Destaques

Anisio Viana participa de Audiência Pública sobre esportes equestres na Bahia

O pré-candidato a prefeito de Casa Nova e Presidente do PSDB Municipal Anísio Viana, participou ne ...

Prefeito e Vice de Abaré encontram-se com Deputado Estadual em Salvador

Hoje (22/05), o Prefeito  de Abaré Fernando Tolentino e o seu vice Kaká de Eulina, acompanhados d ...

Deputado Roberto Carlos requer detectores de metal nas salas de cinema, teatros e casas de show

Está em tramitação, na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa da Bahia, ...

Wagner suspende itens que constrangem mulheres em edital de concurso

Postado em 15 de março de 2013 por Josélia Maria

image-6581
O governador Jaques Wagner determinou a imediata suspensão dos itens que possam causar constrangimento ou discriminação às mulheres do edital de concurso da Polícia Civil. O regulamento determinava às candidatas que se declarassem virgens a comprovação da condição por meio de atestado médico. Wagner fez o anúncio pela sua conta pessoal no Twitter. A Comissão de Proteção aos Direitos da Mulher da seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA) manifestou “repúdio” aos itens do edital e a deputada federal Alice Portugal também fez críticas à questão. O regulamento desobriga mulheres que afirmarem nunca ter tido relações sexuais de entregar os exames de coloscopia, citologia e microflora, desde que mostrem documento comprobatório – com assinatura, carimbo e número do Conselho Regional de Medicina (CRM) do médico que fez os testes. O procedimento era uma etapa eliminatória do processo seletivo.(Bahia Noticias)





Ouça o Programa Cidade Repórter desta sexta-feira (15)

Postado em 14 de março de 2013 por Josélia Maria

image-6576

Nesta sexta-feira (15), a partir das 07h a blogueira/radialista vai estar na Rádio Cidade AM 870 apresentando o Programa Cidade Repórter .

Acompanhe entrevista com o Secretário de Agricultura e Reforma Agrária de Pernambuco, Ranilson Ramos,que fala sobre a distribuição de milho para consumo animal nas cidades de Afrânio ,Petrolina,Lagoa Grande,Dormentes,Cabrobó e demais munícipios do Vale do São Francisco.





Armando Monteiro: “É preciso buscar o caminho do entendimento”

Postado em 14 de março de 2013 por Josélia Maria

image-6572

O senador e presidente do PTB em Pernambuco, Armando Monteiro, concedeu entrevista para o programa Frente a Frente, apresentado pelo jornalista Magno Martins. O parlamentar elogia o debate que o governador Eduardo Campos (PSB) tem liderado para o entendimento sobre a partilha dos royalties do pré-sal e fala da reunião que teve com Eduardo, onde concordaram sobre a redefinição da cobrança da dívida dos estados por parte do Governo Federal e a necessidade de uma reforma no ICMS, temas que fazem parte da agenda de Armando no Congresso Nacional.

Leia abaixo os principais pontos da entrevista:

A questão dos Royalties

Armando Monteiro – “Acho que o governador aponta um caminho que sempre nos pareceu correto, que é o da boa política, da política como arte superior, do entendimento, de produzir o entendimento. Alguém já disse que as guerras são a falência da política. Quando a política funciona não há guerras. E, neste caso a política não funcionou. E nós terminamos por fazer aqui um verdadeiro enfrentamento federativo que está desaguando num processo de judicialização, que é muito ruim para todos, porque é um jogo que é uma aposta de risco, em que ou um lado perde tudo ou o outro pode perder tudo também. Portanto, o governador está apontando um caminho que até o último momento tem que se buscar: que é o do entendimento. Eu acho que é um caminho correto. E, além disto, se for possível construir este entendimento, nós vamos destravar todos os outros temas da pauta federativa. Porque este ambiente hoje, de tensionamento e de contraposição, vai acabar. É desejável que busquemos este entendimento. Eu acho que ele transmitiu aos colegas governadores, e conversou com os governadores, para se construir um caminho, e eu acho que nós temos que apostar nisto, nesse diálogo”.

A posição do Governo Federal

Armando Monteiro – “Este esgarçamento, este clima de tensionamento que está existindo, evidentemente existiu porque a União, que deveria exercer este papel de coordenação, não pôde construir essa solução. Mas a União pode fornecer os meios para que se busque ainda construir esta solução. Eu tenho uma opinião diferente. Eu acho que é possível sim, que o Governo Federal, e a presidente Dilma, possam oferecer as condições para que tenhamos, então, uma solução do assunto”.

