Destaques

Cais do Sertão é finalista na 33ª edição do Prêmio Rodrigo de Melo Franco

O museu estadual concorre com mais dez ações pernambucanas O Centro Cultural Cais do Sertão vai c ...

FIEPE do Sertão do São Francisco debate reforma tributária

A falta de competitividade da indústria brasileira está intimamente ligada à ineficiência do sis ...

SEC já aplicou teste em mais de 2.600 professores e estudantes em Ipiaú, Itajuípe e Uruçuca

Os testes rápidos para o novo Coronavirus, realizados pela Secretaria Estadual de Educação em es ...

Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Lista de Links

28ª Vaquejada de Petrolina recebe a terceira etapa do CAMPEV

Postado em 20 de março de 2014 por Josélia Maria

Vaquejada de Petrolina
Já estão definidas as atrações que vão animar a 28ª Vaquejada de Petrolina no Parque Dr. Geraldo Estrela.
A vaquejada vai acontecer de 28 de maio a 01 de junho, mas os shows acontecem apenas no dia 31 de maio, com Aviões do Forró, Solteirões do Forró e Mano Walter.
A sempre esperada Vaquejada de Petrolina será palco da terceira etapa do CAMPEV (Campeonato Pernambucano de Vaquejada). O parque promete ser palco de uma grande festa, uma das maiores vaquejadas do ano no estado.
Este ano a competição de derrubada de boi vale prêmios que totalizam o valor de 200 mil reais, divididos entre categorias: profissional (R$100.000,00), amador (R$50.000,00), intermediário (R$22.000,00) e aspirante (R$20.000,00), além de um prêmio extra para os cavalos pela ABQM de R$8.000,00.
Em breve mais informações da maior vaquejada do Vale do São Francisco.




Servidores são capacitados sobre atendimento a Micro e Pequenas Empresas

Postado em 20 de março de 2014 por Josélia Maria

DSC06823
image-20977
O processo de desburocratização para abertura de empresas e outros temas foram debatidos durante uma capacitação realizada pela Prefeitura de Petrolina na última semana, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Agrário. O curso, ministrado por uma consultora do SEBRAE,teve como público-alvo servidores do setor de Licitações e Compras da gestão municipal. O foco da capacitação foi a Lei Geral da Micro e Pequena ­Empresa e a nova realidade para pequenos negócios.
Durante a capacitação, a consultora do SEBRAE, Robssa Jacó, apresentou questões que possibilitem a fluidez dos processos, que se referem ao atendimento ao micro e pequeno empreendedor, colocando a prefeitura como agente de interlocução entre os empresários e as entidades que fazem parte do composto que regulamenta uma empresa. Entre elas, a Rede SIM,instrumento responsável pela desburocratização na abertura, alteração e baixa de empresas. De acordo com o Secretário de Desenvolvimento Econômico e Agrário, Jorge Assunção, a capacitação é importante à medida que dota os servidores de conhecimento para gerir suas atividades. “Nosso objetivo foi orientar os servidores sobre as nuances da Lei Geral e como otimizar a relação entre órgãos municipais e micro e pequenas empresas, sendo um estímulo ao empreendedorismo e aquecimento ao mercado local”, o secretário. Luiza Angélica Leão, coordenadora geral de Licitações e Convênios da Prefeitura de Petrolina avaliou positivamente a capacitação. “Conseguimos tirar algumas dúvidas sobre processos rotineiros e acredito que teremos um implemento mais efetivo da Lei da Geral da Micro e Pequena Empresa, e isso vai facilitar nosso trabalho, especialmente nos procedimentos para editais”, considerou.

 





Líder do PSB na Câmara lembra que Lula é quem é aliado de Collor

Postado em 20 de março de 2014 por Josélia Maria

Blog de Jamildo

“Não sei se para Lula a comparação é elogio ou crítica, já que ele está com Collor no colo, mandando e desmandando no governo”, lembrou o líder do PSB na Câmara Beto Albuquerque, após o ex-presidente Lula (PT) comparar o governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) com o também ex-presidente e senador Fernando Collor (PTB). A informação é da coluna Painel, da Folha de S. Paulo.

Leia também: Lula teria comparado Eduardo Campos a Fernando Collor

Em resposta ao ataque de Lula, Eduardo diz que a esperança vai vencer o medo

“A minha grande preocupação é repetir o que aconteceu em 1989: que venha um desconhecido, que se apresente muito bem, jovem … e nós vimos o que deu”, teria dido Lula para empresários paranaenses na última sexta-feira (14).

A declaração foi rebatida nesta quinta-feira (20) por Campos, que lembrou o próprio slogan usado por Lula na eleição de 2002. “Toda vez que o país pede mudanças, alguns políticos tentam colocar o medo no coração do povo. Mas, desta vez, como aconteceu em 2002, a esperança vai vencer o medo”, disse o governador.





Cabral pede desculpas aos parentes de mulher arrastada por viatura policial

Postado em 20 de março de 2014 por Josélia Maria

 Agência Brasil 

907890-rj_madureira_cabral-5053
image-20968

 

 





Morte de inocente gera revolta no Rio

Postado em 20 de março de 2014 por Josélia Maria

B834203A139DE9395A48B4148F3E2E_h387_w598_m2_q90_cFXMEpzEX
image-20965

A filha caçula da vítima, de 10 anos, estava em casa quando ouviu os disparos. ‘Acordei com o barulho e, quando fui ver o que estava acontecendo, vi minha mãe caída no chão. Ela não estava consciente e vi quando os policiais a colocaram na caçamba da viatura’, disse a menina.

Claudia Silva Ferreira foi baleada quando saía de casa para comprar pão

Estadão





Começa nesta quinta-feira (20) a Fenim – Feira de Negócios Imobiliários do Vale do São Francisco

Postado em 20 de março de 2014 por Josélia Maria

CLAS

Com mais de 95% dos estandes comercializados, começa nesta quinta-feira (20) e vai até o dia 22 no Centro de Convenções Senador Nilo Coelho, em Petrolina – PE, a Fenim – Feira de Negócios Imobiliários do Vale do São Francisco. 

O evento, que é promovido pelaAcipe – Associação dos Corretores de Imóveis de Petrolina em parceria com o Banco do Brasil e a Base Empreendimentos Imobiliários, será aberto às 18h e vaireunir as principais empresas do segmento com informações atualizadas de preço, qualidade e melhores oportunidades de investimento.Durante os três dias da Feira, o público poderá comprar, vender ou locar imóveis residenciais e comerciais com a consultoria e intermediação de profissionais experientes do mercado imobiliário regional. 

Os visitantes também poderão anunciar gratuitamente seus imóveis através de um mural de ofertas, que será colocado logo à entrada do Centro de Convenções. Vitrine de um dos mercados que mais crescem em todo país, a Fenim também vai abrir espaço para segmentos correlatos, com a montagem de estandes nas áreas de decoração, paisagismo, piscinas, lazer e bufê. 

De acordo com a coordenadora do evento, Nelbe Freire as expectativas são as melhores possíveis. “Além da parceria do Banco do Brasil, que ampliou o foco no mercado imobiliário e vai divulgar a carteira de produtos para o setor em seu estande institucional, teremos uma quantidade significativa de expositores apresentando excelentes oportunidades de compras, vendas e locações de imóveis residenciais e comerciais. Tudo com ética, transparência e a segurança que vai garantir excelentes resultados e a satisfação dos vendedores, compradores e investidores”, concluiu Nelbe Freire.





Caso Claudia: 72% dos socorridos por PMs não resistiram

Postado em 20 de março de 2014 por Josélia Maria

corpo_mulher_arrastado_pm
image-20958

Em 72% dos 62 autos de resistência em que já se envolveram os PMs que arrastaram a servente Claudia Silva Ferreira, o suspeito baleado foi retirado do local do crime pelos próprios policiais (para ser levado ao hospital), mas não resistiu. Especialistas ouvidos pelo Estado dizem que a prática da polícia de socorrer feridos em trocas de tiros é uma forma de desfazer cenas de crimes e mascarar execuções. Para eles, o Estado do Rio deveria seguir o exemplo de São Paulo e proibir que feridos sejam socorridos por policiais. Conforme o Estado noticiou nesta quarta-feira, 19, nestes 62 autos de resistência, pelo menos 69 pessoas morreram em supostos confrontos com os policiais que arrastaram Claudia numa viatura da PM por ruas da zona norte do Rio. O subtenente Adir Serrano Machado tem participação em 57 destes registros, com 63 mortos. O subtenente Rodney Archanjo aparece em cinco boletins, com seis mortos. Já o sargento Alex Sandro da Silva Alves não tinha envolvimento em nenhum auto de resistência. 

A quase totalidade desses registros foram feitos em delegacias da zona norte do Rio, uma das regiões mais violentas da cidade. Analisando os 62 boletins de ocorrência da Polícia Civil, o script é quase sempre o mesmo. Eles dizem que policiais realizavam operação de combate ao tráfico numa favela, foram recebidos a tiros pelos criminosos, reagiram em legítima defesa e, depois que os tiros cessaram, encontraram um suspeito ferido, caído ao chão, normalmente em posse de armas e/ou drogas. Os policiais, então, colocaram o suspeito baleado na viatura para socorrê-lo, mas a vítima morreu a caminho do hospital. “É muito grave que um policial envolvido em um número tão alto de registros de auto de resistência continue exercendo suas funções normalmente. Os autos de resistência no Brasil são uma espécie de ”licença para matar”. A não investigação e responsabilização dos casos de mortes causadas pela polícia leva a um cenário de impunidade que alimenta um ciclo de violência na atuação das polícias no País”, analisou Atila Roque, diretor executivo da Anistia Internacional no Brasil. 

O ativista acrescentou: “Com muita frequência as pessoas socorridas pela polícia já estavam mortas e o deslocamento da vítima para prestar socorro é apenas uma forma de desfazer a cena do crime. Em outros casos, a vítima ainda está com vida, mas morre durante o translado, muitas vezes em circunstâncias que sugerem execução sumária”. Pesquisa feita pelo sociólogo Michel Misse em todos os autos de resistência registrados em 2005 no Estado do Rio concluiu que, até dezembro de 2007, 98% dos casos haviam sido arquivados. “Fica claro que não há investigação nenhuma nestes casos. E o Ministério Público é conivente, ao não cumprir o papel de fiscalizar o trabalho da polícia”. Na opinião dos dois especialistas, o socorro de pessoas feridas deve ser feito por equipes especializadas. Desde janeiro do ano passado, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo proibiu policiais de socorrerem vítimas de crimes ou feridos em confrontos com a própria polícia. A medida visa a garantir a preservação dos locais de crime para a realização de perícia, fundamental para o sucesso das investigações. E resultou na queda dos autos de resistência. 

O trio está preso em Bangu 8.





Eduardo sobre Lula: ”Tentam colocar medo no povo”

Postado em 20 de março de 2014 por Josélia Maria

Pré-candidato ao Planalto rebate declaração de Lula, que o havia comparado a Collor

Fernando Rodrigues – Folha de S.Paulo

20140320053401_cv_EDUARDO2013-598231514-2013031991361_jpg_20130319_gde
image-20955

O governador de Pernambuco e pré-candidato à presidência, Eduardo Campos (PSB), respondeu ontem a Lula, que, em encontro reservado com empresários, o tinha comparado com Fernando Collor de Mello.

‘Toda vez que o país pede mudanças, alguns políticos tentam colocar o medo no coração do povo. Mas, desta vez, como aconteceu em 2002, a esperança vai vencer o medo’, afirmou Campos, em frase repassada por sua assessoria.

Semana passada, num almoço com empresários no Paraná, Lula disse: ‘A minha grande preocupação é repetir o que aconteceu em 1989: que venha um desconhecido, que se apresente muito bem, jovem’¦ e nós vimos o que deu’. Para vários dos presentes, a frase soou como uma comparação entre Collor e Eduardo Campos.

Ao afirmar que ‘desta vez, como em 2002, a esperança vai vencer o medo’, Campos aludiu à primeira campanha presidencial que levou Lula ao Planalto.

Em 2002, o PSDB usou a atriz Regina Duarte para dizer na propaganda eleitoral na TV que tinha medo do que poderia acontecer se Lula fosse eleito presidente. Foi quando o então marqueteiro lulista, Duda Mendonça, inventou o bordão ‘a esperança vai vencer o medo’. Deu certo.

Lula já havia sido alvo do mesmo discurso em 1989, quando o presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Mário Amato, afirmou que 800 mil empresários deixariam o país se o PT chegasse ao Planalto. O apelo funcionou e Lula perdeu a eleição. Anos depois, Amato mudou de opinião.

Clique aí e leia mais sobre o assunto: Eduardo Campos usa slogan de Lula para rebater petista