“Faça o que eu digo, não faça o que eu faço” parece ser o lema do senador Fernando Bezerra Coelho

Postado em 17 de junho de 2017 por Josélia Maria

Hospedagem WordPress

Ao ver matéria em que o Senador Fernando Bezerra afirma que “Veio alguém administrar Petrolina e a cantiga era vender o estádio, o Ceape”, fui pesquisar sobre vendas e doações de áreas públicas de Petrolina para ver de qual ex-prefeito o senador estaria falando, e qual não foi a surpresa ao verificar que o Senador falava dele próprio e não de Julio Lossio, como a imprensa local imaginou.

Hospedagem WordPress

No evento com o ministro interino da Agricultura, nesta terça-feira, 13 de junho, em Petrolina, sem citar nomes, o senador Fernando Bezerra Coelho aproveitou o seu discurso para fazer duras críticas à gestão do ex-prefeito Julio Lossio, o que me levou a fazer uma reflexão sobre o estilo de cada um administrar e o cuidado de cada um com as áreas públicas.

Todos sabem que Julio Lossio vendeu áreas públicas com autorização legislativa, inclusive de vereadores ligados à Fernando Bezerra, com ampla divulgação e com participação democrática, cujos recursos decorrentes de tais vendas foram destinados à construção de AMES, pavimentação, quartel da Guarda Municipal, vários Clubes do Bairro, Canal do Pedro Raimundo, entre outros. Nesse caso, o patrimônio público, antes devoluto, foi convertido em patrimônio público, porém, com verdadeira utilidade pública e a serviço da melhoria na qualidade de vida da população de Petrolina.

Já o ex-prefeito Fernando Bezerra, nas suas três passagens pela Prefeitura de Petrolina, literalmente, fez aquilo que hoje acusa o ex-prefeito Julio Lossio: dilapidou o patrimônio público fazendo infinitas doações de terrenos a entes privados, empresas, amigos, entre outros. Numa pesquisa rápida na legislação de Petrolina, podemos encontrar 196 leis de doações e alienações de terrenos, em seus quase dez anos de mandato de prefeito. Inclusive, o senador Bezerra foi alvo de investigações pelo Ministério Público Federal e pela SPU – Secretaria do Patrimônio da União por irregularidades na venda de terrenos que passaram a integrar o seu próprio patrimônio, mais especificamente, um terreno onde foi construído o Hotel Íbis, de sua propriedade e de sua família, bem como o terreno em que foi construído o River Shopping, como foi amplamente noticiado em blogs da região e na mídia nacional (Quer Saber Política?, Folha de São Paulo, entre outros).

Sobre os recursos oriundos da venda dos terrenos municipais na gestão de Julio Lossio, todos sabemos onde estão: AMES, Clube do Bairro, Canal, Pavimentações, entre outros. Já sobre os recursos provenientes do terreno vendido duas vezes (como o próprio Senador assumiu em nota ter vendido um terreno em seu primeiro mandato e “por equívoco” o mesmo terreno foi vendido novamente em seu segundo mandato), as áreas generosamente doadas “aos amigos” por meio das quase 200 leis municipais sancionadas em seus mandatos de prefeito, a população gostaria de saber o destino e quais valores desses recursos foram aplicados em prol da população de Petrolina.

De fato, há uma grande diferença entre o “Novo Tempo” e o “Velho Tempo”, que se confundem, e o “Tempo de Cuidar das Pessoas” que o prefeito Julio Lossio inaugurou em Petrolina.

Paulo Valgueiro (PMDB)
Vereador de Petrolina
Hospedagem WordPress Hospedagem WordPress



[LoginRadius_Share]