Destaques

MORRE AOS 53 ANOS MARCELO YUKA, UM DOS CRIADORES DA BANDA O RAPPA

revista.cifras.com.br O músico Marcelo Yuka, ex-integrante e um dos fundadores da banda O Rappa, fa ...

‘Não há definição no jogo’, diz João Campos

João Campos participou da reunião com o governador ao lado do líder do PSB na Câmara, Tadeu Alen ...

Marco Aurélio sinaliza que deve rejeitar pedido de Flávio Bolsonaro

  Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil AE O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal F ...

Outubro Rosa - Instituto Ivete Sangalo Hospedagem WordPress Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress Hospedagem WordPress
RADIO WEB JUAZEIRO
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Lista de Links

Datafolha – Erramos: Campos fica com maior parte dos votos de Marina

Postado em 16 de outubro de 2013 por Josélia Maria

104745_ext_arquivo
image-15460

Folha errou no último domingo ao dizer que a maioria dos eleitores de Marina Silva (PSB) migram para a presidente Dilma Rousseff (PT) quando a ex-ministra do Meio Ambiente é substituída pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), na pesquisa Datafolha.

Segundo os dados corretos do instituto, 32% dos eleitores de Marina optam por Campos quando ela não está entre os concorrentes. No cenário mais provável da disputa, é Campos, portanto, o maior herdeiro das intenções de voto de sua nova aliada, Marina Silva.

O segundo maior contingente dos eleitores da ex-ministra, 23%, votam em branco, nulo ou em nenhum dos candidatos oferecidos no cartão de resposta da pesquisa.

Candidata à reeleição, Dilma fica com 22% dos eleitores marineiros, não com 42%, como diziam a reportagem e o infográfico de domingo. Já o senador tucano Aécio Neves (MG) herda 16% dos eleitores de Marina, não 21%.

O mesmo exercício pode ser feito no cenário em que o ex-governador de São Paulo José Serra aparece como candidato do PSDB no lugar de Aécio Neves.

Neste caso, Serra passa a ser o maior herdeiro dos eleitores de Marina. O tucano fica com 33% dos que manifestavam voto na ex-ministra. Campos vem logo atrás com 28%. Outros 18% optam pelo voto em branco, nulo ou em nenhum candidato. Dilma fica em último lugar com 17%.

A leitura equivocada de uma das tabelas produzidas pelo Datafolha gerou o erro da reportagem da Folha na página A4 do domingo. No texto e nos gráficos daquela edição, os índices apresentados como migração de eleitores de Marina eram, na verdade, as intenções totais de voto de cada candidato.

Na pesquisa realizada sexta-feira, o Datafolha ouviu 2.517 eleitores em 154 municípios do país, o que resulta numa margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

13287585
image-15461

POTENCIAL

Marina filiou-se ao PSB, sigla presidida por Campos, depois de fracassar sua tentativa de montar o partido Rede Sustentabilidade a tempo de disputar as eleições de 2014.

Com isso, ela e o governador de Pernambuco não poderão concorrer ao mesmo cargo no ano que vem.

A pesquisa de sexta mostrou que mais da metade dos eleitores (52%) não ficou sabendo da filiação de Marina ao PSB. Como entre eles há eleitores da própria Marina, seu potencial de transferência de votos para Campos é ainda maior.

O instituto também perguntou se Marina agiu bem ou mal ao ingressar no PSB. Para 37%, agiu bem. Outros 17% disseram que agiu mal. O maior grupo (47%) não soube responder.

Quando aparece como candidata no lugar de Eduardo Campos, Marina chega a ter 29% das intenções de voto. Nessas situações, Dilma não alcança mais da metade das preferências, e a eleição teria que ser decidida no segundo turno.

1385253_244151849069484_569310846_n
image-15462





Dilma multiplica viagens e entrega casas sem água e luz

Postado em 16 de outubro de 2013 por Josélia Maria

Dilma-Rousseff-alpq913114323-f3
image-15457

Na Folha de São Paulo

Neste ano pré-eleitoral, a presidente Dilma Rousseff ampliou o ritmo de viagens nacionais, com agendas repetidas e entrega de moradias sem água e energia elétrica.

De janeiro a ontem, quando visitou duas cidades baianas, a pré-candidata à reeleição passou 51 dias em deslocamentos pelo país, marca 13% acima do mesmo período de 2011 e 34% ante 2012.

Sem obras de impacto para entregar, já que vitrines como ferrovias e transposição do rio São Francisco seguem longe das metas iniciais, ela tem focado as cerimônias de viagens em ações de alcance local. Participou este ano de 11 eventos para entregar retroescavadeiras e outras máquinas a prefeitos.

Desde julho, também nas visitas aos Estados, intensificou as agendas relacionadas à formatura de alunos do Pronatec, programa de ensino profissionalizante do governo que é vendido como “porta de saída” do Bolsa Família, por oferecer cursos aos beneficiários do programa.

Já foram seis eventos desse tipo em 2013, como em Ceará-Mirim (RN), neste mês.

As inaugurações de unidades habitacionais de programas federais também ocupam posição privilegiada e já contaram com a presença de Dilma sete vezes neste ano.

Foi assim ontem, em Vitória da Conquista (BA), quando participou de evento para entrega de 1.740 unidades do Minha Casa Minha Vida. Parte delas, porém, mesmo já com os novos moradores, segue sem luz e água encanada.

Beneficiários passam as noites a luz de velas, usam baldes com água trazida de outros locais e contam com ajuda de vizinhos que já têm água ou energia em casa.

A depiladora Laura dos Santos Ribeiro, 66, mora desde sábado passado em uma casa sem água e luz. “Está sendo difícil. Acho um descaso”.

Sem energia, a bateria do celular vive descarregada. “Não estou trabalhando, só correndo atrás dos carros da Coelba [companhia de energia da Bahia]”, disse.

O mesmo problema enfrenta a telefonista Verônica Santana Sousa, 31. “Não pude nem comprar comida, porque não tem como conservar.”

Já a doméstica Selma Ramos, 48, disse que aguarda a instalação da energia para se mudar para a nova casa.

“Fiz o pedido na quinta-feira e até agora nada”, disse.

A dona de casa Creuzeci da Silva, 65, disse que solicitou a instalação da luz na segunda-feira da semana passada. “Não posso vir no escuro. Botei lâmpada e tudo, estou só esperando chegar a energia.”

A casa dela também ainda não tem água nas torneiras.
Segundo o governo baiano, das 1.740 unidades entregues, só 378 tinham energia até a tarde de ontem. Até as moradias do bloco usado por Dilma para simbolizar a entrega das casas estavam sem luz.




jr telecom

Outdoors irregulares serão removidos das ruas em Petrolina

Postado em 16 de outubro de 2013 por Josélia Maria

As secretarias de Ordem Pública e Segurança Cidadã de Petrolina continuam intensificando os trabalhos de regularização de propagandas na cidade. Além dos estabelecimentos comerciais que instalam placas de publicidade nas calçadas, as empresas de Outdoors também estão sendo alvo de fiscalização.

De acordo com dados das secretarias, no município existem 226 outdoors espalhados pelas vias da cidade, sendo que, alguns deles, ainda de forma irregular. As empresas de Outdoor situadas em Petrolina já foram notificadas e tiveram até esta terça-feira (15) para regularizarem a situação.

“A partir de agora caso o proprietário não tenha realizado o pagamento, o mesmo poderá ter o seu material removido das ruas”, frisa o  secretário de Ordem Pública e Segurança Cidadã de Petrolina, Jenivaldo dos Santos.

Para a instalação deste tipo de propaganda é necessário que as empresas procurem a secretaria de Finanças do município e emitam o documento de pagamento da licença de publicidade para a execução do trabalho. Após a emissão do documento, o responsável deverá efetuar o pagamento estipulado para a veiculação da propaganda em Outdoor. Esse valor é calculado por metro quadrado.

“Através deste trabalho conseguimos deixar a cidade mais organizada e visualmente mais bonita. Esperamos contar com o apoio dessas empresas de Outdoor para que o serviço possa ser de fato regularizado o que ajudará tanto os proprietários como a comunidade no geral”, comenta Jenivaldo dos Santos.





Armando relata projeto com direitos e garantias do contribuinte

Postado em 16 de outubro de 2013 por Josélia Maria

 

Senador Armando Monteiro Neto - 16102013
image-15451

Brasília – Projeto relatado pelo senador Armando Monteiro (PTB-PE) que assegura direitos e garantias ao contribuinte brasileiro foi aprovado nesta quarta-feira (16) na Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ). O texto é um substitutivo de Armando ao projeto de lei (PLS 298/2011 – Complementar) da senadora Kátia Abreu (PMDB-TO).

O projeto impõe restrições às condutas praticadas pelos agentes fiscais e estabelece a proibição do uso de meios administrativos de cobrança que comprometam as atividades econômicas do contribuinte para forçar o recolhimento de tributos. O projeto também obriga a Fazenda a informar, anualmente, a carga tributária incidente sobre produtos e serviços, para que o contribuinte tenha conhecimento do que está pagando.

O texto dispõe sobre as normas gerais aplicáveis à relação entre contribuintes e as administrações fazendárias da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. Para Armando, os comandos existentes no projeto deveriam ser inseridos no Código Tributário Nacional (CTN) e não em um Código de Defesa do Contribuinte, como propõe o projeto original. “Criar uma legislação paralela somente contribui para aumentar ainda mais o grau de complexidade do nosso sistema tributário”, destacou.

O relator argumentou ainda que muitos dos temas abordados na proposta já estão regulados no CTN, apresentando também dispositivos que não tratam de matéria tipicamente de legislação tributária e que, portanto, deveriam ser remetidos a leis diversas. Essas ressalvas motivaram a elaboração de um substitutivo, que eliminou estes dispositivos e outros tópicos considerados inconstitucionais.

Quatro emendas foram apresentadas pelo senador Pedro Simon (PMDB-RS), das quais três foram acolhidas por Armando. A matéria segue agora para exame da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

Foto: Ana Luisa Souza




jr telecom

Câmara dos Deputados realizará audiência pública, solicitada pelo deputado Severino Ninho, para debater suicídios de Policiais Federais

Postado em 16 de outubro de 2013 por Josélia Maria

mi_7255803138003376
image-15444

O deputado federal Severino Ninho (PSB-PE) requereu e foi aprovada a realização de audiência pública para debater os elevados índices de suicídios de Policiais Federais no país.

Segundo o parlamentar, em matéria publicada na revista “ISTOÉ”, a situação de desgaste mental dos policiais federais é bem exposta. Ao longo dos últimos 40 anos, 36 policais federais se suicidaram, sendo que 11 policiais se suicidaram entre março de 2012 e março deste ano, o que equivale a média de quase um suicídio por mês.

A audiência pública será na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados e serão convidados Leandro Daiello Coimbra (Diretor Geral da Polícia Federal), Flávio Werneck Meneguelli (Presidente do Sindicato dos Policiais Federais no Distrito Federal) e Fernanda Duarte (Psicóloga e pesquisadora da Universidade de Brasília).

mi_7255827735379745
image-15445

mi_7255859468091529
image-15446

mi_7255842827172209
image-15447

fotos: Cesar Greco / Foto arena; Adriano Machado





Encontro debate Música e Empreendedorismo com os compositores Carlinhos Brown e Liminha e a cenógrafa Bia Lessa

Postado em 16 de outubro de 2013 por Josélia Maria

EDITADO chef_campanha
image-15440

Evento acontece na Feira do Empreendedor no próximo dia 23 de setembro no Centro de Convenções, em Salvador

Três expoentes da cultura brasileira participam do I Encontro de Música e Empreendedorismo, que acontece durante a Feira do Empreendedor. O músico Carlinhos Brown, o produtor musical Liminha e a cenógrafa Bia Lessa, uma das mais requisitadas do País, com trabalhos em teatro, ópera, cinema, música, artes plásticas, moda e arquitetura, serão os palestrantes do Encontro que acontece no próximo dia 23 de outubro, a partir das 20h, no Centro de Convenções. O mediador será o secretário municipal do Desenvolvimento Turismo e Cultura de Salvador, Guilherme Bellintani.

O Encontro vai debater a questão da produção criativa sobre o viés do negócio, sendo que a Bahia é um dos principais polos culturais do País. Segundo a diretora de Desenvolvimento Social da Pracatum, Ruth Buarque, a ideia é mostrar que a cultura vai muito além da música e dos eventos. “Um show não está restrito apenas às pessoas que estão no palco, mas envolve cenografistas, figurinistas, holders, sonoplastas, pessoal de apoio e até mesmo os ambulantes que sobrevivem da venda de bebidas e lanches”, observa Ruth.

