Destaques

Raul Henry vai ao interior de Pernambuco para agradecer votação conquistada

Deputado federal eleito iniciou viagem pelo Sertão, na última sexta-feira (7), onde visitou seis c ...

MEI recebe isenção de taxas

Devido à uma solicitação nacional de diversas entidades, incluindo o Fórum Estadual da Micro e P ...

PMBA PARTICIPA DA CAMPANHA NATAL SEM FOME

O Comando de Policiamento da Região Norte (CPRN) aderiu a Campanha Natal sem Fome promovida pela Or ...

Outubro Rosa - Instituto Ivete Sangalo Hospedagem WordPress Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress Hospedagem WordPress
RADIO WEB JUAZEIRO
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Lista de Links

“Uma Nova Petrolina” com Velhos problemas

Postado em 14 de janeiro de 2013 por Josélia Maria

Fotos da blogueira na tarde desta segunda-feira (14), na Orla 2, Bairro Nobre de Petrolina

image-4485

image-4486

image-4487

image-4488

image-4489





Deputado Adalberto Cavalcanti: trabalho voltado para os mais carentes

Postado em 14 de janeiro de 2013 por Josélia Maria

image-4480
O Deputado Estadual Adalberto Cavalcanti(PHS), já apresentou às localidades de Rajada-Distrito de Petrolina, Afrânio e Dormentes, uma ambulância S10 toda equipada e uma unidade móvel moderna com dois consultórios.

Suas novas aquisições  irão prestar serviços  aos Bairros de Petrolina, além das cidades de Santa Cruz e Santa Filomena.

“Fui  eleito para defender os mais necessitados, os mais carentes, os mais humildes. .Assim  vou fazendo a minha parte  no social para o povo do meu sertão”, comentou  o deputado Adalberto

image-4481





Suspensão da venda de 225 planos de saúde passa a valer a partir desta segunda

Postado em 14 de janeiro de 2013 por Josélia Maria

image-4476
A partir desta segunda-feira (14), 225 planos de saúde administrados por 28 operadoras estão proibidos de ser comercializados em todo o Brasil. De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a decisão foi tomada em razão do descumprimento dos prazos máximos fixados para a marcação de consultas, exames e cirurgias.

A venda dos planos ficará suspensa até março, podendo ser prorrogada em caso de reincidência. Quem já é beneficiário dos planos suspensos não terá o atendimento prejudicado, uma vez que a suspensão consiste em impedir as operadoras de vender a novos segurados.

Desde dezembro de 2011, quando foi iniciado o monitoramento, 16 operadoras não vêm cumprindo, de forma reincidente, os critérios estabelecidos pelo governo e serão indicadas para a abertura de processo com o objetivo de corrigir as anormalidades. As outras 12 operadoras suspensas e não reincidentes deverão assinar um termo de compromisso visando à redução do número de reclamações.

Das 38 operadoras que tiveram planos suspensos em outubro do ano passado, 18 melhoraram os resultados e já podem voltar a comercializar um total de 45 planos de saúde. A lista completa de operadoras e planos de saúde suspensos pode ser acessada no site da ANS.

Fonte: Agência Brasil




jr telecom

Já em São Paulo, Dominguinhos tem quadro de saúde estável

Postado em 14 de janeiro de 2013 por Josélia Maria

 
image-4471
Dominguinhos, internado com infecção respiratória e arritmia cardíaca em 17 de dezembro, está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI)
Foto: Rodrigo Lobo/JC Imagem

Do NE10 Com agências

Continua estável o quadro de saúde do músico Dominguinhos, de 71 anos, transferido, na manhã deste domingo (13), do Recife, onde estava internado há quase um mês, para o Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

A unidade de saúde informou em boletim médido divulgado nesta tarde que o sanfoneiro será submetido a exames de imagem e laboratoriais.

Dominguinhos, internado com infecção respiratória e arritmia cardíaca em 17 de dezembro, está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Antes da transferência, o músico permanecia respirando com a ajuda de aparelhos e com a infecção, que pode ter sido adquirida nas comemorações do centenário de Luiz Gonzaga, no Sertão de Pernambuco, controlada.

“A partir de agora seu tratamento será coordenado pela oncologista que o acompanha desde o diagnóstico do tumor pulmonar, há 6 anos”, trazia o último boletim médico da equipe do Hospital Santa Joana, onde Dominguinhos estava internado.





Projeto de Lei de doação do HUT à Univasf será assinado nesta segunda-feira

Postado em 14 de janeiro de 2013 por Josélia Maria

image-4467
Projeto de Lei de doação patrimonial do Hospital de Urgências e Traumas (HUT) de Petrolina à Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) será assinado e encaminhado à Câmara Municipal de Vereadores nesta segunda-feira (14).  A solenidade acontecerá no gabinete da Prefeitura Municipal, às 9h30, e contará com a presença do prefeito Júlio Lóssio; do reitor da Univasf, Julianeli Tolentin; do presidente da Fundação de Saúde do Vale (Fundação SAVE), José Carlos de Moura, dentre outras autoridades.

