”Primeiro riram de mim, depois tentaram me exterminar” afirmou Pablo Marçal sobre candidatura à presidência da República

”Primeiro riram de mim, depois tentaram me exterminar” afirmou Pablo Marçal sobre candidatura à presidência da República

Marçal foi vítima de uma perseguição política que culminou no cancelamento da sua candidatura à presidência da Repúplica

Pablo Marçal assustou os caciques da política brasileira. O empresário mais badalado do marketing digital foi o único a percorrer todas as regiões do país, ainda em pré-campanha, era o candidato com o maior poder aquisitivo declarado entre os presidenciáveis e foi um dos primeiros a receber quantia expressiva de doação para campanha – R$459 mil reais doados por Marcos Paulo de Oliveira, amigo e sócio do então candidato à presidência da República.

Aos 35 anos, com patrimônio em pessoa física na casa dos 100 milhões de reais e sendo o único outsider na corrida presidencial, o influenciador digital sofreu grande perseguição política. Contrariando todos os fatos, sua candidatura a presidência da República foi cancelada, o que seria impossível dentro da legislação brasileira.

“Riram de mim quando falei que iria para a política, mas quando viram que eu não estava pra brincadeira e descobriram o meu potencial, eu me tornei uma ameaça ao sistema e fizeram de tudo para provocar meu cancelamento. Quiseram me exterminar da política, mas eu sou imparável!”

Pablo Marçal, ex-candidato à presidência da República
Após o cancelamento, nessas eleições de 2022, Pablo Marçal sai como candidato a deputado federal pelo PROS no Estado de São Paulo. Nesta segunda-feira (19), durante entrevista para uma emissora paulista de rádio, Marçal declarou: “Desistir não é uma opção. Pode levar o tempo que for, mas estou compromissado com a nossa nação e com o nosso povo”, finalizou o candidato.

Artigos relacionados

Fechar