Visão social ajudou o cooperativismo crescer R$ 259,9 bilhões no Brasil; cooperativas comemoram com ações

Postado em 22 de julho de 2019 por Josélia Maria

image-95136

A pluralidade de ideias, visões e iniciativas, aliadas à gestão democrática se tornaram base para um modelo econômico no Brasil, que nos últimos cinco anos, conseguiu se antever a crise e registrar a receita bruta de R$ 259,9 bilhões em crescimento. Presente em 1.136 cidades de 23 estados, o cooperativismo gerou nesse período 18% a mais de empregos e se colocou na contramão de outros setores da economia. Segundo o IBGE, a empregabilidade brasileira cresceu apenas 5%.

No país, existem cooperativas de quase tudo: agropecuárias, energia elétrica, de saúde, consumo, transporte, habitacional e de crédito. Em 2018, o número de pessoas que entraram para o sistema cooperativo chegou a 14,6 milhões. Isso porque, de acordo com o vice-presidente do Sicredi Vale do São Francisco, Marco Antônio Gomes, o cooperativismo une desenvolvimento econômico e social.

image-95137

“As cooperativas não têm fins lucrativos. O movimento cooperativista no mundo inteiro veio para colaborar um com o outro de modo a alcançar o bem comum. Aqui no Vale do São Francisco, nós temos muitos casos de cooperativismo, como por exemplo as cooperativas dos produtores de frutas, que se juntam para construir uma câmara fria que servirá para todo um grupo. E temos também o Sicredi, que oferece todos os serviços bancários à população com preços mais justos que os praticados pelos bancos tradicionais”, explica.

Atuando na linha de investimentos, crédito, cartões, seguros, consórcios, previdência e consignado, o Sicredi Vale do São Francisco possui mais de 4 mil associados e faz parte de um sistema nacional que reúne 3,7 milhões de pessoas a partir de 1.575 agências distribuídas em 21 estados do país. Na região, a instituição atende aos municípios Petrolina, Afrânio, Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista, em Pernambuco; e Juazeiro, Jaguarari e Senhor do Bonfim, na Bahia.

image-95138

O dia do Cooperativismo

Promovendo uma mudança real nas vidas de milhões de brasileiros, o movimento cooperativista nacional então resolveu se juntar à mobilização internacional do cooperativismo. Há 10 anos, uma cooperativa de Minas Gerais lançou no Brasil o Dia C de Cooperar. Cada instituição do segmento passou a escolher um dia do mês de julho para realizar uma ação social em sua cidade.  Foi assim, que no último sábado (20), em Petrolina-PE, o Sicredi Vale do São Francisco promoveu uma intervenção no Parque Municipal Josepha Coelho, onde a população teve acesso a serviços de saúde e arte. Ginástica laboral, aferição de pressão, oficina de ritmos nordestinos e uma apresentação da banda de música Maestro Wanderley, da Polícia Militar de Juazeiro – BA, mobilizaram crianças, jovens, adultos e idosos, pela manhã inteira.

Uma iniciativa que chamou a atenção de Maderleide Oliveira. Participante de praticamente todas as ações, a advogada elogiou a proposta do Dia C. “Tudo que se faz por pessoas é muito bom e deve ser elogiado. Eu particularmente adoro cantar, dançar e representar, mas infelizmente não sei fazer nada disso, então quando eu me vi diante da possibilidade aprender um ritmo e tocar um instrumento, achei fantástico”, comentou Maderleide sobre a oficina de ritmos.

O vice-presidente do Sicredi, aliás, ressalta que o Dia C, em Petrolina, não poderia ter ocorrido sem a cooperação de instituições como Lions Clube, PM-BA, Rotary Club de Juazeiro e COOPA (Cooperativa Agrícola de Petrolina). “O Dia do Cooperativismo é assim mesmo, várias pessoas e entidades colaborando juntas para desenvolver ações sociais em prol da população. Fazendo, claro, um destaque para o Lions Clube, na pessoa do coronel Helvetius, que nos apoiou incondicionalmente e nos ajudou nesse sucesso que foi o Dia C”, concluiu Marco Antônio Gomes.




[LoginRadius_Share]