Destaques

BALANÇO DA PMBA DO CARNAVAL DE JUAZEIRO 2019

Na manhã desta segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019, os festejos do Carnaval de Juazeiro 2019 fin ...

Campanha de Carnaval da Hemoba busca garantir os estoques de sangue durante o período da folia

Com o slogan “Essa letra não pode faltar no Carnaval – Doe Sangue”, a Fundação Hemoba inici ...

Projeto ‘Amigos do SAMU’ continua orientando alunos da rede municipal sobre prejuízo de trotes em Petrolina

O projeto “Amigos do SAMU”, iniciado em agosto do ano passado pela Prefeitura de Petroli ...

Armando Monteiro destaca importância do Garantia-Safra

Postado em 1 de abril de 2013 por Josélia Maria

image-7293

Brasília – Produtores rurais e trabalhadores da agricultora familiar atingidos pela seca no Nordeste serão beneficiados com opagamento adicional do Fundo Garantia-Safra e do Auxílio Emergencial Financeiro pela quebra da produção 2011/2012. Isto é o que prevê um projeto que será discutido, esta semana, no Plenário do Senado, beneficiando os agricultores localizados na área de atuação da Sudene.

Para o senador Armando Monteiro (PTB-PE), a medida é um auxílio fundamental para minorar os efeitos econômicos e sociais da longa estiagem que assola o Nordeste e, em especial, Pernambuco. “A seca está liquidando a economia rural do Estado”, salientou.

Os novos valores passam a ser de R$ 560 (fundo) e R$ 320 (auxílio). Com isso, os agricultores receberão um total de R$ 1.240, se participantes do Garantia-Safra, ou R$ 720, se contemplados pelo auxílio emergencial. Os valores normais são, respectivamente, R$ 680 e R$ 400.

Os produtores independentes de cana-de-açúcar da região também devem ser beneficiados com a concessão de subvenção extraordinária. O subsídio será de      R$ 10 por tonelada, limitado a 10 mil toneladas por produtor, atendendo 17 mil agricultores. Outra ação emergencial que merece destaque do senador Armando é a expansão para 500 mil toneladas da compra de milho para venda direta ao produtor, a preços favoráveis para pequenos criadores de aves, suínos, bovinos, caprinos e ovinos.

A Sudene abrange os nove estados do Nordeste, além de municípios do Vale de Jequitinhonha, em Minas Gerais, e do norte do Espírito Santo. O texto chegou ao Senado, proveniente da Câmara, no dia 26, e teve parecer da comissão mista que analisou a MP, já aprovado pelo Plenário da Câmara.





“Seca é cíclica e previsível; soluções devem ser duradouras”, diz chefe da Embrapa Semiárido

Postado em 1 de abril de 2013 por Josélia Maria

image-7290

O fenômeno climático da seca é antigo, cíclico, previsível e pode-se conviver com ele de maneira sustentável, desde que se faça uso de soluções tecnológicas e alternativas adequadas. Esta foi uma das afirmativas de destaque feitas pelo chefe-geral da Embrapa Semiárido (Petrolina, PE), Natoniel Franklin de Melo, em palestra sobre tecnologias da Embrapa aplicadas ao Semiárido, em audiência pública na Assembleia Legislativa de Sergipe, na terça-feira (26).

Atendendo a convite do deputado estadual João Daniel, e acompanhado pelo chefe-geral da Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju, SE), Edson Diogo Tavares, Natoniel falou para um parlamento lotado de deputados, prefeitos de municípios castigados pela seca, agentes públicos das três esferas de governo, dirigentes de movimentos populares ligados ao campo e populações tradicionais – MST, Quilombolas, Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Sergipe (Fetase), entre outros.

Na audiência intitulada ‘Adaptação, desafios e perspectivas da seca no Semiárido’, o chefe de uma das oito Unidades da Embrapa localizadas no Nordeste fez uma caracterização da região e seus aspectos climáticos e de solo, além de abordar aspectos relevantes na adaptação do pequeno agricultor na região do Semiárido sergipano e nordestino.

“O primeiro ponto que devemos ressaltar é que o Semiárido brasileiro não é uma região tão uniforme quanto se imagina. Dentro dele encontramos cerca de 110 unidades de paisagem distintas, com condições de clima, solo e vegetação diferentes, e as soluções devem ser adequadas a cada caso específico. Não dispomos de uma tecnologia que possa ser aplicada de forma geral a todo o Semiárido”, explica.

Água é essencial
Outro aspecto crucial frisado pelo chefe-geral da Embrapa Semiárido é que a água é o componente essencial de todos os agroecossistemas em questão. Segundo ele, as tecnologias e alternativas de captação e aproveitamento da escassa água da região são o principal fator de uma convivência sustentável com a falta de chuvas.

“As variadas técnicas de captação da água da chuva, extração de águas subterrâneas e tratamentos para redução de sua salinidade, a construção de barragens subterrâneas, entre outras, são fundamentais para que as tecnologias agrícolas tenham sucesso”, reforçou.

Entre as soluções destacadas por Natoniel estão materiais genéticos desenvolvidos pela Embrapa e adaptados às condições do Semiárido, como as variedades de milho Gorutuba e Caatingueiro, o uso de inoculantes com bactérias diazotróficas que dão maior resistência às plantas nessas condições, técnicas de manejo adequado das culturas e sugestões de diversificação da produção com fruteiras resistentes à seca, como o umbuzeiro e forrageiras e leguminosas que podem servir de alimento para os animais, como o sorgo e a gliricídia.

O pesquisador defendeu medidas de natureza não emergencial, mas estruturantes e duradouras. “Num período de seca severa como estamos atravessando agora, não há muito o que se fazer a não ser se preparar para o longo prazo, com implementação de práticas que se tornem de fato políticas de Estado”, defendeu.

Após a palestra, os participantes da audiência puderam compartilhar suas opiniões e sugestões para soluções e medidas de enfrentamento à seca. A ideia é que as representações das instituições federais em Sergipe, como a Universidade e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe, a Conab BA/SE, Embrapa, ministérios, Incra e outros unam forças com os agentes públicos e produtores do estado para agir com rapidez e implantar soluções viáveis e efetivas.

Para o deputado João Daniel, esse é um tema muito importante para a região Nordeste do Brasil e especialmente para Sergipe. “O mundo inteiro vive esse problema e temos que nos preparar porque as consequências são muito graves, e já estão diante de nós”, declarou.




jr telecom

Testes rápidos para HIV serão ofertados em Juazeiro em alusão ao Dia Mundial da Saúde

Postado em 1 de abril de 2013 por Josélia Maria

 A Secretaria da Saúde de Juazeiro, através do Programa Municipal de DST/HIV/AIDS e Hepatites Virais, realiza – em alusão ao Dia Mundial da Saúde (07/04) – ações de promoção, prevenção e diagnóstico, nos dias 04 e 05 de abril, no Centro de Saúde III, Angari, das 7h30 às 12h.

Também serão oferecidos testes rápidos para HIV, sífilis e hepatites B e C. O objetivo é sensibilizar a população para a importância da saúde e dos devidos cuidados.





Andrea Lossio e Pérsio na disputa de 2014. Verdade ou 1º de abril?

Postado em 1 de abril de 2013 por Josélia Maria

image-7282
Há quem diga nos bastidores que o prefeito Julio Lossio (PMDB) ,trabalha o nome de sua esposa Andrea Lossio e do vereador Pérsio Antunes para disputarem uma vaga na Assembléia Legislativa.

Andrea sempre é vista nos movimentos sociais e foi uma das pessoas responsáveis pela vitória na reeleição do prefeito  devido  ao seu carisma e empatia.

image-7283
Apesar dos roídos de que Pérsio está magoado com Julio em política “tudo pode acontecer inclusive nada”





“Mais um herdeiro na política”

Postado em 1 de abril de 2013 por Josélia Maria

image-7278
Da coluna de João Alberto em 27/02/2012

“Na ocasião, os Coelho aproveitam para deixar claro que na vaga do primogênito entrará outro herdeiro, Miguel, de 21 anos”.

Caso o Ministro não emplaque sua candidatura a governador  Miguel será candidato a deputado estadual ? Perguntar não ofende





A hora de FBC virar cangaceiro

Postado em 1 de abril de 2013 por Josélia Maria

image-7274
Por Fernando Castilho, do JC Negócios, especial para o Blog de Jamildo

Roberto Magalhães era candidato ao Senado e seu vice, Gustavo Krause, estava assumindo o governo de Pernambuco quando Fernando Bezerra Coelho comunicou a decisão de sair do PFL para o PSB de Miguel Arraes.

O primeiro time da política pernambucana conversou com Bezerra Coelho (não havia ainda a sigla pessoal FBC) e perguntou: O que ele iria fazer do outro lado? Ser uma espécie de jagunço de Doutor Arraes?

A todos com quem conversou Fernando contra-argumentou: Deste lado não tenho perspectivas. Estarei na fila de Marco Maciel, Roberto Magalhães, Joaquim Francisco, Ricardo Fiúza, Inocêncio Oliveira, entre outros.

Não ouviu os conselhos de gente mais velha (Fernando tinha apenas 28 anos e já fora líder do Governo Roberto Magalhães na Assembleia Legislativa), que insistiam: Bezerra Coelho era o melhor quadro que o campo da direita produzira depois de Nilo. Bem nascido, bem formado, articulado e com extraordinária capacidade de perceber o todo. Era membro de uma família com tradição de poder político, poder econômico. E era jovem, portanto, tinha tempo. De vários integrantes ouviu a mesma advertência: Nesse estado, a política não premia quem muda de lado.
Fernando foi.

Não foi só, porque saiu junto com seu pai, Paulo Coelho quando estava se desenhando o racha da família que naquele momento era liderada politicamente apenas pelo deputado Osvaldo Coelho.

Foi e ao longo dos anos viu a profecia dos caciques do PFL quase virar uma maldição. Não que tenha sido de todo ruim. Com o passar dos anos, ele passou a comandar uma banda do grupo político sertanejo dos Coelhos. Mesmo que tivesse em várias vezes batidos de frente com a outra parte de sua família liderada pelo velho Tio Osvaldo.

Numa delas, perdeu a Prefeitura de Petrolina para o novato Guilherme, filho de Osvaldo e escolhido para a disputa quase para não perder por W.O. devido à falta de quadros. Nesta eleição, tornou-se conhecida uma das mais hilárias histórias da política do Vale do São Francisco embora não se saiba se aconteceu de fato.

Ela diz que quando Fernando atacou Guilherme num palanque perguntando quem era aquele que chegava de fora e já queria ser prefeito de sua querida Petrolina, foi interrompido por um bêbado embaixo do palanque que teria fuzilado:

Conversa, Fernando, todo mundo sabe que Guilherme é teu primo.

Ao longo dos anos, no espectro político, Fernando Bezerra Coelho já foi quase tudo. Entrou no PSB de Arraes, no PMDB de Jarbas, no PPS de Roberto Freire, para onde foi junto com João Lyra, até voltar para o PSB de Eduardo Campos que herdara a sigla do avô.

Nessa peregrinação ele foi quase um hebreu no deserto servindo ao campo da esquerda. Ganhou e perdeu eleição em Petrolina até que veio para Recife virar secretário de Eduardo, mas sempre mirando no Palácio do Campo das Princesas que sempre julgou ser seu destino. Mudava de rota, mas não mudava de rumo.

Quando Eduardo Campos venceu a eleição, para quem trabalhou feito um escravo, Fernando recebeu a secretaria de maior visibilidade e certamente a que mais próximo deu-lhe condições de uma disputa com chances na majoritária.

Era bem diferente da candidatura de vice-governador para o qual foi escalado pelo velho Miguel Arraes que tentava um quarto mandato sabendo que iria perder. Desta vez, estava na vitrine de um Pernambuco apoiado por Lula que descobrira o governador Eduardo Campos gestor e se apaixonara por ele.

Fernando virou secretário e seu deu bem. Virou nome conhecido no estado todo. Prometeu mais indústrias do que qualquer outro podia prometer. E entregou boa parte delas ainda no primeiro mandato.

Virou figurinha carimbada em Brasília pela capacidade de lançar projetos e desenhar cenários. Lula não vinha ao Nordeste sem chamá-lo para estar presente ao lado de Eduardo Campos. Fernando virou um nome conhecido de Lula e até com trânsito no PT nacional.

Ah, no meio dessa conversa virou presidente do Santa Cruz e articulou com Ricardo Teixeira, uma complicada operação de resgate de Pernambuco à lista de cidades que poderiam sediar a Copa do Mundo de 2014 cuja realização de um jogo da Seleção Brasileira no Recife selou a candidatura da cidade.

Fernando Bezerra conseguiu viabilizar uma restauração relâmpago no Estádio do Arruda que fez a Fifa elogiar a organização. Fernando virou o FBC das torcidas organizadas, mesmo que o Santinha tenha continuado na terceira divisão.

Quando veio a campanha da reeleição de Eduardo Campos, FBC apostou tudo na vaga que hoje é de Armando Neto. Achava que Humberto estava eleito na vaga de Sérgio Guerra que decidiu ser deputado federal e que a de Marco Maciel poderia ser sua. Eduardo seria reeleito e a vaga no Senado lhe cacifaria para 2014.

Esqueceu-se de combinar com o governador. Eduardo costurou a chapa com Humberto e Armando Neto. FBC, mais uma vez, ficou na reserva lembrando a profecia dos caciques do PFL nunca verbalizada de fato: quem nasceu para jagunço não vira chefe de bando de cangaceiro.

Mas, Eduardo pagou-lhe a conta do sacrifício. Fez a presidente Dilma Rousseff dar-lhe um ministério onde poderia rodar o Brasil e o Nordeste. Era uma tranqueira com as confusões da Transposição e da Transnordestina, mas FBC com o passar dos anos tinha virado especialista nisso. Pouca gente discorda que FBC não seja um trator que roda 20 horas por dia, sete dias por semana. É verdade que não guarda dois minutos de segredo de ninguém se tiver uma notícia para dar a um jornalista. Mas, isso é típico dele. FBC realiza.

E ele estava trabalhando duro no Ministério da Integração quando Eduardo Campos entendeu de disputar a Presidência da República batendo de frente com sua chefe, Dilma. Está ficando difícil. Toda vez que Eduardo Campos sobe o tom, o pessoal do PT do Governo Federal olha para ele atravessado.

Mas, há duas semanas, um gesto de Dilma numa solenidade em Serra Talhada abriu o que, para muitos, era um cenário inimaginável antes de Eduardo virar candidato não declarado: Fernando Bezerra Coelho poderia virar candidato de Lula e de Dilma ao governo de Pernambuco.

O partido pode ser, inclusive, o dos Trabalhadores hoje esfacelado e sem condições de dizer um não a uma ordem de Lula, dentro de um projeto para dividir os votos de Eduardo na sua base. Lula que inventou Dilma Rousseff e inventou Fernando Haddad poderia inventar mais um. Dentro do pesado jogo que o ex-presidente está armando para vencer no Nordeste, FBC cairia como uma luva em Pernambuco.

Não vai ser uma travessia fácil. Mas, na medida em que Eduardo racha com Dilma vai ter um momento em que o PSB terá que desembarcar do governo e pode ser nesse momento que FBC desembarque do PSB. Pela legislação eleitoral, ele tem até outubro para decidir isso.

Feita hoje, a conta é absurda, mas não improvável no futuro. Afinal, FBC sabe que Eduardo Campos não vai dar-lhe a vaga de candidato a governador, porque sabe que ele não será um aliado incondicional e disciplinado. Não foi quando era subordinado a ele no Governo, enquanto secretário, tendo uma atuação independente. Por que seria com milhões de votos?

Além disso, a vaga, com Jarbas voltando do “caminho da perdição” ao campo da esquerda socialista, está fora da disputa na medida em que Jarbas deve percorrer o Brasil catando apoio para Eduardo Campos.

Sabe também que o PT de Pernambuco pode até estrebuchar com sua candidatura e reclamar muito, mas a perspectiva de poder com Dilma e Lula, e com FBC no governo, devolve ao partido a oportunidade de chegar aonde nunca chegou: o governo de Pernambuco com o aval de Dilma e Lula.

Tudo isso é especulação, mas Eduardo sabe que FBC não pretende pagar outra cota de sacrifício ao grupo que lidera. Sabe que na cabeça do ministro, ele já bateu sua cota de jagunço. E que para FBC talvez tenha chegado a hora de ele virar cangaceiro e dono de seu próprio bando. Naturalmente, contando que Eduardo Campos não vai muito longe com a candidatura a
presidente.




jr telecom

FACAPE lança edital para Transferência Interna/Externa e Portador de Diploma

Postado em 1 de abril de 2013 por Josélia Maria

image-7270
A Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (FACAPE) disponibilizou hoje, 01/04, em seu site o Edital para Processo Seletivo de Transferência Interna, Externa e Portador de Diploma de Curso Superior para entrada no segundo semestre letivo de 2013.

As inscrições serão abertas a partir das 8h de 01 de abril e irão até às 20h de 25 de abril através do endereço eletrônico: www.facape.br. Os valores são: Transferência Interna: R$ 55,00 (cinquenta e cinco reais), Transferência Externa: R$ 110,00 (cem e dez reais) e Portador de Diploma de Ensino Superior; R$ 110,00 (cem e dez reais) a serem pagos por meio de boleto bancário, gerado no momento da inscrição. As provas serão no dia 05 de maio de 2013, das 09h15min às 12h15min.O local e o número da sala em que realizará a prova estarão informados no Cartão de Inscrição.

Outras informações:

Setor de Concursos

(87) 3866-3260





Deputado Adalberto Cavalcanti, confirma participação em Brasilia, no movimento de emancipação, apoiando o distrito de Izac‏olandia

Postado em 1 de abril de 2013 por Josélia Maria

image-7265
Desta vez a comissão de emancipação de Izacolandia, não estará sozinha, um integrante de peso deputado estadual Adalberto Cavalcanti, reunido neste domingo dia 31, pela manhã no centro de Petrolina, garantiu a um dos integrantes e presidente da comissão local, que poderia contar com a participação do mesmo em Brasilia, onde acontecerá uma reunião com todos os lideres de partidos as 10h do dia 16 de Abril no Auditório Nereu Ramos.Está confirmada a presença do presidente da Câmara  o deputado federal Henrique Eduardo(PMDB-RN).

image-7266
Na reunião, os lideres discutirão a possibilidade do projeto ir a pauta da ordem do dia, que poderá ser votada no dia 17 de abril. Lideranças dos movimentos de todo pais já articulam-se para se fazerem presentes e acompanhar os tramites em favor do PLP-416; projeto de lei que originou-se no senado federal e agora encontra-se pronto para a pauta na Câmara Federal; o mesmo projeto sendo aprovado, os estados brasileiros terão novamente autonomia para legislar sobre a fusão, criação e desmembramento de municípios.

A comunidade de Izacolandia, desde a muito vem lutando por sua autonomia administrativa, participando ativamente de movimentos nacionais que defende as emancipações, e por mais de 03 vezes esteve participando de mobilizações na capital federal, com integrantes  da sociedade civil daquela comunidade. O deputado Adalberto Cavalcante declarou que seria uma voz a defender as liberdades dos distritos que estão na luta, a saber que a lei não apenas favorecerá Izacolandia, como também, a Rajada, Nascente, Pão de Açúcar, Ibiranga, e os mais de 1000 novos municípios a se formarem em todo pais, entre os quais mais de trinta estão em Pernambuco. Adalberto Brincou com a comissão dizendo “se depender de um grito estarei lá”.

Atenciosamente,

Comissão Emancipação de Izacolandia