Sest Senat de Petrolina realiza parceiras para criação de um polo de produção de artefatos em couro

Sest Senat de Petrolina realiza parceiras para criação de um polo de produção de artefatos em couro

IMG_2373

O município de Petrolina – PE, a porta de entrada do Vale do São Francisco – considerado o maior e mais dinâmico polo de agricultura irrigada e de exportação de frutas do Brasil, poderá, muito em breve, também figurar no mapa nacional como um polo de produção de artefatos em couro.

O pontapé inicial para a realização deste projeto, foi dado  recentemente com a formatura de 75 alunos (4 turmas), do Curso de Artefatos em Couro, que já promete movimentar o mercado com o desenvolvimento de vários produtos, dentre eles, pastas, bolsas, cintos, maletas e carteiras.

O Curso  gratuito para pessoas de baixa renda, que começou em março último, a partir de uma parceria entre o Sest Senat e a Prefeitura de Petrolina, com as aulas sendo ministradas na Escola Municipal do Couro, ganhou corpo com a participação também do Sebrae e do Senar, que vieram somar com a ideia, através de técnicas e noções de empreendedorismo e comercialização. Entre os alunos, artesãos do município além de estudantes e pessoas interessadas em novas oportunidades profissionais.

A instrutora Kamila Coelho, Katia Bezerra e Sebastiao Amorim (Sebrae) e Eva Sa (Sest Senat)

De acordo com a coordenadora de Promoção Social do Sest Senat Eva Sá, o resultado dos trabalhos dos primeiros alunos impressionou tanto, pela qualidade e o bom gosto, que os responsáveis pelo projeto resolveram expor as peças em um estande na 4ª Feincartes – Feira Internacional de Artesanato e Decoração, que vem movimentando a região com a participação de 300 artesãos de nove países e 15 estados brasileiros, no período de 1º a 10 de maio.

“È a primeira vez que estes novos talentos apresentam suas criações em público. São produtos bem elaborados, com técnicas de desenho de moda que chamam atenção dos visitantes da feira, muitos deles perguntando se os mesmos são trabalhos de profissionais com bastante tempo e experiência em couro. Um dos pontos que mais me impressionou foi a determinação das turmas em aprender”, resumiu Eva Sá.

As alunas Vania Brito e Aguida Anjos

                                Instrumento Cultural     

Segundo a instrutora do curso e designer de moda Kamila Coelho, o curso tem duração de 60 horas, em dois meses e  as novas turmas deverão ter início no segundo semestre. “Com aulas teóricas e práticas, os alunos aprendem desde o corte das peças, modelagem, passando pelo manuseio das máquinas e ajustes finais, além dos cursos complementares de técnicas de apresentação e comercialização do produto”, pontuou Kamila Coelho.

Para a aluna Aguida Anjos, que já trabalha com artesanato, o curso além de reciclar os conhecimentos também veio ensinar novas técnicas e ampliar a capacidade criativa da comunidade. “Com certeza, a partir de agora já sou mais uma multiplicadora deste sensacional instrumento de capacitação profissional e incentivador da nossa cultura”, concluiu a aluna.

A Escola do Couro fica na Rua das Pedrinhas, na Vila Eduardo Outras informações podem ser obtidas através do telefone (87) 3862-9153 ou ainda na Secretaria Executiva de Juventude e qualificação profissional que fica no Parque Josefa Coelho.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar