Destaques

Médico Ênio Lustosa Cantarelli é declarado Patrono da Cardiologia Pernambucana

Autor da lei nº 17.011, promulgada em 11 de agosto de 2020, foi oprimeiro-secretário da Alepe e de ...

Governo do Estado entrega obra de rodovia e novo gramado sintético em estádio de Miguel Calmon

Na última atividade da semana pelo interior do estado, o governador Rui Costa esteve em Miguel Calm ...

Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Hospedagem WordPress
Lista de Links

Ônibus da banda Raça Negra capota e deixa 27 pessoas feridas

Postado em 20 de janeiro de 2014 por Josélia Maria

Um ônibus com integrantes da banda Raça Negra tombou em um trecho da BR-101, no município de Goiana, Zona da Mata Norte de Pernambuco, por volta da 1h20 desta segunda-feira (20), deixando vítimas em estado grave. O vocalista da banda, Luís Carlos, sofreu escoriações leves e passa bem.

O veículo viajava de Natal (RN) para o aeroporto do Recife (PE) – de onde o grupo seguira para Salvador (BA) – e havia passado pela divisa entre a Paraíba e Pernambuco antes do acidente. Após o ônibus ter tombado em uma mureta, um caminhão que vinha no mesmo sentido bateu no veículo. Ao menos 27 pessoas ficaram feridas. 

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), entre os feridos estão Francisco de Assis, Glauco Antônio, Edson Alves, Marcos Roberto, Fabiano José, Rafael Bandeira, Valdemir Cleiton, Cledson Leopoldino e o vocalista Luís Carlos. O motorista do caminhão, identificado como Francisco Dantas, também ficou ferido.

Após o acidente, equipes do Corpo de Bombeiros e do Samu fizeram os primeiros socorros.As vítimas em estado grave (Edson Alves e Marcos Roberto), teriam sido encaminhadas ao Hospital Miguel Arraes, em Paulista. Os demais foram direcionados a um hospital de Goiana e à UPA de Igarassu. (fatimanews)





Delúbio Soares deixa presídio para trabalhar

Postado em 20 de janeiro de 2014 por Josélia Maria

1402056

Delubio Soares, ex-tesoureiro do PT e condenado no processo do mensalão, deixa o Centro de Progressão de Pena (CPP), em Brasília, onde cumpre pena em regime semiaberto; ele sai pela primeira vez para trabalhar na CUT nacional.(Folha)





Projeto São Francisco inicia as atividades de Comunicação Itinerante nas zonas rural e urbana

Postado em 20 de janeiro de 2014 por Josélia Maria

Nos encontros serão apresentadas informações gerais do empreendimento e dos programas ambientais em execução

A partir de segunda-feira (20), técnicos do Projeto de Integração do Rio São Francisco vão reiniciar uma nova campanha de atividades de ‘Comunicação Itinerante’. A ação ocorrerá nas comunidades da zona rural e urbana ao longo de 17 municípios por onde o empreendimento está em construção nos estados de Pernambuco, Ceará e Paraíba. A campanha tem objetivo de aproximar a população do projeto, que vai garantir a segurança hídrica de mais de 390 cidades no Nordeste.

A ‘Comunicação Itinerante’ na zona rural será realizada em três etapas, com visitas domiciliares para identificar previamente os possíveis transtornos que decorrem do avanço da obra nas localidades. Em seguida, os técnicos farão o nivelamento das informações coletadas junto às áreas. A ação também prevê reuniões nas comunidades, com a participação de representantes do Ministério da Integração Nacional, empresas supervisoras e população local.

Nos encontros serão apresentadas informações gerais do Projeto do São Francisco e dos programas ambientais em execução. Durantes as reuniões também serão respondidos questionamentos e dúvidas coletadas durante as visitas de mobilização, além das medidas a serem adotadas pelas empresas construtoras, a fim de mitigar os impactos percebidos pelos moradores.

No primeiro ano de execução, a ‘Comunicação Itinerante’ atendeu mais de 1,5 mil moradores da zona rural. Em 2014, estão previstas visitas a 57 localidades, sendo 38 situadas ao longo do Eixo Norte, entre os municípios de Cabrobó, Salgueiro, Verdejante, em Pernambuco; Jati, Brejo Santo, Mauriti, no Ceará; e em São José de Piranhas, na Paraíba. Já no Eixo Leste serão atendidas 19 localidades, entre os municípios de Custódia, Betânia, Sertânia, Floresta, em Pernambuco, e a cidade de Monteiro, na Paraíba.

A partir deste ano, o programa prevê a inclusão da zona urbana, como proposta de ampliar o público que já é atendido pela ‘Comunicação Itinerante’. Os municípios localizados em áreas diretamente afetadas pelas obras do São Francisco receberão o ‘Espaço São Francisco’. No local, montado com tenda, cadeiras, mesas e banners, a população da zona urbana poderá conhecer de perto o maior empreendimento de infraestrutura hídrica do país, que levará água a 12 milhões de brasileiros. A população também poderá se informar sobre os resultados obtidos na execução dos 38 Programas Básicos Ambientais, além de receber kits informativos sobre o Projeto.

O ‘Espaço São Francisco’ também visitará escolas públicas e particulares daqueles municípios. Nas instituições, os técnicos apresentarão o Projeto de Integração do Rio São Francisco por meio de vídeos institucionais e outras mídias.

Programa Ambiental

O Programa Ambiental de Comunicação Social do Projeto São Francisco é considerado o de maior abrangência em relação ao público atingido e aos impactos associados ao empreendimento, levando em consideração todos os municípios que constitui a Área de Influência Direta (AID). O principal objetivo é promover um relacionamento construtivo entre o empreendedor e os diferentes setores sociais envolvidos direta ou indiretamente com o Projeto, garantindo o acesso antecipado às informações relacionadas ao empreendimento e às atividades necessárias à sua implantação.

Comunicação Itinerante

Criada em 2011, a ‘Comunicação Itinerante’ faz parte das ações do Programa de Comunicação Social, do Projeto Básico Ambiental (PBA). Ela foi idealizada para atender as demandas da população residente ao longo dos 500 metros do traçado do canal. A iniciativa garante aos moradores acesso a informações sobre a instalação e evolução da obra do Projeto de Integração do Rio São Francisco.





PSB e PSD puxam derrotas de Dilma no Congresso

Postado em 20 de janeiro de 2014 por Josélia Maria

Da Agência Estado

Foram 11 derrotas do governo em 37 votações na Câmara dos Deputados no segundo semestre de 2013. Nunca a presidente Dilma Rousseff (PT) perdeu tanto em tão pouco tempo. Ela sofrera só 3 derrotas ao longo de todo ano de 2011, 5 em 2012 e outras 5 no primeiro semestre do ano passado. O surto de derrotas sucedeu os protestos de rua que derrubaram a popularidade presidencial.

A tendência de perda de apoio na Câmara vem de longe, porém. O núcleo duro governista – aqueles que votam com Dilma em pelo menos 90% das vezes – caiu de 306 deputados em 2011, para 134 em 2012 e fechou o ano passado com apenas 123 parlamentares (72% deles do PT). Ou seja, a presidente só pode contar mesmo com o voto de 1 em cada 4 deputados.

Como o governo tem maioria teórica no Congresso, as derrotas só podem ser impingidas por seus aliados. Nessas 11 derrotas, os partidos da base de apoio a Dilma que mais traíram a presidente foram PSD e PSB, mas não só eles. Ao racharem, os peemedebistas também atrapalharam bastante. Além disso, o PMDB detém a presidência da Câmara e determina o que e quando será votado.

Os aliados ma non troppo morderam com precisão de vampiro, só em votações-chave, e assopraram nas demais, apoiando o governo maciçamente nas outras matérias. Como resultado, a taxa de apoio ao governo aumentou no segundo semestre, apesar das derrotas. A média de apoio na Câmara foi de 81% dos votos entre julho e dezembro, contra 72% nos semestre anterior.

Tome-se o caso do PSD. O partido de Gilberto Kassab foi o primeiro a anunciar publicamente apoio à reeleição de Dilma. Mas na Câmara, o PSD agiu como se fosse de oposição. O líder do partido recomendou que sua bancada votasse contra o governo em 8 das 11 derrotas de Dilma no segundo semestre. Só para comparar, o PSDB fez isso em 9 das 11 votações.

A liderança do PSD foi na contramão do governo, por exemplo, na apreciação das propostas de extinção da multa sobre o FGTS a ser paga pelos empregadores em caso de demissão, na criação do programa Mais Médicos e no apoio da proibição de o BNDES conceder empréstimos subsidiados em fusões ou aquisições de empresas.

Também bateu de frente nas votações da dívida dos municípios e dos royalties do petróleo.

O PSB fez o discurso oposto – anunciou sua saída do governo, por causa da candidatura presidencial de seu chefe, Eduardo Campos, e cumpriu a promessa. De uma taxa de governismo de 94% em 2011, o PSB caiu para 88% em 2012 e para 77% em 2013. Foi o único grande partido que teve taxa de governismo menor no segundo semestre (74%) do que no primeiro (79%). E já anunciou que vai radicalizar a tendência em 2014.

Senado

A situação no Senado é similar, apesar de mais confortável. O número de derrotas pulou de três no primeiro semestre de 2013 para dez no segundo – e todos os partidos governistas votaram contra o governo em algum momento. O núcleo duro, porém, continua o mesmo de 2011, com 25 senadores.

Para o professor da FGV-SP Cláudio Couto, o “desgaste” na relação de Dilma com os aliados explicam parte das derrotas. “Quando fica claro que a conduta ruim do governo não vai se alterar, as pessoas votam contra.” Humberto Dantas, do Insper, concorda. “As derrotas mostram que é notório que temos um governo que não sabe negociar e que envolve pouco o Legislativo nas decisões.”





Ouça a Rádio Cidade AM 870

Postado em 19 de janeiro de 2014 por Josélia Maria

p1
image-18984

De segunda a sexta das 07h às 08h da manhã esperando você.

Acompanhe pela web/tv www.radiocidadeam870.com.br

 





Aniversário de Paulo Azi reúne oposicionistas

Postado em 19 de janeiro de 2014 por Josélia Maria

foto 1 (2)
image-18981

A comemoração do aniversário do presidente estadual do Democratas, Paulo Azi, em Entre-Rios, no último sábado, mais uma vez reuniu os líderes da oposição baiana. Em seu discurso, o aniversariante revelou que a cabeça da chapa oposicionista ainda não está definida: “Estão no páreo Paulo Souto, Aleluia e Geddel”.

Azi destacou a importância da união e da força da oposição nas eleições deste ano. Exaltou a liderança do prefeito de Salvador, ACM Neto, presente ao evento, na condução do processo de escolha do candidato oposicionista à disputa eleitoral. Ainda afirmou que as gestões de ACM Neto em Salvador e José Ronaldo em Feira de Santana atestam o jeito diferente do Democratas governar, com responsabilidade social e fiscal.

 





Lídice da Mata e Cristina Buarque participam de Seminário que aponta alternativas para superar o machismo na política

Postado em 19 de janeiro de 2014 por Josélia Maria

PSB estimula e prepara candidaturas femininas

1012936_661356883903104_99055325_n
image-18976

Seminário aponta alternativas para superar o machismo na política

Consolidar candidaturas femininas enquanto fator indispensável para amenizar o desequilíbrio  entre o contingente populacional feminino e a representatividade das mulheres nos parlamentos, cargos executivos e demais espaços de poder. Com este objetivo foi realizado, em Salvador, nesta sexta-feira (17), o seminário “O PSB, as Mulheres e o Poder”, que teve como principais expositoras a presidente estadual da legenda, senadora Lídice da Mata, e a secretária de Políticas para as Mulheres de Pernambuco, Cristina Buarque.

“Do ponto de vista do que pensamos como socialistas, entendemos que a participação política faz parte do processo de emancipação e do combate à invisibilidade das mulheres. Somos 52% da população e temos um parlamento que não conta nem 10% de representação feminina, isso é sintoma de uma deformação da democracia brasileira”, destacou Lídice da Mata.

“Precisamos de uma reforma para democratizar e fazer com que o poder no Brasil tenha mais a cara das mulheres e dos negros desse País, em contraponto ao parlamento atual, que é predominantemente branco e masculino”, pontou Lídice, que postula a cabeça-de-chapa feminina do PSB baiano à sucessão estadual, tendo ao lado a ex-ministra do STF, Eliana Calmon, para o Senado. Eliana justificou sua ausência do Seminário em função de um encontro em Brasília com a coordenadora nacional da Rede Sustentabilidade, Marina Silva.

“Temos duas questões a resolver no Brasil: a da mulher e a questão racial. As políticas públicas de combate à pobreza não dão conta das identidades feminina e negra, que só fazem acumular mais desvantagens. É preciso criar uma política de desenvolvimento social que venha a mudar o aparato do Estado”, argumentou Cristina Buarque, para quem o País só conseguirá fazer o urgente e indispensável enfrentamento à violência contra a mulher se dispuser de recursos financeiros e políticos.

Mulheres do PSB
image-18977

Cristina Buarque exaltou a sensibilidade do governador Eduardo Campos na política de redução dos feminicídios em Pernambuco. Em 2006 foram assassinadas 320 mulheres em Pernambuco, em 2012 foram 210. Foram de 22% a 32% por cento de vidas salvas a partir dessa política que inclui tornozeleira eletrônica para agressores, patrulha Maria da Penha nos bairros e mutirão judiciário”, explicou. “Tem muita coisa a ser feita para isso é preciso recurso,  independência e disposição do gestor”.

Cristina também ressaltou que “a violência contra a mulher é uma política que não pode viver de projeto, precisa ser sistemática e universalizada. Os estados acham ótimo receber unidades do programa federal Casa da Mulher Brasileira, até porque não dispõe de absolutamente nenhum recurso para construir espaços de acolhimento, mas não adianta o governo federal dar a estrutura se o custeio que tiver de ser bancado por estados e municípios”, criticou.

Vera Lúcia Barbosa, secretaria da SPM-BA, foi representada pela superintendente Alice Bittencourt. Compuseram a mesa a presidente da Força Sindical, Nair Goulart, a secretaria estadual de Mulheres do PSB, Luciana Cruz;  e Lena Souza, liderança do movimento de mulheres. Também participaram do encontro a vereadora Fabíola Mansur, a presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores Domésticos, Creuza Oliveira, a coordenadora estadual da Rede Sustentabilidade, Rose Bassuma, e a vice-prefeita de Eunápolis, Maria Menezes.





Carnaval de Juazeiro 100 Anos – Folia momesca terá de volta a tradição das Escolas de Samba

Postado em 19 de janeiro de 2014 por Josélia Maria

Propaganda Carnaval
image-18972

por Luiz Hélio

Uma das manifestações mais marcantes do centenário carnaval juazeirense, as Escolas de Samba (as populares “batucadas”) trarão de volta à avenida o rufar dos tambores e o ritmo dos tamborins para o folião poder reviver a alegria e o brilho dos belos desfiles, com suas fantasias, estandartes, adereços, baianas e passistas. 

Desde os primórdios a folia momesca da cidade começou a se fortalecer e a ganhar fama inicialmente com os singelos desfiles dos carros alegóricos e em seguida com os contagiantes bailes realizados nos clubes sociais, especialmente os da 28 de Setembro, Apolo, Caçadores e Artífices.  O São Francisco Country Clube passou a ser outra disputada opção a partir da década de 1960, chegando ao auge com a criação do Baile do Havaí que por mais de vinte anos foi a mais badalada prévia carnavalesca local.

Já os desfiles das Escolas de Samba surgiram nos anos de 1950 e logo ganharam espaço no coração do povo através da inventividade, criatividade, gingado e muito samba no pé de agremiações que se tornaram verdadeiros símbolos culturais da maior festa popular de Juazeiro. Dentre as mais importantes, tivemos a “Unidos da Vila”, a “Cacumbu”, a “Piratas Reis do Samba”, a “A Voz do São Francisco”, a “Fala Quem Pode”, a “Imperatriz Juazeirense”, a “Império do Castelo Branco”, a “Voz do Morro” e a “Constelação do Castelo Branco”.

Visando resgatar os desfiles e ampliar as opções da grade de atrações, tornando o evento ainda mais democrático, a coordenação do “Carnaval de Juazeiro 100 Anos” está possibilitando a volta de uma das mais fortes manifestações populares do município. Para o gerente de cultura da Secretaria de Cultura e Juventude, Wellington Monteclaro, essa ação retoma o debate sobre a busca da convivência harmoniosa entre as tradições e o novo.

“Por muito tempo os desfiles dessas agremiações foram o principal meio de interação entre o povo e a arte expressiva do carnaval. Por isso não somente para esta edição comemorativa, mas nosso objetivo é que as escolas e batucadas voltem a fazer parte da festa em definitivo, ocupando destaque na folia em perfeita comunhão com os trios elétricos”, ressaltou.

Desfile Escola de Samba Juazeiro - Fonte Blog do Parlim
image-18973

Foto: Blog do Parlim

“Dei um aperto de saudade no meu tamborim…”

Dando inicio ao projeto de resgate das tradições culturais do carnaval, quatro agremiações voltarão a brilhar na avenida em 2014: Cacumbu; Mocidade Independente; Regimento do Samba e Unidos da Ponte. As escolas sairão da Praça da Catedral, passando por um trecho do “Circuito Ivete Sangalo” (Orla 1) e encerrando no “Circuito Daniel Alves”, nas proximidades do Palco Multicultural da Orla 2, nos dias 09 (domingo) e 15 (sábado) de fevereiro. Um carro alegórico oficial abrirá o cortejo do samba apresentando como destaques os dois Reis Momos, as duas Rainhas e as duas princesas.

E para abrandar a ansiedade enquanto aguarda a abertura do maior pré-carnaval do Brasil, que durante dez dias irá sacudir a cidade com as principais estrelas da música baiana na atualidade – e também grandes nomes do reggae e do pop nacionais – o folião terá a oportunidade de aprimorar os passos e o gingado com os ensaios de baterias que acontecerão no Vaporzinho (Orla 2), das 17h às 22h, nos dias 24, 25 e 31 de janeiro, 04 e 05 de fevereiro.