Serão abordados ainda temas relacionados ao surgimento das novas mídias digitais, a reconfiguração da indústria fonográfica, modelos de negócio em cultura e novos nichos de mercado, além de economia criativa, empreendedorismo e gestão cultural. O evento é dirigido a músicos, produtores, cenógrafos, estudantes e para demais interessados da área.

A capacitação é uma realização da Associação Pracatum Ação Social e do Sebrae, disponibilizando 250 vagas para o público. As inscrições já estão abertas no site da feira(http://producao.feiradoempreendedor.ba.sebrae.com.br/eventos/loja/filtrarEventos?titulo=musica&eventoTipoId=), com investimento de R$ 10.





Núcleo de Teatro do Sesc estreia Ensaio Curral Grande

Postado em 16 de outubro de 2013 por Josélia Maria

por Marcus Ramos (25)
image-15436

Por Adriano Alves 

A seca, seu contexto e a política são a base do espetáculo Ensaio Curral Grande, que estreia neste Sábado (19) às 20 horas no espaço do Sesc. Baseada no texto de Marcos Barbosa, a montagem do Núcleo de Teatro do Sesc Petrolina retrata em cena as histórias que cercam os campos de concentração na seca de 30 do século passado, que a muito estavam escondidas no passado cearense.

Os campos de concentração, conhecidos como “currais do governo”, foram criados na tentativa de conter os retirantes que migravam do sertão em direção à região de Fortaleza. Pouco se sabe sobre sua história, pouco se fala, talvez por tocar em assuntos políticos. O Núcleo, que pesquisou durante um ano sobre a temática, recriou coletivamente o texto original a partir do olhar dos atores.

Passado tanto tempo em pesquisa, o elenco se preparam para estrear com um embasamento teórico resultante de seminários sobre temas complementares ao processo, como o contexto histórico da década de 1930 e o teatro épico de Bertolt Brecht. O ator Diego Rodrigues lembra seu primeiro contato com o texto, “fiquei impressionado com as revelações que vi. Nunca imaginei que, no nosso Brasil, campos de concentração fossem erguidos […]. Naquela noite da leitura do texto, todos do Núcleo ficaram sentidos”, declarou.

A encenação é guiada pela seca enquanto fenômeno natural, sabendo que ela é cíclica e, portanto, prevista, o Núcleo questiona também as políticas públicas que se referem ao semiárido. “Mesmo falando de 30, estamos falando do presente. Assim a peça tem um valor histórico e sócio-político”, afirma o diretor Thom Galiano.

por Marcus Ramos (28)
image-15437

Serviço:

Ensaio Curral Grande

Dias 19 e 20, 26 e 27 de Novembro.

Às 20 horas no Sesc Petrolina.

Entradas populares: R$ 5,00.





Marina Silva entrevista no programa do Jô – 15/10/2013

Postado em 16 de outubro de 2013 por Josélia Maria

http://youtu.be/H2Y2DzRqMp0

Durante a entrevista, Marina Silva comenta quais são os seus planos dentro da política. “Não tenho como objetivo de vida ser presidente da República, eu tenho como objetivo um país e um mundo melhores. Se para isso, eu precisar ser presidente da República, o serei, mas se tiver quem faça isso por mim, continuo como professora com muito orgulho”, afirma.

Segundo Marina, a sua aliança com o PSB não indica que ela será vice de Campos. “A nossa conversa não colocou essa questão de vice ou não vice. Eu fui para lá para colocar um programa”, declara.

De acordo com a ambientalista, ao receber a notícia de que a criação do partido Rede havia sido recusada, ela se viu diante de um dilema. “Se nós nos recolhêssemos, seríamos cobrados. Se eu fosse para outro partido, todos iriam dizer que estava indo para um partido de aluguel”, explica.

Marina Silva também conta como surgiu a ideia de se aliar ao PSB. “Não tinha um plano B. Já que nos foi negado participar com nossas propostas, por que não procurar um partido que simpatizasse com nossas idéias? Quando nós decidimos a criação do partido Rede, o PSB, através de seu presidente Eduardo Campos, foi o primeiro partido a nos saudar”, lembra a ex-senadora.(Globo)

 




jr telecom