Deputados repudiam ofensas ao músico Assisão e demonstram preocupações com o avanço do coronavírus

Deputados repudiam ofensas ao músico Assisão e demonstram preocupações com o avanço do coronavírus


Tony Gel, do MDB, abriu o Grande Expediente desta quinta, em nova Reunião Plenária por videoconferência. Ele registrou a polêmica envolvendo o músico pernambucano Assisão e o humorista paraense, radicado em São Paulo, Murilo Couto. O comediante ridicularizou o visual e a postura do artista Assisão, em vídeos veiculados nas redes sociais. 

O artista pernambucano realizou uma live no dia 17 de abril para arrecadar doações para pessoas que estão passando dificuldades devido à Covid-19. Tony Gel solicitou à Mesa Diretora a publicação de um nota de repúdio à atitude de Murilo Couto. “Porque o Nordeste todo está revoltado, mas especialmente nós, pernambucanos, na nossa região, porque Assisão é uma pessoa muito boa, uma figura simples, um cara muito humilde, mas um batalhador, seu presidente, que está muito tempo na luta, não é, como compositor, como cantor, como poeta popular.”

Os deputados Cleiton Collins, do PP; Zé Queiroz, do PDT; Fabrízio Ferraz, do PHS, Teresa Leitão, do PT; Isaltino Nascimento, do PSB; João Paulo, do PCdoB; Rogério Leão, do PL, e Romário Dias, do PSD, também se solidarizaram com Assisão, destacaram a importância do músico para a cultura brasileira, sugeriram a realização de uma Sessão Solene em homenagem  ao músico e boicote aos shows de Murilo Couto em Pernambuco.

Alberto Feitosa, do PSC, lembrou o pronunciamento dele de 31 de março, quando disse que o combate ao novo coronavírus deveria ser feito com paciência, equilíbrio e controle de gestão. O deputado comparou os números relacionados às mortes causadas pela doença em Pernambuco com os de outros estados e afirmou que alguma coisa está errada em Pernambuco. Segundo Feitosa, a cidade do Recife não está demonstrando ter capacidade de gerenciar a crise. Ele pontuou algumas situações que, segundo ele, têm contribuído para o aumento dos casos da doença na população. “Mostramos que o Ceasa tava havendo uma verdadeira bagunça. As pessoas amontoadas, os balcões de mercadorias juntos um do outro, as pessoas lá sem máscara, sem nenhuma proteção, sem nenhuma orientação”.


Em aparte, Antonio Fernando, também do PSC, parabenizou Feitosa por trazer o tema ao debate e afirmou que o momento não é para críticas, mas para sugestões que possam ajudar a melhorar o atendimento à população. Marco Aurélio Meu Amigo, do PRTB, afirmou ter tentado agendar uma audiência com o prefeito Geraldo Júlio e que não foi atendido. Marco Aurélio também destacou a falta de equipamentos de proteção individual para profissionais da saúde e da limpeza urbana. Wanderson Florêncio, do PSC, sugeriu que a administração municipal coloque servidores comissionados para orientar as pessoas nas portas das agências bancárias. Antônio Moraes, do PP, destacou que é importante verificar como estão sendo feitas as notificações de mortes em outros estados, pois há casos em que as mortes são registradas como síndrome respiratória aguda grave e não Covid-19.

O alerta feito pelo ex-ministro da Saúde Arthur Chioro em relação à gravidade da situação epidemiológica do país foi o tema do discurso da deputada Dulcicleide Amorim, do PT. Segundo a parlamentar, Chioro afirmou, durante videoconferência na manhã desta quarta, que o relaxamento do isolamento social vai levar ao aumento do contágio e que, em consequência disso, o número de mortos no país pode chegar a mais de um milhão. Dulcicleide cobrou do Senado a aprovação do Projeto de lei que trata da recomposição dos impostos aos estados e município.

Em aparte, Teresa Leitão, também do PT, criticou a demora do Governo Federal em tomar decisões importantes para o combate à doença e à forma como estão sendo feitas a liberação de verbas e a distribuição de equipamentos para os estados. Teresa também alertou para a necessidade da intensificação das medidas de isolamento nos próximos dias. João Paulo, do PCdoB, enalteceu a coragem o governador do Estado na condução do processo de combate à Covid-19. Na avaliação dele,  o governador Paulo Câmara vai sair muito maior dessa situação, ao contrário do presidente Bolsonaro, que segundo João Paulo, incentiva o suicídio da população. “Depois ele mesmo diz: ‘E daí? E a minha pergunta é àqueles que esquecem seus aliados nas prefeituras, onde detém altos índices também de mortalidade, nós poderíamos perguntar: e se não houvesse a ação que o governo do estado da Prefeitura do Recife e os esforços da grande maioria dos prefeitos qual seria a situação qual seria a situação de Pernambuco hoje?”.

Doriel Barros, do PT, afirmou que não se pode terceirizar a responsabilidade pelos baixos índices de adesão ao isolamento social para prefeitos e governadores quando o próprio presidente da República prega em desfavor do distanciamento social. Para Doriel, Bolsonaro quer provocar a morte de milhares de trabalhadores e trabalhadoras no país.

Antônio Fernando, do PSC, ressaltou que o isolamento social é uma estratégia para se adiar um problema. No entender do deputado, assim que o isolamento social for interrompido, novo pico de contaminação vai ocorrer, havendo necessidade de se preparar uma infraestrutura de atendimento médico para isso, principalmente no interior do Estado. Zé Queiroz, do PDT, acentuou a forma como países do primeiro mundo vem combatendo a pandemia, ele se mostrou indignado com as recentes atitudes do presidente Bolsonaro e elogiou as ações do Governo do Estado e da prefeitura do Recife.

Na mesma linha, João Paulo Costa, do AVANTE, afirmou que o presidente tem que ter o mínimo de respeito e solidariedade com os brasileiros que perderam entes queridos e familiares vitimados pela Covid-19. Costa também fez elogios à atuação dos deputados e à administração estadual. “Tenho certeza que com muita dedicação do Parlamento Estadual, com o belo trabalho que o Governo do Estado vem fazendo, o nosso estado, oo nosso país vai vencer essa pandemia. Infelizmente o Brasil vai entrar em numa recessão, é inevitável, mas agora é o momento de cuidar da saúde do povo de Pernambuco e da saúde do brasileiro.” Em contraponto, Alberto Feitosa, do PSC, questionou os números da pandemia em estados governados pelo Partido dos Trabalhadores. Segundo Feitosa é preciso ver os números fornecidos pelo Ministério da Saúde que, segundo ele, colocam Recife como a capital do coronavírus no Nordeste.

Romário Diasdo PSD, cobrou organização das filas nas agências bancárias que estão fazendo o pagamento do auxílio emergencial e afirmou que não há estado ou município com um sistema de saúde em condições de atender a população. 

Isaltino Nascimento, do PSB, fez uma retrospectiva na qual narrou cronologicamente a atuação do presidente Jair Bolsonaro desde o surgimento do primeiro caso da Covid-19 no Brasil  e evidenciou as consequências das falas dele para o País. Segundo o deputado, o Brasil virou chacota mundial e até mesmo o ídolo de Bolsonaro, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, quer criar restrições à entrada de brasileiros no país norte americano. Para o deputado, Bolsonaro atua contra o Pacto Federativo ao criticar as ações de prefeitos e governadores que promovem o distanciamento social. Nascimento ainda afirmou que o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, e o governador Paulo Câmara estão cumprindo com os seus papéis, sendo Pernambuco o estado mais transparente do Brasil no que diz respeito aos dados relativos ao combate da Covid-19. 

Em aparte, Antonio Fernando, do PSC, ressaltou a importância do Sistema Único de Saúde, que, segundo ele tem demonstrado ser a salvação da população brasileira. Antonio Fernando, ainda usou o Tempo de Liderança, para demonstrar preocupação com a chegada do novo coronavírus à Região do Araripe, em Pernambuco. O deputado apelou para que haja apoio do Governo do Estado para reforçar as ações de combate à Covid-19 na Região.

Também em Tempo de LiderançaRoberta Arraes, do PP, defendeu medidas em favor do polo gesseiro da Região do Araripe, como a suspensão da cobrança de valores fixos das taxas de energia elétrica, de ações tributárias, jurídicas e administrativas por 150 dias.  A presidente da Comissão de Saúde da Alepe aproveitou para fazer um alerta sobre o aumento dos casos da Covid-19 nos próximos dias. “Infelizmente o pior está por vir. Através de estudos científicos já temos informações que o nosso país tem a maior taxa de transmissão do mundo. Vivemos uma verdadeira guerra. Para sobrevivermos precisamos de estratégia, diálogo, equilíbrio e união.”

O Dia do Trabalho também foi destacado no Tempo de Liderança de João Paulo, do PCdoB. Ele anunciou o ato que será realizado nesta sexta-feira em homenagem aos trabalhadores brasileiros. De acordo com João Paulo, diversos artistas e lideranças políticas devem participar do evento que vai ser transmitido pelas redes sociais. O deputado afirmou que será a oportunidade de tentar abrir os olhos da sociedade para os desmandos do presidente.

O deputado Delegado Erick Lessa, do PP, apelou para que os órgãos competentes visitem o local, no Recife, onde morava  um venezuelano, morto nesta quarta-feira, supostamente vítima da Covida-19. Lessa solicitou que os moradores do local sejam monitorados e que seja feita a testagem e a orientação sanitária ao grupo de 25 pessoas que residem no local.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar