Fernando de Noronha completa um mês sem casos de Covid-19 e inicia estudo epidemiológico na ilha | Blog da JoséliaBlog da Josélia

Fernando de Noronha completa um mês sem casos de Covid-19 e inicia estudo epidemiológico na ilha

Postado em 22 de maio de 2020 por Josélia Maria

noronha

No dia em que Fernando de Noronha completa um mês sem novos casos da Covid-19, a Administração lança mais uma estratégia de combate ao novo coronavírus no arquipélago. Nesta sexta-feira, 22, foi iniciada a primeira etapa do estudo epidemiológico que vai avaliar a circulação do vírus em Noronha. Através da pesquisa será possível tornar a ilha um local protegido e seguro para a população do arquipélago. 

Os pesquisadores responsáveis pelo estudo, com a colaboração dos agentes comunitários, dos agentes de endemia e de integrantes das equipes de saúde da ilha, iniciaram o processo de visita às casas dos moradores, escolhidos aleatoriamente, para saber se aceitam, de forma voluntária, participar da pesquisa e realizar os exames. São ao todo cerca de 900 pessoas, entre homens, mulheres e crianças, de todas as regiões da ilha. Os moradores que concordam com a participação, respondem a um questionário fornecendo dados socioeconômicos, clínicos e hábitos de prevenção à Covid-19. Na sequência, todos serão testados para a doença através de dois tipos de exames: o PCR em tempo real, para detecção do vírus pela análise de secreções respiratórias do nariz e garganta, e o teste rápido para detecção de anticorpos, por meio de coleta de sangue. Eles serão acompanhados e testados pela equipe durante o período de um ano.

“Com essa pesquisa vamos ter uma certa tranquilidade de entender se tem circulação viral em Fernando de Noronha, qual a condição dessa circulação, qual o percentual de pessoas acometidas e se teve alguma circulação viral silenciosa assintomática. E muito importante para garantir que a população está protegida e sem risco de adoecimento”, explicou o especialista da Secretaria Estadual de Saúde, que está coordenando o estudo na ilha, Mozart Sales.

Para a comerciante Maria Izabel, moradora da ilha há 12 anos e uma das pessoas que aceitou participar da pesquisa, o estudo é de grande importância já que Fernando de Noronha recebeu visitantes de todos países. “Antes do fechamento da ilha tivemos contato com turistas tanto brasileiros quanto estrangeiros. Eu recebi seis italianos. Depois que foram embora é que descobrimos que um dos casais poderiam ser pessoas que estavam assintomáticas. É muito importante para a comunidade como um todo. Noronha é 100% turística, todos tiveram contato com pessoas de vários os países. Para mim também tem outro fator, meu esposo e meu filho tem doença crônica, então precisamos desse cuidado”, disse. 

O administrador da Ilha, Guilherme Rocha ressalta que o estudo é uma pesquisa completa, que vai auxiliar no controle do vírus na ilha. “Estamos em uma luta incansável para tornar a ilha um lugar seguro, livre do coronavírus. Ao longo desse período temos nos esforçado na busca por soluções e apoio à comunidade. Tivemos que tomar algumas medidas duras, mas que foram necessárias para proteção de todos, que resultaram no sucesso de agora. Vamos continuar buscando, estudando e fazendo o possível para seguirmos dessa forma, para que possamos voltar à normalidade o quanto antes”, explicou o administrador da ilha, Guilherme Rocha.

Para alcançar o cenário atual e zerar os casos da doença na ilha a Administração do arquipélago tomou providências precisas no que diz respeito ao combate à Covid-19. Desde o início da pandemia, os moradores seguiram o isolamento social, que chegou ao lockdown, um regime mais rígido de isolamento, durante 20 dias. Agora é possível uma flexibilização gradual das atividades na ilha. Os moradores já podem sair de suas casas sem portar documento de autorização para ir a supermercados, farmácias e padarias, desde que estejam fazendo o uso da máscara e respeitando o distanciamento entre pessoas. Foi autorizada também a prática de atividades físicas individuais, ou em dupla, desde que morem na mesma residência. As praias ainda seguem fechadas até o próximo dia 31. O prazo poderá ser antecipado a depender da avaliação do quadro epidemiológico na ilha.


A vigilância em Saúde do arquipélago segue orientando a população que, ao sentir qualquer sintoma de um quadro gripal, o morador deve comunicar ao órgão, relatar o quadro e seguir as orientações recebidas. A equipe de saúde deve ser contactada pelos números: (81) 3619-0956 / 99488-4366. 

“É muito importante que seja informado qualquer sintoma gripal para que a gente faça a investigação epidemiológica. Principalmente porque existe a forma assintomática da doença. Então alguém pode ter tido a forma assintomática, que transmite para outra pessoa, que pode ter o sintoma característico, os sintomas gripais. Quanto antes a gente inicia a investigação epidemiológica e identifica esses casos o mais rápido, a gente consegue fazer o bloqueio e isolamento para que o vírus não se propague de uma pessoa para outra”, explicou o superintendente de Saúde da ilha, Fernando Magalhães. 

Outra medida essencial contra a disseminação do vírus em Noronha foi o fechamento total do aeroporto. Está suspenso o desembarque de qualquer pessoa na ilha. Uma equipe composta por representantes da Administração e profissionais da área de saúde do Estado preparam um protocolo rígido de medidas de proteção para voltar a permitir a entrada de servidores e moradores em Fernando de Noronha, de forma segura, impedindo assim que o vírus volte a circular no arquipélago. 

“Estamos na reta final. É importante que todos continuem respeitando as determinações das autoridades de saúde para que possamos sair o mais rápido possível dessa pandemia, que infelizmente está acabando o mundo. O mais importante nesse momento é a gente ter equilíbrio para poder vencer esse período. Espero que todos se unam nesse sentido”, disse o presidente do Conselho Distrital, Milton Luna. 

Fotos: Karol Vieira




[LoginRadius_Share]