“SE PRIVATIZAR, NORDESTINOS PAGARÃO MAIS CARO PELA ÁGUA", DIZ LUCAS RAMOS SOBRE TRANSPOSIÇÃO DO SÃO FRANCISCO | Blog da JoséliaBlog da Josélia

“SE PRIVATIZAR, NORDESTINOS PAGARÃO MAIS CARO PELA ÁGUA”, DIZ LUCAS RAMOS SOBRE TRANSPOSIÇÃO DO SÃO FRANCISCO

Postado em 12 de agosto de 2019 por Josélia Maria

O deputado estadual Lucas Ramos (PSB) foi à tribuna da Assembleia Legislativa de Pernambuco nesta segunda-feira (12) para se posicionar contra o anúncio do Governo Federal de privatizar a operação e manutenção do projeto de transposição do Rio São Francisco. A proposta está inclusa no primeiro exemplar da série Pró-Infra, uma iniciativa que vai reunir várias ações nas áreas de logística, energia, saneamento básico, mobilidade urbana, entre outros.

Para Lucas, entregar o controle dos eixos da transposição (Norte e Leste) à iniciativa privada representa uma ameaça para a região, principalmente aos estados de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte. “Caso haja a transferência da gestão, os interesses da população correm sério risco, pois estarão em segundo plano e ofuscados pelos objetivos comerciais dos empresários”, alertou. “Nordestinos de quatro estados pagarão mais caro pela água se o Governo privatizar”, lembrou.

“Com os trabalhos praticamente finalizados e após um investimento bilionário feito pela União ao longo de 12 anos, o governo Jair Bolsonaro quer entregar a operação de um projeto tão importante e virar, mais uma vez, as costas para nossa região”, comentou o parlamentar. Atualmente, as obras da transposição encontram-se em fase de conclusão. O Eixo Leste (que sai de Floresta até o agreste paraibano) está 97,6% concluído, enquanto o Eixo Norte (com captação em Cabrobó e seguindo em direção ao reservatório de Jati, no Ceará) apresenta índice de 97%.

Lucas ressaltou, ainda, a importância que o Rio São Francisco tem para o desenvolvimento nordestino. “As águas do Velho Chico desempenham um papel fundamental para o Nordeste, possibilitando a agricultura familiar e irrigada, a pesca artesanal, o abastecimento, a geração de energia e o turismo. Um patrimônio que deve ser bem cuidado através de políticas públicas que prezem pela sustentabilidade para que continue servindo às gerações futuras”, salientou.

CHESF – Na Alepe, o deputado foi o responsável pela criação de dois colegiados que colocaram luz sobre as discussões acerca da utilização e preservação dos recursos do Rio da Integração Nacional: a Frente Parlamentar em Defesa da Chesf e a Frente Parlamentar em Defesa do Rio São Francisco. “Estamos alertas quanto à movimentação do Governo Federal com o objetivo de retomar a privatização do Sistema Eletrobras, o que levaria em seguida para a venda de subsidiárias do setor elétrico como a Chesf”, declarou. “Queremos que a Chesf continue impulsionando o crescimento do país, sem buscar atender os desejos de investidores em detrimento do seu papel como motor do desenvolvimento de uma região. Estaremos atentos a qualquer manobra que venha a comprometer o bolso e o futuro dos nordestinos”, disse.




[LoginRadius_Share]