O encontro com Eduardo Campos

Armando Monteiro – “Estive conversando com o governador (Eduardo Campos) antes da reunião. Discutimos outros temas e conversamos sobre essa questão da agenda federativa. Nós temos a questão da dívida dos Estados, do indexador… Agora, tem uma proposta também para reduzir o limite de comprometimento da receita com o serviço da dívida, que é uma coisa importante, porque você vai não só diminuir os juros que hoje oneram a dívida, como vai também limitar o pagamento dos juros a uma parcela menor do orçamento do Estado. Consequentemente, nós vamos ter mais recursos para investir”.

Alíquotas de ICMS

Armando Monteiro – “E tem uma questão muito complexa, que é a reforma do ICMS, que está aqui sendo discutida no Senado, que é a resolução número um, que vai reduzir e tentar uniformizar as alíquotas interestaduais de ICMS. Há uma posição dos governadores do Norte-Nordeste que ainda defendem que haja uma diferença nas alíquotas dos estados do Nordeste, quando realizam suas transações com o Sul e Sudeste, em relação ao caminho inverso. Ou seja, em relação às vendas que o Sul e Sudeste fazem no Nordeste, mantendo uma diferença na alíquota para dar a estes Estados ainda uma compensação por estas diferenças que os estados ainda têm negativamente, como por exemplo a questão de infraestrutura, distância dos mercados, custos logísticos, etc… Então acho que é um entendimento razoável este. E há também uma proposta, agora, para proibir que certas despesas possam ser endereçadas aos estados, sem contarmos expressamente com receitas novas para compensar esses impactos. Eu estou querendo referir ao impacto destes pisos salariais que são determinados às vezes e que terminam impactando as despesas dos Estados, e criando despesas que muitas vezes os Estados não têm como atender. Então, eu acho que esta agenda é importante. Acho que o governador (Eduardo Campos) tem um papel importante pela expressão da sua liderança e nós, do Senado, que é a Casa da Federação, a representação do Senado é a representação da federação brasileira, temos que estar absolutamente sintonizados com este debate”.

Sobre a possibilidade de uma usina nuclear em Pernambuco

Armando Monteiro – “Esta questão das usinas nucleares suscita sempre, no mundo inteiro, preocupações no debate quando se deve buscar uma visão de fontes de energia, que sejam renováveis, que não ofereçam risco… Mas, ao mesmo tempo, há situações em países que não têm outra alternativa senão se utilizar desta fonte energética, que é a nuclear. Eu acho que o Brasil ainda tem uma alternativa na sua matriz energética, embora reconhecendo que o Nordeste tenha limitações. Por exemplo, o potencial de aproveitamento hidroelétrico do Nordeste está praticamente esgotado, mas ao mesmo tempo, o Nordeste tem um potencial eólico que é o maior do Brasil. E, hoje, a energia eólica é uma energia que está sendo muito considerada no mundo, porque não impõe riscos ambientais. É uma energia sustentável, do ponto de vista da sua adequação. Então, confesso que nunca tive muito entusiasmo com essa ideia de sediar, de receber usina nuclear. Há não ser, numa circunstância que não tenhamos alternativa do ponto de vista energético, porque o pior problema é a falta de energia em determinadas circunstâncias”.

 

Crédito da foto: Ana Luisa Sousa

 

 





A velha rixa: eles têm Messi, dois Oscar e agora um Papa

Postado em 14 de março de 2013 por Josélia Maria

image-6569

Dizem que Deus é brasileiro, mas, com todo o respeito, sua mão generosa tem feito também a alegria de nossos vizinhos argentinos. Em 1986, no México, o time de Telê Santana viu o sonho do tetracampeonato bater na trave, enquanto Maradona usava o pé esquerdo (e a mão também, seu juiz) para conduzir sua seleção ao segundo título mundial de futebol.

27 anos depois, em meio a outra disputa, dessa vez no campo sagrado do Vaticano, eles levaram a melhor novamente, com a escolha de Jorge Mario Bergoglio — a partir de agora, Francisco I — como o primeiro Papa latino-americano, apesar da torcida pelo nosso camisa 10, Dom Odilo Scherer.

Seria um caso de dor de cotovelo coletiva — céus, eles já têm um Messi e dois Oscar, por “A história oficial”, de Luis Puenzo (em 1985) e “O segredo dos seus olhos”, de Juan José Campanella (em 2010) — , mas, como a inveja é um pecado, resta apenas dizer: que seja feita a Sua Vontade.

Mesmo assim, é preciso ser santo para não aceitar as provocações, que começaram a explodir nas redes sociais assim que a novidade surgiu, embalada por uma fumaça branca. Os “hermanos” curtiram a escolha, aproveitando para tirar uma onda com os brasileiros. “Temos um Papa, enquanto vocês ficam com Pelé”, escreveu um sujeito mais exaltado — deixando, porém, escapar o respeito pelo atleta do século, eterno desafeto de Maradona.

Sim, os argentinos têm o cinzento tango, em versão tradicional (Carlos Gardel, Astor Piazzolla) e eletrônica (Gotan Project), além do rock de Fito Paez, Charlie Garcia e Los Fabulosos Cadillacs, entre muitos outros. Sim, na literatura deram ao mundo gigantes como Jorge Luis Borges, Manuel Puig e Julio Cortázar.

Mas comparações nesses ou em outros setores não levam a nada, ainda mais nesse momento de comunhão. Melhor fazer como o mestre Zagallo, que celebrou o fato de o novo Papa ter sido eleito no dia 13 de um ano que termina em 13. “Que coincidência. 13 é o número da sorte, ele vai ser feliz”, disse o veterano técnico em entrevista.

E emendou, comentando, bem-humorado, a “derrota” verde e amarela: “Vamos ter que engolir”. De preferência, faltou dizer, junto a um alfajor e dizendo “amém”.

Fonte: Carlos Albuquerque (O Globo)





Juazeiro: Novos conselheiros de Saúde são empossados

Postado em 14 de março de 2013 por Josélia Maria

image-6565

Considerando o Decreto nº. 219/2013, publicado no Diário Oficial do Município em 1º de março, os novos membros do Conselho Municipal de Saúde (CMS) tomaram posse nesta quarta-feira, dia 13, no Centro de Saúde III, Angari, durante a primeira reunião ordinária deste ano.

Estiveram presentes no ato: o secretário da Saúde de Juazeiro, também presidente do Conselho, Cássio Garcia, representantes das Associações de Moradores, da Casa do Artesão, hospitais, clínicas, representantes dos conselhos de Classe, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Rotary Club Juazeiro São Francisco, SINDISAÚDE, SINTASE, Seiasc, 15º Dires, dentre outros.

Durante a posse os integrantes do CMS reiteraram o compromisso em exercer com probidade e fidelidade os deveres para construção de um SUS de qualidade no município, buscando promover saúde em toda a rede.

O secretário da Saúde de Juazeiro, Cássio Garcia, falou da importância do inicio dos trabalhos do Conselho e de seu comprometimento com o desenvolvimento do SUS em Juazeiro. “Desde 1999 que trabalho com Saúde Pública e me coloco a disposição para trabalhar em prol do SUS e da população do município e da região. É importante a ação dos conselheiros para que possamos construir em conjunto e melhorar os serviços de saúde no que for possível”, disse.

O CMS é um órgão permanente, deliberativo, normativo e de fiscalização do SUS em Juazeiro que tem o objetivo de formular estratégias e controlar a execução da política de saúde do município, inclusive nos aspectos econômicos e financeiros.





Audiência pública discute reajuste de servidores e oposição propõe travamento da pauta do executivo

Postado em 14 de março de 2013 por Josélia Maria

image-6559

por  Karine Paixão /GRFM
Fotos:Josélia Maria

Uma multidão de servidores ocupou a Câmara Municipal de Petrolina durante a audiência pública realizada na manhã desta quinta-feira (14). O evento foi solicitado pelo vereador Manoel da Acosap através do requerimento n° 038/2013. Foram convidados: a presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina, Wildes Mariléia Araújo (que compareceu com toda a diretora da entidade), o procurador do município, Humberto Borges Chaves Filho (que não compareceu, mas enviou dois representantes), a secretária municipal de saúde, Lucia Giesta, a secretária deeducação, Célia Regina e o secretário de finanças, Júlio Lóssio Filho. Os secretários convidados também não estiveram presentes, mas enviaram representantes de cada pasta.

image-6560

Além da audiência pública, o vereador Manoel da Acosap também propôs que a pauta de projetos enviados pelo executivo fosse travada até que fosse concedido o aumento dos servidores. A proposta agrada os servires que esperam a adesão de todos os componentes da casa. “Nós pretendemos que a solicitação do vereador Manoel da Acosap seja acatada e que de fato não se vote nenhum projeto na Câmara até que o executivo leve em consideração o reajuste de servidores públicos. Queremos que o requerimento seja aceito esperamos que o executivo dê uma contraproposta para que a partir daqui a gente possa ter um debate mais frutífero e possa avançar”, explica Wildes Marileia.

image-6561

Segundo a sindicalista, a reivindicação da categoria está dentro das possibilidades orçamentárias. Léia também questiona os argumentos da administração municipal sobre as dificuldades enfrentadas com a queda de receita. “Eu acho isso muito estranho porque se ele não quisesse o reajuste ele não tinha sancionado. Então eu acho muito estranho esse tipo de debate. Outra coisa importante que a gente quer fazer a consideração e de que as condições da proposta que nós fizemos são possíveis e palpáveis, precisam apenas de vontade política para que elas aconteçam. Nós não estamos pedindo nem as nossas perdas que estão em torno de 140%, nós estamos pedindo dentro de um orçamento que foi aprovado na Câmara de Vereadores baseado na legislação, baseados nos recursos federais então é algo palpável, real, falta apenas a vontade política”.

image-6562

Buscando o entendimento, o líder do governo, Elismar Gonçalves tenta dissuadir os colegas da decisão de trancar a pauta. “A gente está buscando o entendimento, inclusive em outras movimentações do Sindsemp aqui na Câmara, nós sentamos com ele, inclusive com a vereadora Cristina Costa e o prefeito Julio Lóssio para uma negociação. Estamos enfrentando dificuldades como a redução do IPI. Os cortes de impostos na cesta básica anunciados pela presidente Dilma Rousseff acaba onerando o município. Na Lei Orçamentária Anual se previu uma coisa, mas no mês de janeiro se arrecadou pouco e tivemos um saldo negativo de R$ 17 milhões e em fevereiro tivemos um saldo negativo de R$ 10 milhões. A nossa meta é buscar o entendimento, ver se a nossa receita melhora, ver com o Sindsemp e lógico, buscar esse reajuste que os funcionários públicos necessitam e a gente reconhece. A gente reconhece a urgência, mas a cidade não pode parar por causa disso”.





Lentes:zero a zero Petrolina x Sport

Postado em 14 de março de 2013 por Josélia Maria

O fotógrafo Silvio Stanislaw, assina para o blog com registro fotográfico o jogo Petrolina x Sport , Estádio Paulo Coelho na noite desta quarta-feira (13).

image-6551

image-6552

image-6553

 




jr telecom

Em reunião com Medeiros, SINDAE afirma que PPP é privatização disfarçada

Postado em 14 de março de 2013 por Josélia Maria

image-6547

Depois de convencer os colegas parlamentares a aprovar o requerimento convocando o gestor do SAAE, Joaquim Neto, para prestar esclarecimento sobre a falta de água na cidade e o projeto de PPP, o vereador José Carlos Medeiros (PV) recebeu em seu gabinete uma comissão formada pelos membros do SINDAE, sindicato dos Trabalhos em Águas, Saneamento e Meio Ambiente da Bahia.

Na reunião, os membros do sindicato pediram apoio do vereador para uma mobilização contra o projeto de PPP que eles entendem como privatização. “Essa é uma ação de privatização disfarçada e não podemos aceitar. Água é vida. Com a concretização desse absurdo, a tarifa vai aumentar e o serviço não vai melhorar. Temos experiências em outras idades que comprovam isso”, relata Sonia Nelson, diretora de base do sindicato.

 O SINDAE vai fazer uma mobilização na semana mundial da água com coleta de assinaturas pedindo a revogação da lei. “Vamos fazer uma grande mobilização e exigir do prefeito que reveja essa situação”, pontua Sonia.

 O vereador Medeiros se colocou à disposição do sindicato para colaborar com a luta. “Enquanto cidadão e parlamentar abracei essa luta e. Não podemos deixar que o SAAE seja entregue na mão da iniciativa privada; nem a sociedade nem os funcionários concordam com a venda”.