Na cerimônia, o prefeito Julio Lossio também assinará o convênio de gestão do HUT entre o município e a Fundação SAVE, e o termo de cooperação técnica entre Univasf e Save, para a manutenção dos programas de residência e internato de alunos naquela unidade de saúde.

A elaboração e o encaminhamento do Projeto de Lei à Câmara de Vereadores foi solicitada através de ofício da Univasf, recebido pela chefia de gabinete da prefeitura no último mês de dezembro.




jr telecom

Policia civil de Salgueiro localiza mulher que desapareceu no Ceará

Postado em 14 de janeiro de 2013 por Josélia Maria

Policiais civis da delegacia de Salgueiro, sertão central, localizaram na manhã deste domingo (13),  uma mulher que estava desaparecida desde o dia 10 de janeiro da cidade de Brejo Santo,  Estado do Ceará, Silvana Nascimento Rodrigues, 35 anos.

 Os policiais identificaram Silvana após esta procurar a delegacia de polícia civil para registrar boletim de ocorrência porque havia perdido os seus documentos, os agentes plantonistas receberam uma informação de que Silvana estava sendo procurada pela família que tinha divulgado pela internet através de  emails o seu desaparecimento. Segundo familiares, ela toma remédios controlados e faz tratamento psicológico e por um momento de distração de sua mãe, enquanto pegava remédios para a filha no  Centro de Atenção Psicossocial de Brejo Santo, Silvana desapareceu.

 Os policiais realizaram assim contato com familiares de Silvana estes vieram até a delegacia de Salgueiro e a levaram de volta para casa.





Deputado Gonzaga Patriota critica veto à lei que trata do recolhimento de habilitação

Postado em 14 de janeiro de 2013 por Josélia Maria

image-4460
O deputado Gonzaga Patriota, do PSB de Pernambuco, lamentou o veto da presidenta Dilma Rousseff à lei que elimina a possibilidade de recolhimento, pela autoridade de trânsito, da Carteira Nacional de Habilitação do motorista que conduzir um veículo de categoria diferente daquela para a qual está habilitado.

Relator da proposta na Câmara, Gonzaga Patriota entende que não se deve recolher o documento do cidadão por dirigir veículo de outra categoria. Vetada integralmente pela presidente da República, a lei mantinha apenas multa e apreensão do veículo para esses casos. Hoje, a carteira de habilitação é recolhida e enviada à autoridade de trânsito, a quem compete aplicar a pena.

Patriota afirmou que vai trabalhar para derrubar o veto da presidente da República quando ele for apreciado pelo Congresso.

“Existem aí milhares de vetos a serem analisados agora, acredito, em fevereiro. Vamos tentar incluir esse aí, submeter à apreciação dos membros do Congresso Nacional e saber se mantém ou se deixa o veto como está nesse projeto. Eu vou tentar derrubar o veto. Se não puder, a gente está no Parlamento exatamente para democraticamente discutir as matérias.”

Na mensagem de veto publicada no Diário Oficial da União, a presidente da República citou manifestações dos ministérios da Justiça e das Cidades em favor do veto. A presidente alega que a alteração significa um “afrouxamento das regras de trânsito vigentes, em contrariedade ao interesse público”.

Com informações da Agência Câmara





Dilma promove festa Trash na economia

Postado em 13 de janeiro de 2013 por Josélia Maria

Com PIB baixo, deterioração fiscal, restrições a importações e dinheiro farto para bancos públicos, Presidência da República promove um revival dos anos 80 na condução da política econômica. Agora é só torcer para a inflação galopante não voltar também

image-4455

A Trash 80’s é uma popular festa paulistana cujo objetivo é reviver o ambiente dos anos 1980. A similar no Rio de Janeiro é a Festa Ploc – em referência a um antigo chiclete. Com dancinhas nostálgicas e até mesmo fantasias de personagens da época, o público relembra, com espírito escrachado, uma década tida como “cafona” ou “trash” (palavra inglesa para designar aquilo que é ruim, mas tem graça).  Curiosamente, em Brasília está em curso outro revival daqueles tempos de excessos. Se as festas musicais são inofensivas, a presidente Dilma Rousseff e sua equipe econômica parecem interessados em recuperar o lado perigoso dos anos 1980: o da falta de rigor no controle da inflação, das políticas econômicas de curto prazo e emergenciais, do protecionismo e do intervencionismo. O Brasil mudou – e muitas das antigas doenças econômicas foram sanadas. Mas o risco de repor em prática velhos conceitos da chamada escola desenvolvimentista, na vã esperança de que agora eles possam render frutos, continua alto.

Em 1989, o economista Roberto Campos deu uma entrevista a VEJA tratando, com a lucidez que lhe era peculiar, dos problemas que travavam o avanço do Brasil à época. Dizia Campos: “o estado se infiltra em toda a vida produtiva para atrapalhar. Criam-se obstáculos inimagináveis à importação, exigindo-se licença prévia para a compra no exterior (…) quando essa licença é uma coisa em desaparecimento no mundo”. O economista criticou o intervencionismo e o protecionismo, além de ironizar os entraves em vigor para a entrada de capital estrangeiro. “No Brasil, inventam-se ainda dificuldades enormes para a entrada do capital estrangeiro, como se estivéssemos nadando em dinheiro. Protegem-se certos setores, como a informática, da concorrência externa – e o que resulta disso é que o consumidor tem de engolir produtos de qualidade inferior e preço superior aos do mercado internacional”, disse. Apesar de ter ocorrido há mais de 20 anos, a entrevista poderia ser publicada nos dias de hoje sem que as análises de Campos soassem anacrônicas.

Nos anos 1980, quando o “dragão inflacionário” assolava a economia brasileira – em 1989, a inflação alcançou 1.764% ao ano – a presidente Dilma Rousseff, graduada em economia, se exercitava na política do Rio Grande do Sul. Em 1986, Dilma foi nomeada secretária da Fazenda de Porto Alegre, o que significa que ela tinha de lidar com as implicações da crise que flagelava o país. Mas essa experiência parece não a ter convencido de que os remédios então testados são ineficazes.

Desenvolvimentismo em xeque – Ao intervir no setor produtivo por meio de Medidas Provisórias e recorrer a artifícios protecionistas como as barreiras à importação, o governo Dilma reergue bandeiras do pensamento desenvolvimentista que nasceu na era Vargas e se manteve em voga até o final dos anos 80. “A orientação que está sendo passada agora pelo governo é muito alinhada com o que tinha a ditadura, que se estendeu até 1985. Naquela época, o capitalismo de estado era forte, com participação direta das estatais, que serviam como veículos do governo para movimentar a economia”, diz Sérgio Lazzarini, professor do Insper e autor do livro Capitalismo de Laços(Campus Elsevier).

Outra praga dos anos 80 foram os planos ou “pacotes” que mexiam com variáveis da economia em busca de soluções mágicas – e se enfileiram, em retrospecto, num rosário de fracassos. Em 2012, o governo interveio abertamente no câmbio, na indústria e na taxa de juros, na intenção de insuflar o crescimento no país. Em dezembro, a Selic fechou o ano na mínima histórica de 7,25%, enquanto o dólar subiu a 2,10 reais. Desenvolvimentistas acreditam que juros baixos e câmbio desvalorizado sejam a base para um Produto Interno Bruto (PIB) invejável. Mas o resultado não veio como esperado – e o PIB não deve crescer mais do que 1%.  “A maior lição dos anos 1980 é de que o governo deve buscar políticas de estímulo à produtividade, e não medidas de curto prazo”, afirma Gustavo Loyola, ex-presidente do Banco Central e sócio da Tendências Consultoria. “Elas acabam multiplicando as distorções e os obstáculos ao crescimento.”

Medidas de “genius”
Aperte os botões do brinquedo que fez sucesso nos anos 80 para saber quais ideias perigosas estão sofrendo um revival 

image-4456

A década (ainda) não foi perdida – De todas as tragédias que poderiam se abater sobre a economia brasileira, nenhuma seria maior que o retorno da inflação. Nos últimos dois anos, o governo parece ter abandonado o propósito de fazer a inflação convergir para 4,5% ao ano, o centro do sistema de metas. Em 2011 a inflação bateu no teto da meta, 6,5%. Em 2012, ela ficou em 5,84%. Segundo Gustavo Loyola, não se pode dizer que o governo atual não se preocupa com esse assunto. Mas ele parece brincar com a ideia de que sempre se pode tolerar um pouquinho a mais de inflação. “Sabemos que grandes inflações começam pequenas e logo vão acelerando. Não se pode hesitar em interromper esse processo, caso contrário é sério o risco de se perder o controle”, diz o economista.

Nos últimos 20 anos, o Brasil desfrutou de uma estabilidade econômica que nas décadas imediatamente anteriores não era mais que miragem. Essa estabilidade, combinada a políticas eficazes de combate à pobreza, trouxe milhões para o mercado de consumo e deu fôlego à economia. Esse ciclo, no entanto, parece ter se esgotado. O conjuntura externa já não é tão favorável e problemas que nunca foram equacionados, tais como o de um sistema tributário sufocante, cobram seu custo. A década de 80 ficou conhecida como “década perdida”. Não há por que dizer que esse quadro vai se repetir agora. Ainda assim, seria alentador saber que, diante de dificuldades, velhas práticas que nunca levaram ao êxito vão continuar relegadas aos livros de história.

(Com reportagem de Ligia Tuon)