HOJE É DIA CELEBRAR CARLOS PINTO O MAIOR ARTISTA BELEMITA | Blog da JoséliaBlog da Josélia

HOJE É DIA CELEBRAR CARLOS PINTO O MAIOR ARTISTA BELEMITA

Postado em 25 de setembro de 2015 por Josélia Maria

CARLOSUntitled-1
image-42724

ANTÔNIO CARLOS PINTO ALVES

Postado por

Antônio CARLOS PINTO Alves nasceu em 25 de setembro de 1948, em Belém de São Francisco – PE, filho do Sr. Adalberto Alves dos Anjos e da senhora Josefa Pinto Alves. Ainda no grupo escolar faz seu primeiro curso de pintura com a Professora. Maria Pires de Carvalho Caribé (D. Lia), parte para estudar o ginásio em Val Paraíso – Estado de São Paulo. Lá, além do curso Ginasial, faz um novo curso de pintura com uma freira franciscana chamada Eugênia e passa a integrar o canto Orfeão do colégio São José que se estendia no coral da igreja da cidade local.

Em 1966, ainda no curso ginasial já em Belém de São Francisco é eleito diretor artístico do Ginásio Menino Deus, a partir daí forma com os estudantes o grupo “Teatro dos Novos” e influenciado pelas transformações musicais e teatrais no país apresenta vários espetáculos de cunho político social. Em 1968 vai estudar Curso Científico na cidade de Petrolina – PE, no Colégio Dom Bosco, lá junto a outros colegas estudantes forma o grupo de teatro “Nós, Por Exemplo”. Mediante a participação num festival de música popular é convidado para participar como “Croner” do conjunto musical “Sanbossa” onde canta em boates de bailes de carnaval. Por meio de um convite do advogado Coqueijo vai para Salvador participar de programas na TV Itapoã Canal 5, lá é recebido com elogios e prêmios.

Carlos Pinto passa a residir em Salvador por quase 2 anos, lá se encontra com um grupo de cantores e compositores, dos quais Moraes Moreira, Tuzé de Abreu, Paulinho Boca de Cantor, o guitarrista Pepeu Gomes, o letrista Luiz Galvão, a dançarina Baby Consuelo e outros. Realizam juntos o show “Desembarque dos Bichos Depois do Dilúvio Universal”. Uns partem para São Paulo e Carlos Pinto permanece em Salvador – BA, onde junto com o grupo do teatro “Vila Velha” se apresenta em vários momentos musicais. Numa visita a Petrolina se encontra com o cantor e compositor Geraldo Azevedo e faz um show com a participação deste. Combinam um encontro no Rio de Janeiro. Em agosto de 1970, Carlos Pinto, parte para o Rio de Janeiro, e é recebido pelo percussionista pernambucano Naná Vasconcelos e Geraldo Azevedo. Em menos de uma semana é apresentado ao poeta e letrista Torquato Neto, um dos membros do movimento “Tropicalista”, com este inicia novas composições. Em 1971, já também como parceiro de Waly Salomão faz a música “Luz do Sol” que é gravada pela cantora Gal Costa. Carlos Pinto é contratado pela gravadora “Continental” e grava seu 1º compacto simples. Parte em turnê nacional com o conjunto “Novos Baianos”, os antigos amigos de Salvador. Nesta época Gilberto Gil grava “Todo dia é dia D” de Carlos Pinto e Torquato Neto e Gal Costa grava “Três da Madrugada” da mesma parceria. Forma uma banda com o grupo de músicos “cariocas”. De volta ao Rio de Janeiro, grava seu 2º compacto, desta vez duplo. Lança o  compacto no teatro da “Gamboa” em Salvador – BA, uma temporada de uma semana. Volta para o Rio de Janeiro e se apresenta no auditório da Faculdade de Arquitetura.

Continua em apresentações e em 1975 retorna a Belém de São Francisco – PE para uma visita familiar e forma o “Grupo de Teatro do Estudante”.

