Novela ‘Além do Tempo’ apresenta folhetim clássico com boas atuações na estreia

Novela ‘Além do Tempo’ apresenta folhetim clássico com boas atuações na estreia

Ana Beatriz Nogueira e Irene Ravache foram os destaques do primeiro capítulo da nova novela das seis

Com a novela “Além do Tempo”, Elizabeth Jhin traz de volta ao horário das seis a trama de época, pelo menos até a segunda fase da história, que será ambientada nos dias atuais. Além da direção de fotografia, cenário e figurinos que encantam pela beleza, o folhetim começou com forte carga dramática e grandes atuações. Ana Beatriz Nogueira, na pele de Emília e Irene Ravache como a pérfida Condessa Vitória protagonizaram as melhores cenas do primeiro capítulo, que terminou com o encontro de Lívia (Alinne Moraes) e Felipe (Rafael Cardoso), casal que se reencontra em várias encarnações, através dos anos.

Embora tenha uma proposta ousada de dramaturgia, que é dar um salto de 150 anos no tempo, a estreia a nova novela das seis apresentou o clássico do folhetim. Lìvia (Alinne Moraes) uma mocinha noviça que não tem vocação para a vida religiosa e por isso bate de frente com a mãe, que a pressiona a ficar no convento. Melissa (Paolla Oliveira) sua futura rival, interesseira e dissimulada; Vitória (Irene Ravache) uma vilã com sangue azul e, claro, Felipe (Rafael Cardoso) o herói/galã que salva a jovem do perigo – momento em que os dois se apaixonam à primeira vista – e dá início à história de amor proibido dos dois.

Até então, nenhuma novidade. Mas apostar no clássico não é uma má escolha. Combinar o clássico com um tema espitirualista então, pode ser a receita certeira para agradar o público, como foi o caso de “Alto Astral “, um sucesso de audiência. Assim como na nova novela das seis, o casal protagonista da última trama das sete também se reencontrou em outras vidas.

Flashbacks em cena e no tema de abertura

O motivo da superproteção de Emília (Ana Beatriz Nogueira) com a filha foi apresentado em flashbacks, que mesmoe muito bem feitos, não precisavam ter se repetido. É compreensível que esse recuso dramatúrgico seja fundamental para apresentar o passado dos personagens, justificando suas escolhas e atitudes, mas o excesso de didatismo ralentou ainda mais o ritmo da trama, que definitivamente não tem uma proposta de agilidade.

Um exemplo disso foi a repetição de cenas em que Emília observa a foto de seu querido Bernardo (Bernardo Marinho) e lê a dedicatória. Por duas vezes a personagem fez isso e upor duas vezes um flashback de confronto entre ela a Condessa Vitória há 20 anos, foi exibido. Felizmente as duas são atrizes muito talentosas e mesmo repetidas, as cenas foram ótimasm cheias de emoção e forte impacto dramático. Deu vontade de ver logo como será o reencontro delas.

A supresa não muito boa da estreia ficou por conta do tema de abertura, “Palavras ao Vento”, sucesso de Cássia Eller. Além de ter sido trilha marcante de “Da Cor do Pecado” (2004), o arranjo e a canção soam dissociados do contexto do século XIX. Talvez a escolha tenha mais a ver com a contemporaneidade da segunda fase da novela. Vamos ver.

Estreia foi muito comentada no Twitter

Com um bom primeiro capítulo de apresentação de personagens, que terminou com um ótimo gancho, “Além do Tempo” também foi assunto no Twitter e ficou em primeiro lugar nos tópicos mais comentados, durante sua exibição. Promete ser um sucesso!

(Por Samyta Nunes)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar