança do campeonato pela primeira vez. E, com a F1 rumando para o Principado de Mônaco para a sexta etapa do ano, a pergunta que se fazia era: Rosberg daria conta de segurar Hamilton?

Nenhum piloto que venceu quatro vezes seguidas perdeu um campeonato, mas a questão, naquele momento, era saber se uma eventual quinta vitória liquidaria de vez Rosberg, que ficaria sem saber o que fazer para superar o britânico.

Os fatos vivenciados em Monte Carlo, porém, viraram o jogo outra vez a favor de Nico — e assim tudo continuou por um bom tempo.

Com a pole provisória assegurada no Q3, Rosberg saiu da pista na curva Mirabeau e provocou as bandeiras amarelas que não deixaram Hamilton tentar baixar sua marca. Para ele, estava claro: a travada de roda fora proposital. Outrora amigos de infância, os dois pilotos entraram em um conflito que durou meses para acalmar.

No domingo, Rosberg pilotou sem cometer erros e recuperou o momento e a liderança do campeonato. Roubou a pole de Hamilton em um circuito que o inglês domina, o de Montreal, e liderou a prova até as duas Mercedes começarem a sofrer de falhas nos freios. Terminal, o problema de Hamilton o fez abandonar, enquanto Rosberg se arrastou na pista segurando uma fila de carros até ser ultrapassado por Daniel Ricciardo a duas voltas do final. De qualquer forma, marcou 18 pontos a mais que o rival. Na Áustria, tornou a levar a melhor. Quarto no grid na pior classificação da Mercedes no ano, liderou mais uma dobradinha da equipe.
A seguir, o GP da Inglaterra serviu para reanimar Hamilton, que carregava uma cara amarrada desde a polêmica de Mônaco. Foi, também, a primeira falha de confiabilidade que realmente custou caro para Rosberg: o câmbio o tirou da liderança e deixou Lewis, que errara feio ao subestimar a evolução da pista molhada no treino classificatório, fazer a festa diante de sua torcida.

Duas semanas depois, na Alemanha, a sorte virou outra vez a favor de Nico. Uma quebra no disco de freio de Hamilton no início da classificação o fez bater forte no estádio de Hockenheim. Partindo do fim do grid, conseguiu se recuperar até a terceira posição, fechando atrás de Valtteri Bottas. Na semana seguinte, na Hungria, teve ainda mais azar: seu carro pegou fogo durante o Q1 e o obrigou a largar dos boxes — Rosberg mais uma vez estava na pole.

Mas o que se viu no GP da Hungria foi o acirramento de uma tensão que culminou, um mês depois, naquilo que Deus e o mundo esperavam desde a primeira prova: um toque.

Em dado momento da prova húngara, Hamilton recebeu dos boxes uma ordem para permitir a passagem de Rosberg. A equipe queria garantir a vitória na corrida, desconsiderando a briga pelo título. Inteligentemente, o inglês desobedeceu. No fim, Ricciardo venceu, mas Hamilton conseguiu transformar o incêndio do sábado em um ganho de três pontos no campeonato ao fechar o pódio.

A Mercedes se reuniu e determinou que ambos os pilotos cumprissem as ordens dali até o fim do ano, embora tenha reconhecido que foi afobada naquela decisão. E assim o povo foi de férias para só se reencontrar em Spa. Lá, na segunda volta, Rosberg tentou forçar uma ultrapassagem sobre Hamilton. Não houve espaço para ele, que não quis saber de tirar o carro e evitar o toque. Hamilton, com um pneu furado, caiu na prova e nem na zona de pontuação ficou. Nico trocou o bico, mas seguiu na disputa e fechou em segundo. 18 pontos a mais na conta.

Só que Rosberg acabou condenado. Não pelos comissários, mas pela Mercedes e pela opinião pública. E, daquele ponto do campeonato em diante, entrou em declínio.
Hamilton, que costumava ser rotulado como alguém que se abalava emocionalmente com certa facilidade, cresceu a partir daquilo e ganhou em Monza (induzindo o rival ao erro), em Cingapura (prova que Rosberg abandonou), em Suzuka (com uma ultrapassagem de classe), em Sochi (tranquilamente) e em Austin (assumindo um calculadíssimo risco para tomar a ponta).

Ao longo de tudo isso, Hamilton cometeu pouquíssimos erros — e nenhum que custou caro. Na verdade, foi é prejudicado por fatores que fugiram ao seu controle. Mas pelo desempenho impressionante e, acima de tudo, pelo amadurecimento que o piloto mostrou ao longo do ano, dá para dizer sem medo de errar que a conquista do segundo Mundial de Pilotos da carreira foi mais do que justa.

Lewis Hamilton GP de Abu Dhabi 2014© Grande Prêmio Lewis Hamilton GP de Abu Dhabi 2014

valemix

Seu Lunga – Entrevista inédita

Publicado em 26 de junho de 2013

“Seu Lunga” é conhecido pela falta de paciência nas respostas; diversos contos, de autenticidade não comprovada sobre seu mau humor circulam na Internet.
Recebeu o apelido de uma vizinha, que passou a chamá-lo de Calunga, mais adiante reduziu para Lunga. É considerado pela população de Juazeiro do Norte, Ceará, uma lenda viva. A entrevista foi gravada em abril de 2013.
Reportagem: Kleyton Nunes Apoio técnico: Z7 Filmes

.

Piadas atribuídas a seu Lunga

_MG_4574

- Seu Lunga estava em sua casa, com sede. E manda seu sobrinho lhe trazer um pouco de leite. Daí o pobre do garoto pergunta: “No copo?” “Não. Bota no chão e vem empurrando com o rodo”.

- Seu Lunga estava no mercado com uma caixa de ovos. Daí perguntaram a ele: “Comprando ovos seu Lunga?” E ele responde: “Não, jogando um por um no chão. É traque de massa”. E joga os ovos no chão.

- Seu Lunga estava passeando na calçada com o cachorrinho. E lhe perguntam: “passeando com o cachorrinho, seu Lunga?” E Seu Lunga respondeu. “Não. É meu passarinho”, pegando o pobre poodle pela coleira e o fazendo voar.

- Seu Lunga vai saindo da farmácia, quando alguém pergunta: “Tá doente, seu Lunga”? E ele responde: “Quer dizer que se eu fosse saindo do cemitério eu tava morto?”

- O funcionário do banco veio avisar: “Seu Lunga, a promissória venceu”. E ele respondeu: “Meu filho, pra mim podia ter perdido ou empatado. Não torço por nenhuma promissória”.

- Um rapaz entrou em sua loja e disse: “Seu Lunga, tem pregos tamanho pequeno?”. E ele respondeu: “Tá aí no meio”, aponta para a caixa. E o rapaz procura, procura e não acha. Seu lunga resolve procurar e acha o prego tamanho pequeno. E o rapaz diz: “Obrigado”. E ele responde: “Nada disso. Agora você vai ter que procurar”, e devolve o prego à caixa.

Fonte:Poder On Line

.

‘Seu Lunga’ morre aos 87 anos em Barbalha, no Ceará

Joaquim dos Santos Rodrigues ganhou fama com respostas ao “pé da letra”.
É um dos personagens populares da cultura nordestina.

seu_lunga

“Seu Lunga” em imagem de julho de 2013 (Foto: Lucas de Menezes/Agência Diário)

Do G1 CE

Joaquim Santos Rodrigues, o “Seu Lunga”, morreu por volta das 9 horas deste sábado (22) na cidade de Barbalha, no Cariri cearense.

O cearense é um dos mais folclóricos nomes da cultura popular nordestina. Tornou-se personagem de inúmeras anedotas por suas respostas ao ”pé da letra”, diretas e intempestivas.

Pai de 13 filhos, natural do Cariri, da cidade de Caririaçu, “Seu Lunga” viveu em Assaré e, desde a adolescência, em Juazeiro do Norte. Ele Tinha 87 anos e estava internado no Hospital São Vicente de Paulo, onde se tratava de um câncer de esôfago.

.

Paulo Câmara deve convocar quatro ou seis deputados

Paulo Câmara Gov sobre Sec

Para dar o perfil político ao secretariado, o governador eleito Paulo Câmara (PSB) deverá convocar entre quatro e seis deputados eleitos para Câmara Federal e Assembleia Legislativa. Nos bastidores, alguns nomes começam a ser cogitados para integrar o primeiro escalão do governo estadual a partir do próximo ano. Além do tom político que os deputados darão à equipe, a convocação dos parlamentares vai provocar uma arrumação de aliados que não foram eleitos e estão na lista da suplência. Os nomes de Felipe Carreras (PSB) e Danilo Cabral (PSB) são  vistos como certos  para integrar o secretariado.

Felipe Carreras era secretário de Turismo da Prefeitura do Recife até abril. Seu retorno ao Executivo municipal é minimizado nos bastidores. A avaliação é que, com a boa votação que teve (187 mil votos), uma vaga na Prefeitura não teria o mesmo peso que o secretariado estadual. O entendimento é que o socialista deve ter um lugar de destaque a partir do próximo ano, já que o nome de Felipe é bem avaliado no partido para futuras disputas majoritárias. O posto que ele irá ocupar na gestão estadual, no entanto, ainda é incerto. A aposta é que ele irá comandar uma grande secretaria caso seja convocado.

Também eleito para Câmara Federal, o deputado Danilo Cabral é outro cotado para o primeiro escalão de Paulo Câmara. O socialista tem uma boa relação com o governador eleito desde o tempo em que trabalharam no Tribunal de Contas do Estado. Danilo também tem experiência no secretariado estadual – foi titular da pasta de Educação e Cidades nos dois mandatos do ex-governador Eduardo Campos. Para integrantes da Frente Popular, ainda é possível que Paulo convoque mais um deputado federal para viabilizar o retorno de mais um suplente. Com três convites, seria possível beneficiar Augusto Coutinho (SDD), Fernando Monteiro (PP) e Cadoca (PCdoB).

Na Assembleia, o cenário é mais incerto. Os nomes de  Waldemar Borges e Aluísio Lessa, ambos do PSB, são vistos como boas opções, já que eles também possuem experiência no primeiro escalão. Ambos foram secretários do Articulação Social no governo de Eduardo Campos em um dos mandatos. O convite vai depender da disputa pela presidência da Assembleia Legislativa. Os dois são cogitados, mas existe o interesse de Guilherme Uchoa (PSB) renovar a função.

Do JC Online

- See more at: http://www.blogdopaulo.com.br/paulo-camara-deve-convocar-quatro-ou-seis-deputados/#sthash.8xDpI6IE.hGV1UpzD.dpuf

.

Deputado Lucas Ramos participa de debate na CBN

CBN1

Em entrevista ao jornalista Aldo Vilela, no programa CBN Total, da Rádio CBN Recife, nesta quinta-feira (21), o deputado estadual eleito Lucas Ramos (PSB), falou da trajetória da campanha, sobre como conduzirá o seu mandato, além de agradecer os 58.515 votos obtidos.

“Temos por obrigação trabalhar por todo Pernambuco. Dar condições para o governador Paulo Câmara atuar da melhor forma. Discutir e garantir orçamento para que ele possa investir em obras públicas, que tragam a melhoria da qualidade de vida para o povo pernambucano. Fazer das cidades lugares melhores para se viver, garantindo mobilidade urbana, acessibilidade, segurança, saúde e educação. Devolver as cidades para os cidadãos. Essa é a nossa maior pauta”, ressaltou Lucas Ramos.

CBN2

Lucas Ramos percorreu todas as regiões do estado, promovendo debates no sentido de melhorar a qualidade de vida da população. “Dentre os desejos do povo posso destacar a moralização política, a mudança de postura, a ética e a coerência entre o discurso e a ação. Esse é o desejo que mais fomos cobrados e que pretendemos retribuir, defendendo veementemente a ética como nossa maior bandeira”. Ele ainda destacou a importância do fortalecimento da agricultura familiar, setor que responde por 70% da geração de emprego e renda no interior de Pernambuco.

Sucessão Municipal – Ao ser indagado pelo apresentador Aldo Vilela sobre a sucessão municipal em Petrolina, Lucas Ramos afirmou que mal acabaram as eleições e as forças políticas da região já começaram, sim, a planejar o cenário para 2016.

Ele destacou a liderança de Fernando Filho, deputado federal que assumirá o terceiro mandato no ano que vem, e que teve o seu apoio irrestrito no pleito municipal de 2012. “Fernando filho reúne todas as condições para ser novamente o nosso candidato, é hora de falar em unidade, juntar todas as forças e lideranças do PSB. Fernando Filho é uma grande liderança, que junto com ele apresenta o nome de Miguel Coelho como deputado estadual e o próprio Fernando Bezerra, Senador da República, que tem um nome respaldado e respeitado na cidade, além da nossa liderança.”

Para finalizar, Aldo Vilela questionou o posicionamento do deputado quanto à transposição do Rio São Francisco. Lucas Ramos disse que defenderá amplamente a universalização do acesso e uso da água. Contudo, explica que é imprescindível uma força tarefa que reúna todos os estados banhados pelo Rio São Francisco, para discutir efetivamente a sustentabilidade do rio. “Mais importante do que ser contra ou a favor é garantir a sua vida”, afirmou.