De volta ao Rio, faz curso de desenho de propaganda do SENAC.

Em 1979, se apresenta na “Sala Funarte” do Rio de Janeiro numa temporada com o cantor e compositor Sérgio Sampaio, autor da música “Bloco na Rua”. Passa a integrar o grupo de estudantes da “Casa do Estudante Universitário” onde as quartas-feiras participava do movimento “Balcão Poético”.

CARTAZ EDUCACAO_001
image-42725

Em 1983, parte para a turnê que se inicia em Resplendor – MG e se estende até Teresina-PI. Apresenta-se no teatro “Quatro de Setembro” e no auditório da Universidade Federal do Piauí, voltando em seguida para o Rio de Janeiro encerrando a turnê no teatro da “Casa do Estudante Universitário”. Na sequência se apresenta no auditório da Universidade “Santa Úrsula”.

No ano de 1985 é gravado o um LP em memória a Torquato Neto pela “Rio Arte” e Carlos Pinto monta um show. É convidado para fazer o encerramento do VII ENEF da Universidade Federal Fuminesne.

Carlos Pinto, em 1977, assume a cadeira de Prof. em Educação Artística do Colégio Motiva de Petrolina – PE e permanece até 1988.

Após esse período volta as apresentações musicais, neste mesmo ano (1988) compõe e apresenta-se no “Auditório da Biblioteca Municipal” e “Concha Acústica” de Petrolina – PE com a “Sinfonia Popular” da cidade local. Parte para o Rio de Janeiro e se apresenta em bares da noite.

No ano de 1993, Carlos Pinto, por questões familiares retorna à Belém de São Francisco – PE e integra a equipe da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Desportos na condição de Artista Plástico, além de Coordenador Geral de Eventos onde realiza vários trabalhos culturais, inclusive, movimenta sua “2ª Oficina de Artes” (a 1ª funcionou na cidade de Petrolina-PE) nas dependências da Biblioteca Pública Municipal. Durante o período de 5 anos coordena e determina movimentos pedagógicos na Escola Tercina Roriz. Foi durante anos coordenador de desfiles cívicos e datas comemorativas da Escola Nossa Senhora do Patrocínio (CNSP), por alguns anos, foi também coordenador e monitor da Escola Dr. Alípio Lustosa (EDAL) e autor do hino desta escola, como professor e Diretor de Artes trabalha na Escola Professora Odete Lustosa (EPOL) desde o início dos anos 90. É também autor do hino desta instituição de ensino. Foi um dos fundadores da “Feira Folclórica” da Escola Maria Emilia Cantarelli (EMEC).

Na Secretaria Municipal de Assistência Social, desenvolveu, como monitor vários programas do Governo Federal “Crescendo sem Drogas”, “PETI”, “Meu Nome é Cidadão” e outros. É também o autor dos hinos destes programas, além do hino da Secretaria Municipal de Saúde e outros.

CARLOSPINTO3
image-42726

Em meados dos anos 90 funda a “3ª Oficina de Artes”, localizada na rua Monsenhor João Pires, local onde desempenha suas atividades artitístico-culturais até os dias de hoje.

É autor de vários hinos de blocos de carnavais, músicas para festejos religiosos dentre outros.

A música “Ilha do Araxá” do referido artista é considerada como um segundo hino da cidade de Belém de São Francisco e um dos seus cartões postais.

É atualmente membro integrante de várias associações culturais, entre elas podemos destacar a ONG, Núcleo Araxá de Ação pela Cidadania.

CARLOSPINTO8
image-42727

Suas obras musicais podem ser encontradas no recente CD “Todo Dia é dia D” lançado pela gravadora Eldorado e outros como Verônica Sabino e Nouvelle de Almeida. Além de links como esse:http://craifer.blogspot.com.br/2013/02/carlos-pinto.html




[LoginRadius_Share]