Aprovadas propostas que beneficiam negros e jovens em situação de vulnerabilidade social

Aprovadas propostas que beneficiam negros e jovens em situação de vulnerabilidade social

Dois projetos de ação afirmativa na oferta de vagas de ensino e estágio foram aprovados na Comissão de Administração Pública da Alepe nesta terça. Um deles determina a reserva de vagas a jovens em situação de vulnerabilidade socioeconômica nos cursos técnicos ofertados por instituições públicas de educação profissional e tecnológica. Segundo a proposta, 5% das vagas devem ser destinadas a jovens que cumpriram medidas socioeducativas ou viveram situações como maus-tratos, orfandade e abandono. A iniciativa é da deputada Delegada Gleide Ângelo, do PSB, com substitutivo da Comissão de Justiça.

A outra proposição estabelece cotas para negros em seleções de estágio. A matéria abrange vagas de nível superior em órgãos ou entidades da Administração Pública do Estado de Pernambuco. Segundo a iniciativa do deputado Gustavo Gouveia, do Democratas, com substitutivo da Comissão de Justiça, a reserva constará expressamente dos instrumentos de publicidade das seleções.

Ainda na manhã desta terça, a Comissão de Segurança Pública repercutiu tanto os números positivos do Pacto Pela Vida quanto a situação de risco de muitos profissionais da área. O registro do mês de março menos violento desde o início da série histórica, em 2004, e do melhor trimestre em sete anos foi saudado pelos parlamentares. O presidente do Colegiado, deputado Fabrizio Ferraz, do PP, classificou os resultados como animadores.

O deputado Delegado Erick Lessa, do mesmo partido, também destacou a redução dos crimes violentos letais intencionais em Caruaru, no Agreste Central. No entanto, ele lamentou a morte do delegado Anderson Liberato, de 32 anos, no município de Brejo da Madre de Deus, localizado na mesma região. Anderson foi baleado fatalmente no último sábado, quando tentava capturar um homem e uma mulher acusados de homicídio. O parlamentar destacou que o delegado estava trabalhando na folga, o que segundo ele demonstra a abnegação dos profissionais que atuam na linha de frente das políticas de segurança.

Por solicitação do deputado Delegado Erick Lessa, a Comissão decidiu realizar um debate sobre as condições psicológicas dos profissionais de segurança. “Fazer um debate sobre a questão psicológica, a questão da ansiedade, depressão, tendências suicidas de alguns profissionais. Inclusive um delegado de polícia tirou sua própria vida no final do ano passado, em Vitória de Santo Antão. Mas também os profissionais que se dedicam fora do seu horário de trabalho e colocam sua vida em risco para dar  segurança pública à sociedade e precisam ser reconhecidos pela sociedade pelo poder público em função da sua dedicação”.

Já a Comissão de Finanças aprovou dois projetos encaminhados pelo Poder Judiciário. Um deles cria a Vara Única Distrital de Fernando de Noronha, ao passo que o outro dispõe sobre Centrais Eletrônicas dos Serviços Notariais e de Registro.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar