HEC realiza cirurgia de alta complexidade para corrigir anomalia rara de paciente

HEC realiza cirurgia de alta complexidade para corrigir anomalia rara de paciente

O procedimento é o primeiro do tipo a ser realizado no interior do estado pelo SUS

O Hospital Estadual da Criança (HEC) realizou uma cirurgia de alta complexidade para corrigir uma anomalia rara no paciente S.E., de um ano e seis meses. O procedimento é o primeiro do tipo a ser realizado no interior do estado pelo SUS. O bebê é portador de extrofia de cloaca, uma malformação congênita rara, na qual os tratos genital, urinário e intestinal ficam expostos para fora do abdômen.

Para realizar o procedimento cirúrgico que durou sete horas, na última quinta-feira (18), a Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil, entidade que gerencia o HEC, convidou o médico Jovelino Leão, urologista pediátrico e diretor clínico do Hospital Infantil Darcy Vargas, em São Paulo.

Leão afirma que se tratou de um caso bastante complexo. “No caso do paciente, a parede anterior do abdômen não se formou completamente. E para que a gente conseguisse colocar a bexiga para dentro do abdômen e fechar a parede, nós precisamos seccionar os ossos da bacia. Para tanto, realizamos um procedimento chamado osteotomia anterior dos ilíacos. Após a cirurgia, a criança está evoluindo satisfatoriamente”, ressalta o urologista pediátrico.

O presidente da Liga Álvaro Bahia, Carlos Emanuel Melo, destaca a importância e o ineditismo da cirurgia feita pelo HEC, uma unidade da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) sob contrato de gestão com a entidade. “Quando o assunto é tratar de crianças, o HEC traz, na sua história, a marca do pioneirismo. Em outros tempos, nossos pequenos pacientes eram forçados a se deslocar para outros centros a fim de ter acesso aos tratamentos mais sofisticados”, frisa.

S.E. já havia feito, em julho de 2019, uma primeira intervenção cirúrgica, no Hospital Martagão Gesteira, unidade da Liga Álvaro Bahia. “No período perinatal, o paciente precisou de uma primeira abordagem na extrofia de cloaca, logo após ter nascido. Naquela época, a meta era garantir a vida. Fizemos aquela intervenção na UTI Neonatal do Martagão. Agora, por morar numa região próxima ao HEC, ele foi submetido com sucesso ao segundo procedimento que objetiva reconstruir as estruturas pélvicas”, acrescentou o presidente da entidade.

A família do bebê é natural de Antônio Cardoso, município da região metropolitana de Feira de Santana. “Estou muito feliz. Graças a Deus, a cirurgia foi um sucesso. Agradeço muito à equipe que fez a cirurgia. Meu filho está bem. Está ocorrendo tudo dentro do esperado. Agora, é aguardar sua recuperação”, destacou a mãe do paciente, Claudicia Santos.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar