Destaques

Mesmo criando muitas chances de gol, Garapa estreia com derrota no Pernambucano de Futsal

Três bolas na trave e incontáveis chances criadas, mas um vacilo no começo do jogo, fez com que o ...

EM ARARIPINA, LUCAS RAMOS PARTICIPA DO SEMINÁRIO TODOS POR PERNAMBUCO

A Escola Técnica Estadual Pedro Muniz Falcão, em Araripina, recebeu nesta quinta-feira (22) a edi ...

Durante o “Todos Por Pernambuco”, presidente da Alepe anuncia projeto que marcará centenário de Nilo Coelho

O presidente da Assembleia Legislativa (Alepe), deputado Eriberto Medeiros (PP), anunciou nesta quar ...

PT descarta candidatura de Lula em 2014 e aposta em reforma política neste ano

Postado em 4 de julho de 2013 por Josélia Maria

“O cenário apresentado reafirma que o empresariado local permanece com uma visão otimista quanto ao setor no que se refere aos próximos seis meses”, afirma Becher.

 A possibilidade de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ser o candidato do PT à Presidência no ano que vem “não tem ressonância” na alta cúpula da legenda, disse nesta quinta-feira o presidente da sigla, Rui Falcão.

A volta de Lula tem ganho alguns simpatizantes até mesmo dentro do PT, especialmente depois da onda de manifestações que tomou as ruas das principais cidades do país no mês passado e da queda na popularidade e na intenção de voto da presidente Dilma Rousseff, que é candidata à reeleição.

A possibilidade de Lula disputar uma eleição presidencial pela sexta vez no ano que vem tem sido publicamente descartada pelo próprio ex-presidente.

Essa hipótese foi afastada pela cúpula do partido, após reunião da Executiva Nacional petista, em Brasília, nesta quinta-feira, para avaliar a atual conjuntura nacional. A conclusão a que chegaram é que o partido não deve se dividir e deve estar unido em torno de Dilma em 2014.

“A nossa posição e tudo que foi manifestado lá é de defesa do nosso governo e de apoio integral às iniciativas adotadas pela presidenta Dilma”, disse Falcão. “Esse assunto não ganha ressonância entre nós”, disse.

Um pouco antes da reunião terminar, o senador Jorge Viana (PT-AC), já havia adiantado que o “Volta Lula” havia sido rejeitado pela Executiva.

“Isso seria pior do que antecipar as eleições”, disse ele a jornalistas. Segundo o senador, debater esse tema poderia fazer o governo “somatizar” as turbulências causadas pelas manifestações que tomaram conta do país.

REFORMA VÁLIDA PARA 2014

Após o encontro, Falcão disse acreditar que a pressão das manifestações devem garantir a realização de uma reforma política ainda neste ano, para que as novas normas possam valer já para a disputa eleitoral de 2014.

A proposta de Dilma de um plebiscito para uma reforma política que entre em vigor já no ano que vem tem enfrentado resistência entre partidos aliados e gerado declarações desencontradas entre integrantes de seu governo.

Nesta quinta, o vice-presidente Michel Temer afirmou pela manhã que seria inviável uma reforma política que valesse já para o ano que vem, por conta do calendário apertado. À tarde, no entanto, recuou em nota à imprensa e disse que a prioridade do governo é uma reforma que seja efetiva para 2014.

Para Falcão, a mesma pressão popular que resultou nos últimos dias na celeridade dos trabalhos na Câmara e no Senado pode permitir que pelo menos alguns pontos da reforma política, definidos por meio de plebiscito, possam ser aplicados nas próximas eleições.

“Confiamos em duas questões: primeiro, na aglutinação de outras forças que também desejam reforma já e, segundo, na manifestação de descontentamento que foi apresentada nas ruas com o sistema político atual. E que o Congresso seja sensível a esse tipo de manifestação, que a meu ver vai continuar”, argumentou o petista.

Uma nota emitida pela executiva conclama as bancadas do partido na Câmara e no Senado a “trabalharem pela coesão da base aliada da presidenta Dilma no Congresso para convocação no mais curto prazo do plebiscito nacional pela reforma política”.

A pressa do governo, entretanto, enfrenta uma barreira no calendário eleitoral. Na terça-feira, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) disse que o plebiscito poderia ser realizado 70 dias depois de sua convocação pelo Congresso.

Apenas após a realização da consulta é que os parlamentares trabalhariam para produzir e aprovar a reforma política nos moldes definidos pela população no plebiscito.

Outro obstáculo é o princípio da anualidade, que determina que as regras eleitorais não podem ser alteradas a menos de um ano da eleição, que está marcada para outubro de 2014.

(Reportagem de Jeferson Ribeiro)




jr telecom

Andréa Lossio participa de cavalgada no encerramento dos festejos do São João do Vale

Postado em 4 de julho de 2013 por Josélia Maria

image-11263





Resistência sobre a Ponte Presidente Dutra

Postado em 4 de julho de 2013 por Josélia Maria

por Vera Medeiros/Blog Folha

A Polícia Rodoviária Federal soube, de fato, levar com habilidade, as negociações com os manifestantes , na noite de ontem, que bloqueavam a Ponte Presidente Dutra há quase 8 horas. Foram se aproximando , aos poucos, do grupo, com as viaturas, até conseguir que o grupo o qual pretendia ficar até as 8:00h da manhã desocupasse a ponte por volta das 2:00h da madrugada.

Mas, antes de tudo ser articulado, havia o burburinho de que a PRF liberaria os tráfego, mesmo com os manifestantes sobre a ponte. O boato correu entre os que faziam protesto e, a cada sinal de que automóveis avançariam sobre os manifestantes, uma reação do grupo ocorria.

Dentre as pautas do manifesto dessa quarta(03),o protesto sobre a Ponte era para pedir a liberação da Ilha do Fogo, que está sob o comando do Exército há mais de um ano, impedindo acesso da população ao espaço, que era de lazer dos moradores da região.

Um desses momentos foi registrado pelo Folha. Os manifestantes faziam  barreira e cantavam:




jr telecom

Deputado participa do lançamento do programa que contemplará 70% do território baiano

Postado em 4 de julho de 2013 por Josélia Maria

image-11248
Nesta quinta-feira (04), no Centro de Convenções da Bahia, em Salvador, o deputado Roberto Carlos (PDT) participou, com a presidente Dilma Rousseff, do lançamento do Plano Safra, o primeiro programa da história criado para atender os agricultores familiares que convivem com a seca.

Na oportunidade, foram entregues 130 retroescavadeiras e 191 motoniveladoras, que possibilitam às prefeituras baianas a realização de obras como, a construção de aguadas, barragens e a implantação de estradas vicinais. Além disso, foram entregues 250 ônibus escolares para atender estudantes dos interiores, que muitas vezes encontram dificuldades de locomoção, da zona rural às escolas que ficam, geralmente, nas sedes.

De acordo com o parlamentar, o Plano Safra é de grande importância para proporcionar mais segurança na produção e melhorar a estrutura dos produtores rurais durante os períodos estiagem, possibilitando que os sertanejos possam conviver melhor com a falta de água.

“É fundamental, que haja políticas públicas para as regiões afetadas com uma das piores estiagens da história. Ainda precisamos avançar mais com planos de ações de combate a seca, que é um problema antigo, mas tenho certeza que estamos no caminho certo”, ressaltou o deputado Roberto Carlos, que esta sempre cobrando dos governos estadual e federal medidas que garantem a segurança hídrica das localidades atingidas pela seca.




jr telecom

Violência contra a mulher terá punições serão mais severas

Postado em 4 de julho de 2013 por Josélia Maria

image-11243

Brasília – Membro da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Violência Contra a Mulher, o senador pernambucano Armando Monteiro (PTB) votou favoravelmente à aprovação de propostas que tornam mais severas as penas contra quem pratica este tipo de crime.

Relatório final da senadora Ana Rita (PT-ES), aprovado pela CPMI, inclui 15 anteprojetos, entre eles o que transforma o homicídio de mulher num crime específico, o feminicídio, que é a morte por alguém com quem a vítima tenha relação de afeto ou parentesco (violência doméstica) ou tenha sofrido ataque sexual, ou sido mutilada ou desfigurada. Pela proposta da CPMI, a pena para este tipo de crime é de 12 a 30 anos de reclusão.

Ao votar, Armando defendeu que o Brasil precisa mudar o atual quadro de extrema violência contra a mulher e elogiou o trabalho da comissão:                                                                                    

“Sei do sério trabalho realizado quando a comissão percorreu diferentes estados do País para, ao final, produzir um relatório extremamente sintetizado com as exigências do Brasil, para mudar esse quadro de extrema violência contra a mulher. Por isso, faço aqui meu reconhecimento amplo sobre o trabalho da senadora Ana Rita”, disse o senador.

A partir de agora, as proposições se transformarão em projetos de lei e tramitarão nas comissões e nos Plenários da Câmara e do Senado.

Confira algumas proposições:

– o assassinato de mulheres passa a ser um crime específico (feminicídio);

– as mulheres em situação de violência doméstica e familiar, quando submetidas a intenso sofrimento físico e mental, passam a ser consideradas vítimas de tortura;

– sempre que encaminhar uma mulher agredida à proteção de uma casa-abrigo, o juiz e o promotor deverão decidir se é o caso de haver a prisão preventiva do agressor. A ideia é evitar que o homem fique solto, enquanto a mulher perde a liberdade.

 

Crédito da foto: Ana Luiza Sousa




jr telecom

Prefeitura de Petrolina embarga obras da Compesa

Postado em 4 de julho de 2013 por Josélia Maria

Criado para fiscalizar a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), o comitê da Prefeitura de Petrolina, formado pelos representantes da Agência Reguladora do Município e das secretarias de Obras, Ordem Pública e Segurança Cidadã; entregou ao gerente regional da Compesa, Igor Galindo, a notificação de embargo das obras realizadas pela Companhia dentro da cidade. A ação, ocorrida na manhã desta quinta-feira (4), foi motivada a partir do não comprimento dos parâmetros normativos da Associação Brasileira de Normas Técnicas.

Conforme a notificação, ficam embargadas as obras de construção, escavação de solo, recomposição e reparo de pavimentação para implantação de água e esgoto, dentre outras obras diversas na cidade. O embargo se baseia no relatório técnico circunstancial elaborado pela secretaria de Infraestrutura, amparada pelas Lei Orgânica do Município e a Lei Nº 09/83 do Código de Obras do Municipal.

De acordo com o secretário de Ordem Pública, Ney Siqueira, diante da notificação todas as obras efetuadas pela Compesa, exceto as executadas em território da Companhia, a partir de hoje, serão paralisadas até cumprimento das normas estabelecidas.

Siqueira explica também sobre o descumprimento da notificação. “A desobediência do embargo poderá ensejar algumas penalidades que nós deveremos ainda apura-las circunstancialmente uma a uma, mas a desobediência da notificação dará oportunidade a quebra da hierarquia institucional que é existente entre Estado, Município e União”.

O comitê acompanhará todo o processo de embargo, tendo em vista que foi criado para acompanhar e fiscalizar as obras elaboradas pela Compesa. O grupo foi idealizado devido ao volume de queixas e reclamações sobre a má qualidade dos serviços de água e esgoto no município.





Caminhoneiro avança sobre manifestantes na Ponte Presidente Dutra e tem o para-brisa do carro quebrado

Postado em 4 de julho de 2013 por Josélia Maria

image-11236

Já passava da meia-noite ( desta quarta para quinta-feira-04), quando, visilvelmente, a Polícia Rodoviária Federal avançava na estratégia de ir aproximando os carros congestionados dos dois lados da Ponte Presidente Dutra do grupo que protestava próximo à entrada da Ilha do Fogo – que fica no centro da ponte, entre as cidades de Juazeiro e Petrolina.

O grupo protestava contra o controle da Ilha pelo Exército, que, há mais de um ano, impede o acesso da população ao local.  Além disso, os manifestantes de O Vale Acordou foi às ruas (média de 6 mil pessoas) nessa tarde de quarta-feira(03), para pedir melhoria no Transporte e na Saúde pública das duas cidades – focalizando, ainda, a luta contra a corrupção no contexto político local.

A estratégia da PRF acabou dando vazão ao motorista de um caminhão  que estava no congestionamento. Irritado com a permanência dos manifestantes, o motorista passou a avançar sobre os jovens que estavam na ponte. Ao som da buzina e com suficiente raiva para avançar, o motorista , que estava a serviço do DNIT, acabou gerando tumulto. Um dos manifestantes lançou uma pedra sobre o para-brisa e quebrou o vidro do automóvel. Revoltados, os manifestantes gritavam e corriam em direção ao carro.

image-11237
De repente, uma bomba molotofe, de fabricação caseira, foi atirada no meio da multidão, causando confusão generalizada. A PRF agiu para impedir  que o motorista, visilvelmente descontrolado,  entrasse em confronto direto com os manifestantes.

No meio da multidão, a Polícia não conseguiu identificar o autor do lançamento da bomba. Depois do episódio, a PRF atravessou viaturas na pista, em ambos os lados.(Blog Folha)




jr telecom