Comissão de Justiça aprova manutenção de presidente da Adagro

Postado em 13 de março de 2019 por Josélia Maria

SABATINA - À frente do cargo há um ano, Paulo Roberto de Andrade Lima respondeu a questionamentos dos parlamentares. Foto: Sabrina Nóbrega

SABATINA – No cargo há um ano, Paulo Roberto de Andrade Lima respondeu a questionamentos dos parlamentares. Foto: Sabrina Nóbrega

Comissão de Justiça concedeu, nesta terça (12), parecer favorável à continuidade de Paulo Roberto de Andrade Lima na presidência da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro). À frente do cargo há um ano, ele participou de sabatina na Assembleia Legislativa, prevista constitucionalmente para a nomeação de gestores de autarquias estaduais.

Paulo Roberto integra o quadro da Adagro desde 2003, quando atuava como fiscal agropecuário. No serviço público, ele ingressou em 1986, por meio da Secretaria Estadual de Agricultura. Formado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), possui título de mestre e doutor em Agronomia. Antes de assumir o cargo de diretor-presidente da Adagro, em 2018, atuava como diretor de Planejamento Estratégico e Convênios.

“Estou muito honrado de ocupar esse posto e com plena convicção da minha responsabilidade nessa desafiadora tarefa”, declarou o presidente. Em pronunciamento, relembrou também realizações de gestões anteriores e os anos de atividade da agência. “Conseguimos superar a meta do Ministério da Agricultura na cobertura vacinal da febre aftosa, estamos realizando o monitoramento da mosca-das-frutas no Vale do São Francisco desde 2014 e, agora, caminhamos para o reconhecimento da excelência dos serviços de inspeção da Adagro”, destacou.

De acordo com o gestor, em 2003, quando a Adagro foi criada, a cobertura vacinal em febre aftosa era de 35% – hoje varia entre 93% e 96%. “Mais de R$ 50 milhões já foram investidos no combate à doença em Pernambuco”, disse. A atuação da agência na inspeção de queijarias também foi ressaltada por Paulo Roberto, além de elogiada pelos que participaram da reunião.

CURRÍCULO - Gestor integra o quadro da Adagro desde 2003, quando atuava como fiscal agropecuário. É doutor em Agronomia pela UFRPE. Foto: Sabrina Nóbrega

CURRÍCULO – Gestor integra o quadro da Adagro desde 2003, quando atuava como fiscal agropecuário. É doutor em Agronomia pela UFRPE. Foto: Sabrina Nóbrega

Durante o debate, parlamentares fizeram observações sobre a fiscalização de atividades como agricultura orgânica, produção de charque e irrigação. O deputado Isaltino Nascimento (PSB) sugeriu atenção ao controle da carne: “Seria importante que o Estado pudesse dar chancela sobre a qualidade da charque, que faz parte da cultura nordestina”. JáJoaquim Lira (PSD) falou acerca da escassez de água de qualidade para irrigação em Vitória de Santo Antão (Mata Norte). “Gostaria, ainda, de pedir que seja dada sempre preferência à fiscalização educativa, num primeiro momento, a fim de orientar os produtores”, acrescentou.

Elogiando a adequação do perfil profissional ao cargo,Antônio Moraes (PP), João Paulo (PCdoB), Lucas Ramos(PSB), Tony Gel (MDB) e o presidente da Comissão, Waldemar Borges (PSB), desejaram sucesso na missão. O secretário estadual de Agricultura, Dilson Peixoto, prestigiou a reunião. “Estamos absolutamente sintonizados no objetivo de proporcionar desenvolvimento ao setor agrícola. Tenham certeza de que, votando pela aprovação do nome de Paulo, estão ao lado dos produtores e do povo pernambucano”, afirmou. O presidente da Assembleia, Eriberto Medeiros(PP), também participou do encontro: “Parabenizo você em nome de toda a Casa. Com essa indicação, fico certo de que a produção agrícola receberá cada vez mais atenção”.

O relator do Projeto de Resolução nº 40/2019, que trouxe a indicação do governador Paulo Câmara para a Adagro, foi o deputado Romário Dias (PSD). Ele aproveitou para sugerir a realização de uma audiência pública conjunta entre as comissões de Agricultura e Desenvolvimento Econômico para debater questões junto ao Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Centro de Abastecimento e Logística de Pernambuco (Ceasa) e Instituto de Terras e Reforma Agrária do Estado de Pernambuco (Iterpe).

Prêmio – Além da sabatina, o colegiado distribuiu para relatoria 12 proposições. Entre elas, três indicações para o Prêmio País Amigo de Pernambuco, criado em 2017. As propostas de concessão da honraria para Israel, Colômbia e China foram apresentadas, respectivamente, por Roberta Arraes (PP), Lucas Ramos e Romero Sales Filho (PTB).

 




[LoginRadius_Share]