Conheça um pouco da vida e história do ex-vice-prefeito de Belém do São Francisco, Raimundo Nogueira

Conheça um pouco da vida e história do ex-vice-prefeito de Belém do São Francisco, Raimundo Nogueira

Blog do Didi

RAIMUNDO PEDRO DOS SANTOS NOGUEIRA, nasceu em Riacho Pequeno no dia 03 de setembro de 1929. Filho de Cornélio Pedro dos Santos e de Ana Nunes Nogueira.

Ficou órfão de mãe ainda criança, mas teve o amor materno de Maria Mariana Nunes (Mariínha), que era sua tia materna, soube dividir o amor dos seus próprios filhos com a criação e a educação do pequeno Raimundo.

Estudou em Riacho Pequeno, tendo como mestres: Zé Ferreira, José Vicente, e a professora Odete, cursou apenas o primário, mas que é possuidor de grandes conhecimentos, de uma intelectualidade que poucos a possui.

Seu pai construiu uma família de 16 filhos, visando o futuro de cada um dos filhos, desde cedo dividindo o trabalho e a responsabilidade para cada um deles, no objetivo de que os mesmos trilhassem no bom caminho, e na boa educação como pessoas trabalhadoras e responsáveis.

Raimundo Nogueira, ainda jovem recebeu sua tarefa de trabalho, indo tocar até 50 bois de Riacho Pequeno até a cidade de Arcoverde, mesmo sentindo que esse não era seu trabalho e o seu futuro, tinha efetivamente outros sonhos e ideias de vida.

Em 1950, foi em busca de outras oportunidades de trabalho, na cidade de Paulo Afonso, no vizinho Estado da Bahia, veio a trabalhar na CHESF – Companhia Hidrelétrica do São Francisco por um período de seis meses, mas que sentia no coração um sonho que deseja realizar, era o sonho de ir para grande cidade de São Paulo, em busca de uma vida melhor e distante deste sertão, pois, naquela época só se via sofrimento e angústia do povo. Foi para São Paulo juntamente com seu primo irmão Vicente Nogueira de Sá.

Na cidade de São Paulo, adquiriu muita experiência de trablho, num esforço que lhe trouxe bons resultados financeiros, com muito sacrifício não resta dúvida, mas que sobretudo com muita honestidade colocou em prática a lição de vida recebida do seu pai.

De repente um outro projeto lhe desvia desse caminho, se  conscientizou que deveria retornar à sua terra natal, após de permanecer em São Paulo por cinco anos, com o objetivo de ajudar seu pai e os irmãos, voltando ao seu rancho como um nordestino vencedor.

No seu retorno ao distrito de Riacho Pequeno, com as economias que trouxe de São Paulo, comprou a Fazenda Várzea das Pedras, localizada ás margens do rio São Francisco, foi nesta localidade rural que começou seu trabalho de agricultura, vindo a produzir grande quantidade de cebola, além de comprar para revender em todo Estado de São Paulo.

Raimundo Nogueira não vendia apenas cebola, como também fertilizantes e outros produtos agrícolas, desenvolvendo seu comercio em Belém do São Francisco, no período de 1958 a 1970 por ser o local de grande movimentação de agricultores e ceboleiros.

No ano de 1962, a família Nogueira, sentindo a necessidade de projetar um líder, ou seja, de um representante para Riacho Pequeno, decidiu lançar o jovem Raimundo Nogueira, para concorrer a um mandato de Vereador, e que esse candidato tivesse distintamente o interesse voltado para lutar pela melhoria de vida das comunidades, principalmente pelo desenvolvimento da querida região de Riacho Pequeno.

Raimundo foi eleito com uma grande votação, chapa encabeçada pelo prefeito Aníbal Lustosa Sobrinho, conseguindo várias obras para todo município de Belém do São Francisco como: Calçamentos, grupos escolares, posto médico, abertura de estradas vicinais, lavanderia, construção da cadeia pública de Riacho Pequeno, construção de um chafariz em Riacho Pequeno, construção de barragens, teve importante colaboração na construção do SESP de Riacho Pequeno, um lutador incessante na instalação do ginásio em Riacho Pequeno e muitas outras obras essenciais para o desenvolvimento das comunidades.

Em 1965, casou-se com a Senhora Maria Valdeci Nogueira de Sá, vindo a fixar residência na Fazenda Várzea das Pedras, construindo naquela localidade uma família de cinco filhos dando a todos a devida educação e responsabilidade.

Nas eleições municipais de 1966, foi escolhido pelo seu partido para compor a chapa de vice-prefeito na chapa do prefeito Gerson Alves de Carvalho Pires, e por reivindicar tanto para atender as suas comunidades, chegou até a desentender com o prefeito Gerson, o mesmo ficou sem concluir obras nenhuma, e isso o deixava muito chateado, chegando até a fazer obras pequenas com seus próprios recursos. O seu amigo Aníbal Lustosa Sobrinho, sabendo que Raimundo se preocupava com a falta d´água no distrito de Riacho Pequeno lutou junto com a diocese de Floresta para a construção de um açude.

Em 1976, foi escolhido vice-prefeito novamente, para compor a chapa do candidato a prefeito, Dr. Geraldo Lustosa de Carvalho, foram eleitos, conseguindo realizar alguns projetos para a região de Riacho Pequeno, construção de calçamentos, estradas, grupo escolares, construção da cadeia pública de Riacho Pequeno, ampliação do cemitério público, construção de vários açudes, construção do SESP de Riacho Pequeno, construiu com recursos próprios o alicerce da Igreja Católica.

O mesmo sempre teve muita garra, ninguém poderia imaginar que aquele jovem que foi solicitado para representar o povo na câmara de vereadores tivesse tanto pulso, ou seja, tivesse sangue político nas veias.

Vendo que já tinha conquistado grandes sonhos, decidiu colocar seu irmão Manoel Cornélio, para representar na câmara de vereadores o nosso povo e prosseguir com o desenvolvimento do nosso município. Vale lembrar que naquela época não tinha remuneração, era simplesmente por gostar de ajudar o próximo sem olhar a quem, pelo voluntarismo de servir. Mas mesmo não sendo mais candidato nunca deixou de ajudar o próximo.

E pede persistentemente, para que os atuais governantes olhem com bons olhos ás prioridade de cada governo, em fazer cada vez mais um Riacho Pequeno mais desenvolvido e mais próspero.

Falar sobre a vida de Raimundo Nogueira é o mesmo que se falar de responsabilidade, honestidade, humanidade, de trabalho e compromisso de luta em prol dos mais humildes.

Frase de Raimundo Nogueira “Hoje só resta à vontade de ser novo para ter oportunidade de fazer tudo de novo ou até melhor.”

No ano de 2006, recebeu da câmara de Vereadores de Belém do São Francisco a medalha troféu destaque de honra, pelos relevantes e dedicados serviços prestados ao município de Belém do São Francisco.

Por: Joselito Nogueira

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar