“Bolsa Família criou massa acomodada”, diz prefeito de Petrolina

“Bolsa Família criou massa acomodada”, diz prefeito de Petrolina

De acordo com Miguel Coelho (MDB), programa do Governo Federal não daria porta de saída e criou uma espécie de massa de manobra no país

Brasil 123

O Prefeito da cidade pernambucana de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), criou muita polêmica em uma entrevista nesta semana. Ele disse que o Bolsa Família é um programa que criou uma massa acomodada no país. A entrevista em questão é do jornal Valor Econômico.

Entre outras coisas, ele disse que o programa de transferência do Governo Federal não criaria uma porta de saída. Então, na visão do Prefeito, as pessoas acabariam se acomodando com aquilo que elas recebem todos os meses.

Seja como for, o Prefeito disse ainda que é favorável ao retorno rápido do Auxílio Emergencial. Ele disse que neste momento da pandemia, o Governo não pode deixar de pagar esse dinheiro já que as pessoas estão passando por ainda mais dificuldades.

Mas mesmo assim, o fato é que a entrevista repercutiu muito nas redes sociais. Muita gente criticou a fala do Prefeito. “Ele é distante da realidade”, disse um dos internautas. O Prefeito não respondeu as críticas e parece seguir com a mesma opinião.

Miguel Coelho é filho do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB). Os dois são políticos com forte aliança com o Presidente Jair Bolsonaro. No Sertão de Pernambuco, a família deles possui até hoje muita força política. E isso se comprova com os cargos que eles ocupam atualmente.

Bolsa Família

De acordo com os dados do próprio Ministério da Cidadania, a média de pagamentos do Bolsa Família não chega a R$200 mensais. Então, no geral, esse é o valor total que as famílias beneficiárias ganham por mês.

Segundo números oficiais, isso não dá para comprar nem uma cesta básica em nenhuma das capitais do Brasil. Em São Paulo, por exemplo, uma pessoa teria que receber mais de três Bolsas Família por mês para conseguir comprar uma cesta básica.

Artigos relacionados

Fechar