Diante do isolamento, como a família pode minimizar os efeitos da criança autista?

Diante do isolamento, como a família pode minimizar os efeitos da criança autista?

Acompanhado da mãe Roberta Santo e o papai André do Espírito Santo, Pedro Santo, de 5 anos é só alegria

 

A pandemia causada pelo coronavírus impactou o cotidiano de todo o mundo. Pela sensibilidade de adaptação com a mudança de rotina, as crianças com transtorno do espectro autista estão com dificuldade ainda maior de convivência. Como forma de minimizar esse momento, nesta sexta-feira (2), Dia Mundial de Conscientização do Autismo, especialistas reforçam e dão dicas para ajudar na comunicação e desenvolvimento social de quem tem o transtorno.

Segundo Dryelle Azevedo, fonoaudióloga, quem tem autismo pode ter dificuldade na compreensão, fala, ler ou escrever. Há possibilidade que a criança tenha parado de falar algumas palavras que antes falava. Geralmente as dificuldades na comunicação envolvem: compreender, seguir comandos, entender e usar as palavras. Manter conversação e usar gestos, apontar ou acenar, são outras. A profissional orienta que pais e ou responsáveis possam manter uma dinâmica lúdica para estimular a fala das crianças, oferecendo leituras, brincadeiras com músicas e jogos.

Em casa por mais tempo, as famílias estão com mais oportunidades para estimular que as crianças possam ter novas habilidades e provar alimentos desconhecidos, por exemplo.

A terapeuta ocupacional Claudia Guerra, profissional que propõe intervenções necessárias para ajudar na condução dos sintomas do autismo, destaca que as diferentes texturas de alimentos ajudam na aceitação dos pequenos. Foi o caso de Pedro Santo, diagnosticado com autismo aos três anos de idade, a família dele procurou tratamento, pois a criança apresentava dificuldades na fala, linguagem, comunicação e alimentação. “Atualmente Pedro é uma outra criança, antes ele não mastigava, comia tudo pastoso ou líquido “, lembra a mãe Roberta Santo, ao revelar o sucesso do tratamento concluído em dezembro de 2020.

“Meu filho consegue falar bem, se expressar,  brincar com outras crianças, contar histórias e também cantar”, detalha a mãe de Pedro, sobre os avanços conquistados em outros atendimentos.

 

Abaixo algumas atividades que as profissionais sugerem aos pais ou responsáveis: 

– Estabelecer rotina diária, incluindo os horários das refeições, fazer e atividades escolares;

– Incluir as crianças nas atividades da casa;

– Evitar exposição excessiva às telas;

– Seguir as orientações de atividades selecionadas pelos terapeutas da criança;

– Sempre que puder brincar com junto com a criança.

 

Autismo: Conhecido cientificamente como Transtorno do Espectro Autista, o autismo é uma síndrome caracterizada por condições de saúde como o déficit na comunicação, interação social e alterações no comportamento.

 

O tratamento para pessoas com autismo: Não há cura conhecida para o autismo. É importante ajudar a criança o quanto antes. Estudos apontam que a intervenção precoce é importantíssima para o melhorar o prognóstico do quadro. O trabalho interdisciplinar é de extrema importância e geralmente a equipe é composta por neuropediatra, fonoaudiólogo, psicólogo, terapeuta ocupacional e psicopedagogo.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar